Renault anuncia novo plano para América Latina, com SUV médio; Renault terá 24 novidades até 2025


Depois de confirmar novidades sobre seu plano de reestruturação, o Grupo Renault confirmou algumas coisas para alguns mercados, em especifico. Na América do Sul, a Renault também confirmou novidades, revendo suas estratégias com o Plano RENAULuTion, que envolve as marcas Renault, Dacia, Alpine e Lada. Na América Latina, considerado um dos mercados mais importantes para os franceses, deve passar por um processo de otimização com foco em segmentos lucrativos, reduzindo os custos de produção com a adoção da plataforma modular CMF. Atualmente apenas o Kwid usa essa base no país, com a CMF-A. Em breve devem ser apresentados novos modelos com a base CMF-B, que deve ser vista em novos Sandero, Logan e a próxima geração do nosso Captur. Além deles, a Renault confirmou que também terá um SUV médio por aqui. As chances recaem claro sobre o Bigster, que seria reestilizado para ser vendido como vendido e teria um novo nome, claro. Mundialmente, a Renault deve oferecer modelos elétricos e híbridos para que 35% das suas vendas sejam de híbridos em 2025. O foco deve ser no segmento C, que é o mais lucrativo. Nesse segmento serão 5 modelos até 2025, sendo um deles para mercados emergentes. A marca ainda deve manter sua presença no segmento B com três novidades até 2022 em mercados emergentes e duas em mercados europeus. Até 2025, a Renault não revelou nenhum modelo no segmento A, colocando o futuro do Kwid em risco. A Renault também pretende mudar sua imagem em muitos mercados, oferecendo modelos com melhor qualidade. 



No ano passado, a Renault-Nissan-Mitsubishi confirmou que devem ter uma nova visão do desenvolvimento de modelos. A Renault ficará no encargo dos modelos do segmento B e a Nissan do segmento C, mas cada uma das marcas compartilhando bases e engenharias. "Este carro também será usado na base internacional como uma versão Renault. Isso é muito importante dizer pois irá suportar o reposicionamento para cima da Renault. Pense em América Latina e etc. Como disse na apresentação, em alguns casos estamos muito baixo no mercado, nós merecemos mais, merecemos estar no centro do mercado. Então usaremos essa base, feita primeiro pela Dacia", disse Luca de Meo, CEO da Renault, claramente se referindo ao Dacia Bigster, que será vendido aqui como Renault, com um novo visual e com um novo acabamento e nome. “Este novo modelo de negócios criará um portfólio de produtos reequilibrado e mais lucrativo, com 24 lançamentos do Grupo Renault até 2025 – metade deles nos segmentos de médio e grande porte – e pelo menos 10 veículos 100% elétricos. Esta nova organização orientada pelo valor e ofensiva de produtos promoverão um melhor posicionamento de preços e mix de produtos. A marca vai personificar a modernidade e inovação dentro e fora da indústria automotiva em serviços de mobilidade, tecnologia e energia, por exemplo. Como parte de sua estratégia, a marca vai aumentar o seu mix de segmentos com uma ofensiva na categoria de médio porte e fortalecer suas posições na Europa, além de focar em canais e segmentos lucrativos em mercados-chave, como América Latina e Rússia”, completa a mensagem do conglomerado francês.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Chevrolet lança a nova S10 no Brasil, que traz atualizações importantes e parte de R$ 247.860

Kia confirma a vinda do EV9 ao Brasil e define estreia para o primeiro semestre de 2024

Tank registra novas imagens de patente do 700 Hi4-T no MIIT e confirma uso de motor de 517cv

Eccentrica apresenta o Lamborghini Diablo remasterizado que agora desenvolve 550cv

Mercedes-Benz lança o Classe G 63 AMG Grand Edition no Brasil, por caros R$ 2.247.900

Fiat Titano vai virar RAM 1200 no México, antecipa teaser; picape ganhará quarto logotipo

GWM registra imagens de patente do Veyron na China, que pode ser da marca Haval ou da Sar

Volkswagen lança Polo Robust, versão voltada ao agronegócio, que chega por R$ 89.290

GWM adiciona caminhões elétricos para fazer entregas de peças para concessionárias