Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Stellantis Group

Stellantis comemora a marca de 15 milhões de transmissões feitas em Betim (MG)

Imagem
A Stellantis está comemorando a marca de 15.000.000 de transmissões produzidas na unidade de Betim (MG). Construídas no Polo Automotivo de Betim, a unidade opera em dois turnos e conta com uma fábrica de 800 funcionários responsáveis pela fabricação dos câmbios C-513 que equipam Argo, Cronos, Fiorino, Grand Siena, Mobi, Strada e Uno. Há ainda a produção do câmbio C-510, usado em Fiat Toro e Jeep Renegade. A produção se iniciou em 1976, juntamente com a produção de carros na unidade, no mesmo ano. Em 2020, por exemplo, foram produzidos 320 mil unidades de transmissões e em 2021 a meta é produzir mais de 500 mil câmbios, a maioria do C-513. Construída numa área de 30.000m², ela conta com uma série de áreas de usinagem, tratamento térmico e montagem. Cerca de 10% de toda a produção é enviada para a Argentina, onde a Fiat produz o Cronos, em Córdoba. Os dois câmbios são oferecidos em todos os carros com câmbio manual de Fiat e Jeep e são exportados para outros países da América Latina. “Es

Fiat Punto deve retornar ao mercado europeu, com base na atual geração do Opel Corsa

Imagem
A Fiat confirmou que deve trazer o Punto novamente ao mercado europeu. Após o fim de linha do hatch em 2018, o Punto deve retornar como um primo de Opel Corsa e Peugeot 208, de acordo com informações reveladas pela revista alemã Auto Bild. Desde o fim de linha dessa geração que se comenta sobre um substituto do clássico hatch da marca italiana. O modelo deve ter seu retorno facilitado por conta da fusão que originou a Stellantis, sendo desenvolvido a partir da plataforma CMP, que deve servir de base para a maioria dos veículos da nova empresa. Com a plataforma e tamanhos similares a Corsa e 208, a Fiat deve oferecer o novo Punto com a mesma mecânica dos modelos. Na mecânica, Corsa e 208 contam com três opções de motor: o 1.2 PureTech de três cilindros que desenvolve 75cv, 110cv ou 130cv, com câmbio manual de 5 marchas com 75cv, 6 marchas com 110cv e opção de câmbio automático de 8 marchas para os motores de 110cv e 130cv. Há também o motor 1.5 BlueHDi que desenvolve 100cv e será vendid

Stellantis deve matar a SRT, única marca que deve ser "rebaixada" a versões de esportivos

Imagem
A SRT será a única marca a ser extinta dentro da Stellantis. Braço direito do desenvolvimento das versões esportivas de modelos da Chrysler, Dodge e Jeep, a SRT até mesmo se alçou como marca ao lançar a última geração do Viper, em 2012. Embora a SRT vire história dentro da ex-FCA, todos os engenheiros e funcionários devem ser convertidos para a Stellantis, ou seja, a SRT só deixa de existir no papel. A marca-preparadora também não deve contar com prejuízos muitos grandes, porque não tinha nenhuma fábrica com dedicação exclusiva para seus carros. A informação é do site Mopar Insiders , que tiveram informações com representantes do Grupo Stellantis e que confirmaram a informação. “Todos os elementos centrais da equipe de engenharia de desempenho da SRT foram integrados na organização global de engenharia de nossa empresa. Esta ação terá o benefício bidirecional de garantir que as ofertas de produtos SRT e centradas no desempenho de nossas marcas continuarão cumprindo com os mais altos pa

Stellantis deve cancelar ida da Peugeot aos EUA e focar na renovação da Chrysler

Imagem
A Chrysler já tem um futuro definido. E ele é bom. De acordo com a Stellantis, a Chrysler deve ser prestigiada e vai ocupar o lugar que era da Peugeot. A marca francesa deveria ir para os Estados Unidos, mas a Stellantis desistiu de levar a marca francesa aos EUA, segundo arlos Tavares, CEO do grupo. Para a Chrysler, Tavares disse ter expectativa que a marca pode ter um processo de renovação. "Estamos ansiosos para dar um futuro a esta marca" , disse o executivo. Nos EUA, a Chrysler vende apenas as minivans Pacifica/Voyager (93.802 unidades) e o velho sedã 300 (16.653 unidades), sendo que esse já tem sentença de morte. A permanência da Chrysler deve culminar no fim da ida da Peugeot aos EUA, um projeto que estava nos planos da marca há anos. “Por enquanto, não é prioridade. Acho melhor canalizar o talento, o capital e a capacidade de engenharia de nossa empresa para as marcas existentes e que têm presença muito forte neste mercado" , explicou Tavares. Ainda não se sabe q

Primeira fábrica com carbono neutro da América Latina é da Stellantis, em Goiana (PE)

Imagem
A Stellantis confirmou que uma fábrica brasileira se tornou a primeira a conseguir o selo de carbono neutro da América Latina. A unidade de Goiana (PE), passou a ser a primeira fábrica do grupo na região a conquistar o feito. Atualmente responsável pela produção de modelos como Jeep Renegade, Fiat Toro e Jeep Compass, a unidade fabril consegue um importante feito de sustentabilidade e compromisso ambiental. De acordo com a Stellantis, a fábrica é a primeiro Complexo Industrial Multi-Plantas a conquistar esse feito. Isso porque não foi apenas a fábrica de Jeep e Fiat, mas também de toda a cadeia de fornecedores. Desde 2017 que as fábricas de fornecedores também tinham aderido para chegar ao carbono neutro. São um total de 16 fábricas no Complexo Industrial de Goiana, onde o Parque Industrial conseguiu atingir a compensação de emissões por meio do programa Amigos do Clima, uma força-tarefa combinada para a redução e compensação de emissões. "Trata-se de uma conquista muito important

Alfa Romeo, DS e Lancia terão uma sinergia para desenvolvimento a partir de 2024

Imagem
Depois da criação oficial da Stellantis Group, que uniu FCA e PSA, algumas marcas que pareciam mais perdidas dentro dos grupos parecem ganhar alguns destinos. Com 14 marcas dentro de um mesmo grupo, é claro que deve haver algumas sobreposições de marcas. Mesmo assim, a Stellantis confirmou que a princípio nenhuma marca seria descartada. O Automotive News Europe confirmou que Alfa Romeo, DS e Lancia devem se unir e trabalhar no desenvolvimento em conjunto de carros a partir de 2024. As marcas devem compartilhar os mesmos conjuntos mecânicos e tecnologias, que não vão ser compartilhados a outras marcas do grupo. "Estamos trabalhando com nossos colegas italianos especificamente em características premium que diferenciarão as marcas premium das demais marcas do grupo" , disse Marion David ao Automotive News Europe , na apresentação do novo DS 4. Os carros de DS, Alfa Romeo e Lancia também não devem seguir como “cópias”. Cada marca deve criar seus carros separadamente, sem modelos

Surgem novas informações de que Chrysler pode ter uma luz no final do túnel na Stellantis

Imagem
A Chrysler virou a marca de um carro só. E isso não aconteceu recentemente. Desde a sentença de morte do 300C, a minivan Pacifica e sua versão mais acessível, a Voyager, são as únicas opções que o consumidor pode ter. Dentro da recém formada Stellantis, chegou a se cogitar qual seria o futuro da Chrysler – assim como se fez com a Lancia e a Dodge. O grupo ítalo-franco-americano não deve se desfazer das marcas, como já anunciado. De acordo com David Kelleher, Presidente do Conselho Nacional de Revendedores de Stellantis, disse ao Automotive News que prefere ver a marca Chrysler renascer do que se tornar história. Kelleher disse que sentiria “violado se a marca Chrysler fosse abandonada. Essa coisa toda começou com a Chrysler. Não quero me emocionar com uma marca, não é o caso. Mas não quero ver uma marca como essa deixada de lado e simplesmente jogada fora” , frisou em entrevista. Dentro da Stellantis, o executivo acredita que a marca pode renascer, assim como outras que estão perdidas

Dodge confirma fim do motor V8 Hellcat para breve; Stellantis visa eletrificação

Imagem
Depois de anos de desenvolvimento e inovações, a Dodge deve sofrer um baque: o fim de uma era com os motores Hellcat. Com motores que chegaram a desenvolver quase 800cv de potência devem deixar de serem produzidos pela Stellantis. Nos últimos anos, a Dodge desenvolveu uma série de modelos com o poderoso motor. O fim dessa era foi confirmada por Tim Kuniskis, CEO da Dodge. Em entrevista ao CNBC, o executivo confirmou que a eletrificação é o lema do grupo, numa marca que ainda não conta com nenhum modelo eletrificado e pior: que não tem um produto moderno. "Os dias do bloco de ferro V8 6.2 supercharger estão contados. E isso também pelos custos, mas a performance que eles produzem seguirá viva" , disse o executivo. Kuniskis ainda não confirmou qual deve ser o futuro da marca Dodge, mas confirmou que os carros do futuro da marca devem contar com motores eletrificados, possivelmente a partir de um V6 Hybrid. "Estou empolgado com o futuro elétrico pois ele nos ajudará a não m

Imbróglio entre PSA e concessionários será resolvido com Stellantis Brasil

Imagem
Depois de causar um mal-estar entre a PSA e seus concessionários, que alegaram que o grupo francês está forçando os concessionários a desistirem das concessionárias em favor das concessionárias da FCA no país, a Stellantis deve resolver essas questões no nosso mercado. A recente fusão entre as marcas deve permitir que a ex-rede FCA deve adicionar as marcas francesas no hall de modelos. Com mais de 520 pontos de vendas no nosso mercado, a Fiat deve ser a marca que deve ajudar bastante a Citroën e a Peugeot no mercado, por exemplo. "Diferentemente do que irá ocorrer em outros mercados onde as marcas da PSA são mais bem posicionadas, aqui a Fiat é quem dará as cartas" , disse um executivo do setor para o UOL Carros. Assim como a Fiat fez com a Jeep em 2015, para expandir a rede de concessionárias, as marcas da PSA devem virar uma divisão no mercado, especialmente em cidades de interior onde a FCA conta com pontos de vendas. Terá um espaço dentro das concessionárias da Fiat que d

Ex-fábrica de motores diesel passa a produzir motores elétricos para Stellantis Group

Imagem
A Stellantis Group confirmou que a fábrica de Tremery, na França, deve deixar de produzir motores a diesel para produzir motores elétricos. Essa fábrica deve ser apenas a primeira que deve passar por essa transição de produção de motores a diesel para elétricos na Europa. Aos poucos, o grupo franco-ítalo-americano deve apresentar novos modelos eletrificados ainda em 2021. Serão cerca de 20 novidades para este ano, de acordo com a recém formado grupo. De acordo com informações da Stellantis, a produção de motores elétricos deve subir para cerca de 180 mil unidades em 2020 para ser cerca de 900 mil unidades em 2025. Para isso, precisa ter fábricas que possam produzir esses novos motores elétricos, ou seja, essa não deve ser a primeira fábrica do grupo a passar a produzir motores eletrificados. A produção de um motor elétrico leva 1/5 dos componentes de um motor a combustão e, teoricamente, é mais fácil e rápido de produzir. Essa transição de produção de motores deve ser contínua, sendo q

Stellantis confirma que carros elétricos no Mercosul só se tornarão mais viáveis com benefícios

Imagem
A Stellantis confirmou que a produção de carros elétricos na América do Sul ainda deve demorar bastante. Mercados líderes da região, como Brasil e Argentina, ainda não estão aptas para a produção de veículos elétricos. Recém agora o Brasil está se abrindo para a produção de modelos híbridos, com o lançamento do Toyota Corolla Hybrid. De acordo com Carlos Tavares, CEO da Stellantis, disse que essa questão que os governantes locais devem se atentar para ceder benefícios fiscais para a produções desses carros. Isso porque não se tem uma previsão ou movimentos que façam as marcas entender que a América do Sul quer passar por esse processo da mobilidade. A Stellantis ainda confirmou que as ex-FCA e PSA possuem cerca de 17% de mercado na América Latina, sendo um mercado considerado muito importante para o novo grupo. Por aqui, Tavares ainda não acredita que a mobilidade para o carro elétrico seja a solução, diferente do que acontece na Europa, por exemplo. Isso porque esses mercados ainda nã

Todo carro da Stellantis terá uma versão eletrificada até meados de 2025, na Europa

Imagem
A Stellantis confirmou que as marcas que faziam parte dos grupos PSA e FCA devem contar com uma versão eletrificada a cada lançamento. Isso deve valer principalmente para o mercado europeu, onde se busca a criação de novos modelos elétricos e híbridos que ajudam a diminuir a emissão de poluentes. Em conferência online, o CEO da Stellantis, Carlos Tavares, confirmou que até 2025 cada novo modelo da Stellantis terá uma versão eletrificada. Ao todo, as novidades devem se somar aos 29 veículos eletrificados que o grupo já desenvolveu, antes mesmo da fusão. Até o final de 2021, esse número deve crescer para 39 modelos eletrificados com o recente anúncio de novos eletrificados. Até 2030, o grupo prevê que as vendas desse tipo de modelo representem cerca de 35% das vendas. Atualmente com 15 marcas dentro da Stellantis (Fiat, Jeep, Chrysler, Dodge, RAM, Alfa Romeo, Abarth, Lancia, SRT e Maserati, Citroën, Peugeot, DS, Opel, e Vauxhall), os franco-ítalo-americanos devem desenvolver novos modelo

Stellantis pode acabar ajudando o Peugeot 208 a ter o motor 1.0 12v Firefly Turbo

Imagem
Após ser duramente criticado ao ser lançado no ano passado, o novo Peugeot 208 enfim pode ganhar uma mecânica mais eficiente com a Stellantis. Querendo ser concorrente direto de Chevrolet Onix, Volkswagen Polo e Hyundai HB20, o Peugeot 208 não conta com um motor moderno. Isso é um empecilho muito grande para a antiga PSA, que tinha apenas o velho motor 1.6 16v Flex. De acordo com o jornalista Fernando Calmon, em sua coluna Alta Roda, disse que a Stellantis deve permitir o uso dos novos motores da antiga FCA para os modelos das marcas francesas. Isso indicar que a nova família GSE Firefly deve ser usada pelas marcas Citroën e Peugeot. Os novos motores são o 1.0 6v Firefly que desenvolve 77/72cv de potência com torque de 10,9/10,4kgfm, o 1.3 8v Firefly que entrega 109/101cv de potência com torque de 14,2/13,7kgfm e os Firefly Turbo, com o 1.0 12v Turbo de cerca de 120cv e 19,3kgfm (configuração da Europa) e o novo 1.3 16v Turbo de 150cv e 27,5kgfm. Para o 208, o motor 1.0 12v Turbo cairi

Stellantis mantém todas as fábricas e diz que algumas marcas vão renascer; Lancia é forte candidata

Imagem
A Stellantis Group confirmou que a união entre FCA e PSA deve render frutos dentro de alguns anos. Algumas mudanças já podem ser vistas, com a sinergia entre as empresas com plataformas e motores. A Stellantis será uma empresa com cerca de 400.000 empregados e possui boa presença em três mercados estratégicos Europa, América do Norte e América Latina. Há ainda potencial a ser desenvolvido na China e Índia e nas regiões da África, Oriente Médio e Oceania. No anúncio da criação da Stellantis, foi confirmado que as economias só com as sinergias devem render cerca de 5 bilhões de euros por ano. O plano estratégico do grupo ainda não deve prever o fechamento de fábricas existentes, mas sim o aperfeiçoamento das unidades ativas para se tornarem mais rentáveis. Atuante em 130 mercados, o grupo já conta com 29 modelos eletrificados e deve desenvolver ainda mais para a chegada de novos modelos elétricos. Além disso, o grupo deve focar no desenvolvimento de tecnologias como condução autônoma, co

Peugeot segue sem definição sobre retorno aos EUA; Stellantis prefere cancelamento ou adiamento

Imagem
A Peugeot confirmou que o retorno da marca francesa para a América do Norte, como teria dito seu plano estratégico de expansão em 2019. Esse projeto incluía o retorno aos EUA até meados de 2023. De acordo com Jean-Philippe Imparato, CEO da Peugeot, a marca pode desistir de regressar aos EUA por conta da fusão com a FCA e a criação da Stellantis. Como a FCA é muito forte na América do Norte com RAM e Jeep, colocar mais uma marca do grupo na região seria competir com os mesmos modelos. “A Peugeot se concentrará em seus principais mercados que são Europa, Oriente Médio, África e América Latina” . Além disso, esclareceu que nos próximos meses, no curto prazo, o objetivo é “retomar o rumo na China” , disse o executivo em entrevista. Isso faz com que os planos de retorno aos EUA seja abortado. Na época, Dominique Larry, Presidente e CEO do Groupe PSA na América do Norte, assinalou esse ano e que os modelos usados como ponta de lança não seriam outros a não ser o Peugeot 3008 e o Peugeot 5008

Como a Stellantis pode atuar na América do Sul?; Antonio Filosa deve ser o CEO do grupo

Imagem
O que a Stellantis pode fazer na América Latina, surgiu a questão. O grupo que é líder de vendas na região pode passar a liderar muito mais, aumentando a sinergia entre as marcas e podendo explorar um pouco mais das francesas da PSA. O grupo passa a ter cinco fábricas operantes na América do Sul, sendo Betim (MG), Goiana (PE), Porto Real (RJ), El Palomar (Argentina) e Córdoba (Argentina). De acordo com o CEO da Stellantis, Carlos Tavares, escolheu Antonio Filosa como CEO da Stellantis na América do Sul. Apesar das marcas Citroën e Peugeot não viverem seus melhores momentos na região, vale destacar que o apoio de Fiat e Jeep na região pode ser bastante interessante para os franceses. Isso porque com a grande capacidade produtiva das marcas que faziam parte do Grupo FCA, as marcas da então PSA podem ganhar uma ajuda, principalmente com a mecânica. Os franceses podem explorar a boa plataforma modular CMP, que pode ser usada na maioria dos compactos da FCA. Por aqui, a PSA pode usar motore

Adeus FCA e PSA: Stellantis é criada oficialmente e se torna o quarto maior grupo do mundo

Imagem
A Stellantis oficialmente está formada. O quarto maior grupo automotivo do mundo foi criado graças a união de FCA e PSA. Ao todo serão 20 empresas sobre a guarda da Stellantis. Entre uma das principais acionistas deve estar a Exor, dona da FCA, que terá uma fatia de 14,4% de participação, seguida pela família Peugeot com 7,2% e o Governo da França com 6,2%, além da Dongfeng com 5,6%. A Stellantis Group ainda confirmou John Elkann como Presidente, tendo Carlos Tavares como CEO e Mike Manley como CEO na América do Norte. Tavares era o CEO da PSA há alguns anos e conseguiu bons resultados e reverteu o desempenho da Opel, que estava operando no negativo há anos nas mãos da GM. Ainda há outros nomes importantes dentro do grupo como Robert Peugeot (vice-presidente), Henri de Castries (diretor independente sênior), Andrea Agnelli, Fiona Clare Cicconi, Nicolas Dufourcq, Ann Frances Godbehere, Wan Ling Martello, Jacques de Saint-Exupéry e Kevin Scott. Com base nos dados de 2019, a Stellantis de

Com fusão da Stellantis, Chrysler, Lancia e Dodge seguem com futuro indefinido e podem desaparecer

Imagem
A FCA e a PSA devem formar juntas a Stellantis, um dos maiores grupos automotivos do mundo. No total, serão 14 marcas dentro do grupo. Serão Abarth, Alfa Romeo, Fiat, Lancia, MAserati, Chrysler, Jeep, RAM, Dodge, Citroën, DS, Peugeot, Opel e Vauxhall fazendo parte de um mesmo grupo que pode gerar conflitos e até mesmo insegurança para algumas marcas que parecem perdidas, principalmente dentro do lado ítalo-americano. De acordo com informações do Associated Press e Automotive News , Chrysler e Lancia tinham seu futuro definido pela Stellantis. As duas marcas possuem apenas dois modelos em linha, sendo a Pacifica pela Chrysler e o Ypsilon pela Lancia. A Chrysler ainda possui o bônus de ter o 300C, mas esse deve sair de linha em breve. Até o momento não existe nenhum plano de ter um novo modelo para ambas as marcas, pelo menos a curto prazo. No caso da Lancia se fala em um novo Ypsilon mas desde então não surgiu novas informações. O agravante da Lancia é que ela vende apenas na Itália. A

Concessionárias de Citroën e Peugeot acusam PSA de se "lançar para a FCA" no Brasil

Imagem
A PSA parece estar passando por uma série de acusações de concessionários da Citroën e da Peugeot. De acordo com informações do UOL Carros, citando as duas associações de revendedores da PSA, os lojistas estão fazendo uma rebelião contra as marcas. Os motivos seriam as metas de vendas irreais para os modelos, baixa lucratividade com os preços sugeridos e produtos pouco competitivos no Brasil, exemplificando as baixas vendas. De acordo com a Abracop (Associação Brasileira de Concessionários Peugeot) e a Abracit (Associação Brasileira dos Concessionários Citroën), revelaram que a PSA está manobrando a gestão nacional e oferecendo as duas marcas para a rede FCA, por conta da fusão que origina a Stellantis. O objetivo da PSA é fazer com que a FCA adicione os carros de Citroën e Peugeot no lineup das concessionárias da FCA, oferecendo modelos Fiat, Jeep, Citroën e Peugeot. As duas associações teriam enviado um pedido ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para interromper o p

União Europeia confirma fusão entre FCA e PSA para formar a Stellantis, 4º maior grupo do mundo

Imagem
A fusão entre FCA e PSA conseguiu superar a maior barreira da criação da fusão: a União Europeia. A comissão europeia deu o aval antitruste para a aprovação que o negócio de US$38 bilhões seja realizado. Existia preocupações dos regulares sobre a concorrência de alguns segmentos na Europa, algo que parece ter sido resolvido entre as marcas. A Comissão Europeia informou que a PSA deve estender o contrato de parceria com a Toyota, o que deve aumentar a produção da marca japonesa e reduzir os preços dos veículos. "O acesso a um mercado competitivo para pequenas vans comerciais é importante para muitos autônomos e pequenas e médias empresas em toda a Europa" , disse a comissária europeia para a concorrência, Margrethe Vestager. Outro ponto que conseguiu ser contornado pela fusão é que FCA e PSA tiveram a permissão de concorrentes acessem suas redes de reparos e manutenção de vans para ajudar as novas marcas a expandir mercado. A negociação ainda teve a promessa da PSA em aumentar

Postagens mais visitadas deste blog

Chevrolet Tracker PcD volta a ser vendido em breve, mas com mudanças de conteúdo

Fiat Toro recebe motor 1.3 Turbo em todas versões e catálogo vaza antes da estreia

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Reestilização do Volkswagen Jetta chega até 2022, com o inédito motor 1.5 TSI

Volkswagen deve receber pedidos pelo up! até final de abril e produção vai até fim de maio

Volkswagen não vê chances em desenvolver modelos com a tecnologia do hidrogênio

VAG pode vender ações da Porsche para custear processo de eletrificação do grupo?

Investimentos da Renault estão congelados para os substitutos de Sandero e Logan

Novo Citroën C3 Sporty deverá ser lançado em outubro no Brasil, antes da Índia

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado