Volkswagen cogita encerrar a produção do Gol e Voyage antes do previsto por falta de peças


A Volkswagen cogita antecipar o fim da produção dos seus veteranos Gol e Voyage. Os modelos devem seguir em linhas nos próximos meses, mas não verão o ano novo de 2023. De acordo com a Volkswagen, em comunicado para a revista Autoesporte, a marca deve seguir a produção dos compactos nos próximos meses, mas o fim de ambos pode acontecer antes de dezembro. A Volkswagen já possui poucos estoques de modelos como Gol e Voyage, que ficaram sem produzir por conta de falta de semicondutores. Com isso, já existem poucos modelos em oferta, mas a chegada da linha 2023 deve fazer com que os modelos continuem mais algum tempo na linha de produção. Até o fim de linha, Gol e Voyage serão vendidos apenas com o motor 1.0 12v MPI Flex, em versão única, mas a revista ainda acredita que o Voyage já se despeça quando a fábrica voltar a produção na linha de Taubaté (SP), que sofre há meses com a falta de peças. Para o Jornal do Carro, que também noticiou o fato, a Volkswagen confirmou que "a informação não procede e a produção do Voyage continua normalmente. A fábrica de Taubaté está em shutdown esta semana (desde segunda-feira, 18/04) em razão de preparação da linha para receber a plataforma MQB. Entretanto, voltou a produzir normalmente Gol e Voyage na última segunda-feira (25/04)". 



Mesmo assim, o Voyage deve se despedir antes do Gol, que sai de cena sem ao menos ganhar uma série de despedida. A atual geração do Voyage, apresentada em 2008, está bem envelhecida. Já o Gol segue alguns meses a mais até receber a Last Edition, série especial de despedida. A produção da série que ocorre entre os meses de agosto a novembro deste ano, de acordo com informações do site Autos Segredos. A produção da série terá uma tiragem limitada de 1.000 unidades. A série de despedida deve ser bem equipada, com todos os opcionais disponíveis, como: vidros elétricos nas quatro, portas, travas elétricas, rodas de liga leve de 15 polegadas, ar-condicionado, direção hidráulica, volante multifuncional com comando do sistema de som e “I-System”, sensor de estacionamento traseiro, sistema de som touchscreen “Composition Touch” com APP-Connect, de acordo com o site. A série também vai contar com adesivos alusivos ao fim de linha, com grandes chances de ser chamada de Last Edition. Todas as 1.000 unidades terão uma cor única e o carro será equipado com o conhecido motor 1.0 12v MPI Flex que desenvolve 84/75cv de potência com torque de 10,4/9,7kgfm, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas. Com o fim da produção da dupla, a unidade de Taubaté só volta a produzir em 2023, com o Polo Track. O fim de linha antecipado da dupla pode ajudar a Volkswagen a destinar as peças para Polo e Virtus, que também estão sofrendo bastante com as falhas na linha de produção por falta de peças.


Fontes: Autoesporte e Jornal do Carro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?