Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Daihatsu

Daihatsu Tanto ganha reestilização de meia-vida e estreia versão FunCross no Japão

Imagem
Daihatsu apresenta no Japão uma versão aventureira para um dos seus keicar mais famosos no país, o Tanto, que ganha versão FunCross A Daihatsu apresentou as primeiras imagens do keicar Tanto com a sua versão aventureira. A novidade estreia no Japão e ostenta linhas mais parrudas e estreia junto com a reestilização de meia-vida. A versão FunCross desembarca no mercado japonês na quarta geração, originalmente apresentada em 2019. Junto com ela, a Daihatsu resolveu aplicar as primeiras mudanças no Tanto Custom, que traz um novo design. Na dianteira, as novidades ficam por conta do novo desenho dos faróis, que ficam mais retangulares e afilados. Ele ainda conta com faróis de neblina em posição mais elevada, em um acabamento em preto brilhante. Este possui um desenho mais triangular e tem um prolongamento vertical até a parte inferior do para-choque. Já a grade dianteira continua grande, mas agora lembra a grade de carros da Lexus. A grade traz quatro barras verticais, enquanto as extre

Toyota, Suzuki e Daihatsu se unem para criar opções de motores eletrificados para vans

Imagem
As montadoras japonesas parecem estar se unindo para o desenvolvimento eletrificado m conjunto. Enquanto recentemente se criou uma grande aliança entre Toyota, Daihatsu, Subaru e Suzuki para o desenvolvimento de tecnologias para células de hidrogênio, agora Daihatsu, Suzuki e Toyota se uniram para o desenvolvimento de uma gama de comerciais leves equipados com um sistema elétrico para vans comerciais de pequeno e médio porte. Ao que tudo indica, Daihatsu e Suzuki serão responsáveis pelo desenvolvimento dos veículos, enquanto a Toyota entra com o aporte mecânico. Junto das três montadoras está a Commercial Japan Partnership Technologies Corporation (CJPT). Os veículos comerciais são importantes para as empresas que buscam desenvolver soluções de mobilidade urbana eletrificada, uma vez que, no Japão, 60% das vendas de comerciais leves são de vans compactas no país. Modelos compactos ainda chamam bastante atenção dos japoneses. Prefeituras e duas grandes cidades já demonstraram interesse

Toyota, Daihatsu, Subaru e Suzuki se unem para pesquisar combustíveis sintéticos e hidrogênio

Imagem
A Toyota confirmou a reunião de marcas e empresas para o desenvolvimento da Associação de Pesquisa de Inovação em Biomassa para Combustíveis de Automóveis de Próxima Geração. Se uniram as empresas: ENEOS Corporation (ENEOS), Suzuki Motor Corporation (Suzuki), Subaru Corporation (Subaru), Daihatsu Motor Co. Ltd. (Daihatsu), Toyota Motor Corporation (Toyota) e Toyota Tsusho Corporation (Toyota Tsusho). Essa associação entre as empresas mencionadas vai focar seus estudos em otimizar o processo de produção de combustível. De acordo com as empresas, é crucial fornecer diversas opções de energia para atender às necessidades de muitas regiões e clientes diferentes, a fim de alcançar a neutralidade de carbono. Hidrogênio e combustíveis sintéticos à base de eletricidade de fontes renováveis ​​de energia, bem como bioetanol combustível capaz de reduzir as emissões de CO2 através da fotossíntese em plantas são opções promissoras, e sua eficácia foi confirmada pelo Painel Intergovernamental sobre

Toyota só terá um SUV compacto no Brasil em 2025, desenvolvido com base Daihatsu

Imagem
Depois de descartar a vinda de C-HR, Raize e Yaris Cross nos últimos anos, a Toyota segue trabalhando em um SUV compacto diferente que ainda não foi apresentado. O modelo está em fase inicial de desenvolvimento e pode ser vendido em alguns mercados asiáticos e americanos também. A novidade está prevista para ser apresentada em meados do fim de 2024 e com início das vendas em meados de 2025. Conhecido internamente como Projeto D90B ou ‘Next B', a Toyota ainda não comenta muito sobre o utilitário esportivo. Até o momento, sabe-se que ele será o primeiro a ser desenvolvido a partir de uma plataforma modular DNGA, a versão emergente da TNGA. Desenvolvida pela Daihatsu, a nova plataforma usa aços menos sofisticados a fim de diminuir os custos de produção, assim como tem um processo produtivo mais simples. Ele deve ser um pouco maior que os 4,18 metros de comprimento e 2,56 metros entre os eixos do Yaris Cross, possivelmente na casa dos 4,30 metros. O modelo será produzido em Sorocaba (S

Toyota diminui ainda mais a projeção de vendas e produção para o ano fiscal de 2021

Imagem
A Toyota voltou a reduzir a sua estimativa de vendas para o ano-fiscal de 2021. Por conta da crise dos semicondutores, a marca viu as expectativas diminuírem ainda mais. Previsto para terminar neste mês de março, o ano fiscal da marca será encerrado com queda de cerca de 21% no lucro operacional no terceiro trimestre de 2021, encerrado em dezembro. Estima-se que foram vendidas cerca de 8,25 milhões de unidades em todo o mundo, em vendas, sendo que a projeção anterior era de 8,55 milhões de unidades. A produção caiu de 8,8 milhões para cerca de 8,5 milhões. “Não achamos que esse desequilíbrio entre a demanda e a oferta de microchips melhorará tão cedo e, juntamente com os surtos de coronavírus, as perspectivas ainda permanecem incertas” , disse um executivo da Toyota em entrevista ao Automotive News Europe . “Esta situação incerta provavelmente continuará no próximo ano fiscal” , concluiu. “O plano para 8,5 milhões de unidades é baseado em levarmos em conta todas as faltas de fornecimen

Toyota aposta em nova plataforma para eletrificados, a E3, que estreia até 2025

Imagem
A Toyota confirmou que desenvolve uma nova plataforma específica para modelos elétricos, chamada de E3. Essa base será diferente da e-TNGA que é usada atualmente pelo primeiro elétrico puro da marca, o bZ4X. A nova arquitetura deve ser utilizada não só para elétricos, mas também para modelos híbridos e híbridos plug-in dentro de uma estratégia de eletrificação que a marca vai apostar dentro de alguns anos. Além disso, essa plataforma será essencial para fazer com que a marca japonesa seja puramente livre de emissões de poluentes em 2035 na Europa. Diferente da maioria das suas concorrentes, a base E3 pode ser uma plataforma eclética e não uma base feita só para elétricos. "Estamos convencidos de que a jornada para a neutralidade de carbono não será apenas elétrica, será eclética, ou seja, englobará múltiplas tecnologias e combustíveis que levam ao mesmo destino" , destacou o CEO da Toyota Europa, Matt Harrison, em entrevista ao Automotive News Europe. Essa nova plataforma ain

Toyota vai fazer um cupê esportivo com motor 1.0 Turbo em parceria com Suzuki e Daihatsu

Imagem
A Toyota e a Suzuki contam com uma parceria de alguns anos já. As marcas já dividiram modelos entre si. Um desses modelos pode estar em desenvolvimento, assim como a Toyota conta com um esportivo criado em conjunto com a Subaru (GR86) e outro com a BMW (Supra), a Toyota vai ter um terceiro esportivo desenvolvido em conjunto com a Suzuki. O modelo deve ser um esportivo bem compacto, ao estilo do Honda S660. Com isso, espera-se um modelo de dois lugares e com motor 1.0 Turbo. A Toyota contará com o apoio da Daihatsu, que também entra no projeto e também pode ter uma versão sua, de acordo com a revista japonesa BestCar. Segundo informações, o projeto deve contar com uma plataforma que vai trazer um motor central que vai sustentar esses três modelos. O carro ainda deve contar com um motor a combustão mas não se descarta a possibilidade de contar com um motor a hidrogênio, desenvolvido pela Toyota. Atualmente, o único motor 1.0 12v Turbo que a Toyota possui atualmente é o motor que está no

Daihatsu pode não vir, mas base DNGA criada pela marca vem em SUV compacto da Toyota

Imagem
Recentemente surgiu um rumor de que a Daihatsu poderia retornar ao mercado brasileiro. Apesar disso ainda ser incerto, o que já está confirmado é que a Toyota vai usar a plataforma modular criada para marca de baixo custo criadora de subcompactos e compactos, chamada de DNGA. Essa base vai estrear com o Yaris Cross no Brasil e a possível nova geração de Yaris Hatch e Yaris Sedan, que no momento parece congelada/descartada. A nova plataforma é uma versão mais simples da TNGA, que hoje é a base de Corolla e Corolla Cross. É basicamente o mesmo movimento que a Volkswagen faz suas bases MQB e MQB-A0, por exemplo. De acordo com informações do site Auto+ , esse novo SUV ficará abaixo do Corolla Cross e terá a nova plataforma DNGA. Entrando finalmente no segmento de SUVs compactos, a Toyota deve usar o “know-how da Daihatsu mas com a qualidade de um Toyota”, destacou a fonte para o site. O mesmo ainda disse que o carro terá um motor desenvolvido especialmente para ele que não será um 1.0 12v

Daihatsu parece estar na mira de retornar ao Brasil, com produção do Rocky em Sorocaba

Imagem
A Toyota confirmou no ano passado que estudava a vinda da Daihatsu no mercado brasileiro. Agora, o site Autos Segredos confirmou que o SUV subcompacto Rocky será produzido na fábrica de Sorocaba (SP). Conhecido internamente como Projeto DB03B, a Toyota Group estaria em fase de cotações para fazer a produção do modelo entre 2024 a 2025. Desenvolvido sobre a plataforma DNGA, o carro possui 3,99 metros de comprimento, 2,52 metros entre os eixos, 1,69 metro de largura e 1,62 metro de altura, o Rocky é desenvolvido sobre a plataforma modular DNGA, uma versão mais simples da TNGA. Ano passado, Rafael Chang, Presidente da Toyota Brasil, já tinha confirmado em entrevista ao UOL que a marca estava no radar do país. “É uma das opções que nós temos. A Daihatsu é uma marca do Grupo Toyota que está focada em carros menores. Isso vai depender muito das condições de cada mercado, se vai dar pra introduzir a marca Daihatsu ou continuar com a marca Toyota” , disse Chang. Atualmente a Daihatsu é uma mar

Nova geração do Toyota Yaris emergente estreia em 2022 na Ásia e terá motor híbrido em 2023

Imagem
A Toyota não confirma, mas os novos Yaris emergentes devem ser apresentados em 2022 nos demais mercados, como a Ásia, por onde ele estreia primeiro. Com a atual geração em linha desde 2013 e com uma pesada mudança em 2017, o modelo chegou ao Brasil no mesmo ano. Agora, ele é vendido com uma nova reestilização, apresentada em 2020 e que vem ao Brasil em 2022. No mesmo ano, ele deve ganhar uma nova geração no exterior, possivelmente em agosto de 2022. Desenvolvido sobre a plataforma modular DNGA, mais simples que a TNGA, ele será o responsável por ter uma versão híbrida. Por lá, essa versão híbrida deve ser revelada em 2023, segundo informações do site Autoindustriya . Em agosto de 2022 ele será apresentado em mercados como Tailândia, Filipinas, Indonésia e Malásia. Ele está em desenvolvimento em conjunto com a Daihatsu e a Perodua. É a Daihatsu que deve cuidar da criação de carros da Toyota nestes mercados asiáticos. Conhecida internamente como D92A, a nova geração está nas mãos da Daih

Daihatsu e Suzuki se unem em joint-venture com a Toyota para desenvolver tecnologias

Imagem
A Daihatsu e a Suzuki devem se unir em uma joint-venture com a Toyota para o desenvolvimento de comerciais leves elétricos, liderado pela Toyota. A parceria deve ser feita para a Commercial Japan Partnership, joint-venture que ainda possui empresas japonesas como Hino e Isuzu. A joint-venture deve fazer com que os comerciais leves sejam conectados, tenham propulsão elétrica e condução autônoma. A oint-venture deve focar em alguns pontos como: 1. Melhorar a eficiência logística através da construção de uma infraestrutura de tecnologia conectada que ligue as principais artérias da logística com os capilares da logística; 2. Expansão de veículos comerciais para miniveículos, com o uso de tecnologias de segurança avançadas que contribuem para a segurança e proteção e; 3. Cooperar no uso de tecnologias para a eletrificação de miniveículos de baixo custo e de alta qualidade que possam ser disseminados de forma sustentável. Tanto a Suzuki como a Daihatsu devem contar com 10% de participação n

Toyota confirma que deve ter carbono neutro até 2035 e reduz meta global em 15 anos

Imagem
A Toyota confirmou que os próximos anos da marca devem significar a passagem por mais uma fase de revolução. A informação foi confirmada pela marca que acredita que deve passar por um processo tão revolucionário quanto o lançamento do Prius, em 1997. A marca confirmou que a sua meta de emissão de poluentes neutro até meados de 2050. A marca reduziu a sua meta para 2035, 15 anos antes do previsto inicialmente. "A Toyota enfrentará uma série de desafios para tornar suas fábricas neutras em carbono até 2035. Queremos conseguir fábricas verdes. A neutralidade do carbono nos dá a oportunidade de repensar fundamentalmente a produção" , disse Masamichi Okada, Gerente de Produção do Grupo, em uma apresentação online. Com isso, a Toyota deve passar a fazer mudanças no processo de pintura de seus carros como uma das mudanças iniciais. Essa pode ser uma das iniciativas mais interessantes da marca que mais vende automóveis no mundo, a fim de diminuir as emissões de CO2. Contando com vend

Toyota confirma que deve ter produção recorde em 2021, ultrapassando os 10 milhões

Imagem
A Toyota confirmou que pretende manter a liderança global de vendas neste ano de 2021. Para o ano fiscal de 2022, que corresponde aos resultados de 2021, a marca espera chegar à marca de 10,4 milhões de unidades produzidas globalmente, um número que não seria difícil de alcançar se nada no mundo não estivesse acontecendo. Além da pandemia do COVID-19, a falta de semicondutores também pode atrasar a marca japonesa a chegar em sua meta. Contando com vendas da Toyota Group, que conta com Toyota, Lexus e Daihatsu, a marca pretende chegar a uma marca recorde mesmo com as adversidades de produção atuais. Os fornecedores da marca devem formar suas estratégias de investimento até o ano fiscal de 2022, baseando-se em informações, esperando que regiões como China e Estados Unidos possam ser primordiais para impulsionar o crescimento da marca globalmente. Segundo a japonesa, para o ano fiscal de 2022 é esperado que sejam produzidos 7,1 milhões de unidades no exterior e 3,3 milhões de unidades no

Toyota firma parceria com Daihatsu, Mazda, Subaru e Suzuki para criar comunicação dos carros

Imagem
A Toyota possui um elo com várias outras conterrâneas, que devem todas se tornar parceiras. Marcas como Toyota, Daihatsu, Mazda, Subaru e Suzuki devem cooperar para o desenvolvimento de dispositivos de comunicação para as futuras gerações dos seus carros. O uso em comum dos sistemas deve permitir que as marcas possam vincular automóveis e a sociedade, além de novos atrativos, serviços e valores. Chamado de CASE (abreviação para Conectado, Autônomo, Compartilhado e Eletrificado), a parceria deve rápidos avanços na comunicação e dados de tecnologia para os novos carros. As cinco marcas devem contar com serviços em nuvem, inteligência artificial, big data e IoT. Cada marca desenvolve um serviço conectado, como funções de operações remotas e cada uma das cinco deve criar e implementar os recursos relevantes que deseja incluir. Marcas como Daihatsu, Mazda, Subaru e Suzuki devem incorporar suas próprias tecnologias à tecnologia inicial da Toyota, constituindo juntas, as cinco, um sistema de

Depois de quatro anos, Daihatsu deve desenvolver o DN-Trec como Lager no Japão

Imagem
A Daihatsu enfim deve desenvolver a versão de produção do DN-Trec Concept, apresentado no ano de 2017. O SUV subcompacto será a segunda aposta da Toyota para esse segmento de subcompactos, sendo que o Rocky foi apresentado como um modelo de 3,99 metros de comprimento. A versão de produção do DN-Trec deve ser batizada de Lager e será apresentado ainda em 2021 no Japão. Ainda não se sabe quais foram os motivos de desenvolver mais um modelo com porte similar ao Rocky. Isso porque o DN-Trec foi apresentado como conceito com seus 3,98 metros de comprimento, 2,50 metros entre os eixos, 1,69 metro de largura e 1,60 metro de altura. Desenvolvido pela plataforma modular DNGA, variante mais acessível da TNGA. Já o Rocky possui 3,99 metros de comprimento, 2,52 metros entre os eixos, 1,69 metro de largura e 1,62 metro de altura, feito sobre a mesma plataforma modular DNGA. Segundo informações, ambos os modelos devem ter funções diferentes dentro da linha da Daihatsu. Enquanto o Rocky deve ser um m

Daihatsu apresenta os primeiros detalhes das suas novidades para o Salão do Automóvel de Tóquio

Imagem
A Daihatsu apresentou as primeiras imagens dos seus conceitos para o virtual Salão do Automóvel de Tóquio, no Japão. Como a pandemia fez com que quase todos os eventos do mundo fossem cancelados, a Daihatsu irá ao Salão de Tóquio com cinco conceitos. O primeiro modelo apresentado é o Copen Spyder Ver, que deixa o carro com um novo design e que o aproxima a um kart, com muitos acessórios que podem ser encontrados em um Copen GR Sport. O modelo é desenvolvido com rodas BBS, volante MOMO e uma suspensão especialmente ajustada para essa configuração. Ele possui um motor 0.7 12v que desenvolve 63cv de potência. Além dele, a Daihatsu apresentou o Hijet Truck Sportza Ver, desenvolvido a partir do Hijet convencional. O modelo não conta com teto e converteu o comercial leve em um roadster com um design bem provocativo. O modelo possui um para-brisa reduzido, rodas de liga leve vermelhas e saídas de escape nas laterais. O seu motor terá apenas 50cv. Outro Hijet preparado para o evento foi o Jumb

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Egea é o nome oficial do sedã médio da Fiat que deve ser apresentado oficialmente e pode chegar ao Brasil!

GWM revela imagens e informações do nosso Haval H6, que estreia em breve no Brasil

Nova geração do Dacia Duster continua na Renault como 'linha Adventure' na Austrália

Nissan convoca recall da Frontier 2023, com defeito na fixação do freio traseiro

Prevista para 2023, a nova geração do BMW i8 pode ser totalmente elétrica

BMW revela detalhes da sua bateria cilíndrica, que estará nos carros com base Neue Klasse

Peugeot revela teaser de novidades elétricos em evento na Europa, o 'E-Lion Day'

Ford quer fazer com que seus carros elétricos sejam mais competitivos nos Estados Unidos

Mazda já desenvolve uma nova geração do MX-5, que estreia até o fim do ano que vem

Nem elétrico e muito menos um SUV: Bugatti confirma que não terá nenhum em dez anos