Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Miura

Retrômobilismo#89: O mais tecnológico dos Miura, trio X8, Top Sport e X11 acabou esquecido com os importados!

Imagem
Miura X8 A Miura foi uma marca brasileira sensacional. Além de produzir veículos bonitos, alguns tinham recursos tecnológicos nunca antes vistos em alguns veículos importados. Substituindo o Saga, o X8 chegava ao mercado brasileiro em 1988, no Salão do Automóvel daquele ano. O esportivo era basicamente uma evolução do Saga, mas tinha novidades como vidro traseiro inteiriço e um enorme aerofólio, conferindo uma nova traseira. Mesmo assim, o X8 conviveu com o Saga. O X8 vinha com teto em preto-fosco e um detalhe exótico: luzes de neon azul envolvendo os pára-choques. O acessório era vendido na época para montagem em veículos convencionais mas nunca conquistou os brasileiros, sendo considerado de mau gosto ou muito cafona pela maioria. O X8 tinha bancos dianteiros com regulagem elétrica e retrovisor fotocrômico que acrescentavam sofisticação ao modelo. O preço ficava acima do Volkswagen Santana Executive, o que fazia desse Miura o automóvel mais caro produzido no Brasil. O motor

Retrômobilismo#83: Raríssimo, Kabrio é a joia rara da Miura no Brasil; conversível teve apenas 1 ano de produção!

Imagem
Lançado em 1984, o Kabrio é o carro mais raro da Miura. Produzido entre 1984 a 1985, o Kabrio foi uma tentativa da Miura em possuir um automóvel esportivo conversível mais simples e barato, com a tarefa de ser o "modelo de entrada" da linha Miura, contudo, acabou sendo preterido pelo modelo conversível mais sofisticado da marca na época, o Miura Spider. O Kabrio foi o ultimo modelo da marca a usar a plataforma e o conjunto mecânico do Volkswagen Brasília e é o mais raro modelo da marca gaúcha. No pouco tempo em linha, o Kabrio foi oferecido nas cores Branco Polar, Branco Perolizado, Vermelho Carraro, Bege Perolizado e Preto Cadilac O Kabrio foi o segundo conversível da Miura, com carroceria totalmente diferente em relação ao Spider. Além de usar mecânica VW, seu painel era do Ford Escort XR3. Falando em mecânica, seu motor era o 1.6 refrigerado a ar de 65cv de potência e torque de 12kgfm de força, com câmbio manual de 4 marchas. Com esse conjunto, ele acelerava de 0 a

Retrômobilismo#81: A lenda antiga que dá continuidade em uma nova encarnação! Eis o Miura Saga!

Imagem
Qual o significado de Saga? "1. Lenda medieval acerca de figuras ou eventos notáveis dos países escandinavos. 2. Qualquer lenda antiga acerca de feitos heroicos. 3. Xácara baseada em alguma dessas lendas." . Podemos dizer que o Miura Saga é uma figura que deu continuidade a história da marca brasileira no Brasil. Mais uma vez, a Miura abusava dizer em seus slogans: "Aqui está uma das maneiras de se dirigir um carro do século 21. A outra é esperar 14 anos." . Pode até soar presunçoso, mas o texto do anúncio do Miura Saga de 1986 não estava distante da realidade. O Saga de fato era um mostruário do que o Brasil melhor poderia oferecer quando se falava em esportivos genuinamente brasileiros. Em uma década onde nossos carros eram um tanto "ultrapassados" em relação a outros países, os carros da Miura era um verdadeiro banho de água fria no quesito design, principalmente. O interior, extravagante por si só, era revestido em couro creme, vermelho ou de outros

Retrômobilismo#72: A expansão da Miura, fabricante de fora-de-série, chegava com o Targa e o Spider

Imagem
A gaúcha marca de carros fora-de-série Miura, com sede em Porto Alegre (RS) começava a se expandir no mercado brasileiro em 1982 com a chegada do Targa, modelo que era mais uma opção no portfólio da marca que já vendia o Sport na época, desde 1977. O Targa era menor, mas tinha o mesmo design agressivo do Sport. Os faróis, por exemplo, também era escamoteáveis e trazia muitas linhas retilíneas. O Targa usava chassi tubular de aço, feito pela própria Miura que possibilitou a utilização do motor de 1.6 Passat na localização original dianteira. O motor rendia 80cv, o mesmo motor que o Passat TS usava. O teto seguia o conceito do Porsche 911 de mesmo nome, Targa, com a seção traseira fixa e partes removíveis sobre os bancos, restando uma estrutura central. Isso causou certa estranheza do consumidor, que como não sabia como era um carro importado, já que o país não permitia a importação de carros até 1990, o fora-de-série conseguiu chamar muita atenção nas ruas e por onde passava.  A

Retrômobilismo#54: De Sport a MTS, a história do primeiro Miura, o gaúcho que conquistou o país!

Imagem
Pouca gente conhece a história dele. O gaúcho de Porto Alegre, a marca Miura nascia em Junho de 1977. Mas a história começa antes disso. A marca pensava em criar seu carro esporte desde 1975 quando Aldo Besson e Itelmar Gobbi, proprietários da Aldo Auto Capas que eram fabricantes de bancos e distribuidor de acessórios na capital gaúcha. Apresentado no Salão do Automóvel de 1976, o Miura Sport marcava a história brasileira com um belo carro esporte que foi reconhecido internacionalmente graças ao seu design moderno para a época, sem falar que era o primeiro carro de uma marca, ainda mais brasileira que não contava com recurso nenhum. Com 4,30m de comprimento e 1,17m de altura, o Miura Sport decepcionava no mais importante de um esporte, a motorização. No Brasil ele tinha o fraco motor 1.6 do Fusca que assim como a Puma, também tinha a mesma plataforma do popular da Volks. O motor 1600 tinha dupla carburação com câmbio e suspensão vindos do Brasília. Tinha 54cv de potência com to

Postagens mais visitadas deste blog

Nova geração da Ford Ranger é vista novamente em flagrante que revela mais da dianteira

Jeep Compass possui fila de espera até 2022 pra algumas versões por falta de semicondutores

Sem nenhum emplacamento, Jeep Commander já possui longa fila de espera de até 6 meses

Peugeot inicia pré-produção do SUV cupê 4008 na Europa, na fábrica de Mulhouse, na França

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Fiat Pulse Abarth está em desenvolvimento e será apresentado em 2022, de acordo revista

BYD também testa o D1 no Brasil, que pode ser o quinto lançamento da marca para 2022

Nova geração do BMW Série 3 chega em 2025, com opção de motor puramente elétrico

Jeep Renegade 2023 não vai ganhar novo painel, mas terá novo volante e cluster digital

Chevrolet Onix ainda tem complicações com a produção para atender a demanda do cliente