Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Renault Group

Lada XRay é o primeiro a sair de linha na Rússia, definitivamente, por conta de embargos

Imagem
Com guerra entre Rússia e Ucrânia, embargos e venda da Lada pela Renault Group fizeram com que a marca russa se despedisse do XRay A Lada confirmou que a guerra entre Rússia e Ucrânia fez a sua primeira vítima, oficialmente falando. Agora, o XRay foi confirmado que está morto. A AvtoVAZ confirmou que o morte do hatch também está ligado com os embargos de todos os países ocidentais. Primo do Renault Sandero, o XRay era basicamente um ‘Sandero russo’ e usava componentes que eram produzidos pela marca francesa em outros países. Com os embargos, as peças não podem chegar na Rússia, onde ele é produzido. A Lada teria duas alternativas: produzir as peças na Rússia, o que demandaria tempo, ou decretar o fim de linha. “A resposta curta é nunca. Não planejamos retomar sua produção, pois um conjunto muito grande de componentes automotivos usados ​​neste carro está bloqueado para entregas hoje” , disse Maxim Sokolov, Presidente da AvtoVAZ. Primo do Renault Sandero, o Lada XRay foi lançado em

Renault e Mobilize fecham parcerias com Zarp Locadora e Housi no mercado brasileiro

Imagem
Mobilize e Renault fecham parceria com a Zarp Locadora para alugar 200 unidades do Renault Kwid E-Tech Electric, exclusivamente para motoristas do Uber A Renault confirmou que a Mobilize fechou uma parceria com a Zarp Locadora para o aluguel de 200 unidades do Renault Kwid E-Tech Electric. As 200 unidades do hatch compacto serão oferecidas para motoristas do Uber, que vão poder alugar o elétrico e trabalhar com ele. Os veículos foram assinados, por meio do Renault on Demand, um serviço Mobilize Financial Services, pela Zarp Localiza, empresa que irá disponibilizar para motoristas da Uber selecionados em São Paulo. Esses motoristas terão acesso a eletropostos da Shell Recharge, instalados nas lojas da Zarp Localiza, e a um ponto de recarga da Copel, que, por meio de uma parceria com a Renault e Mobilize, prestará o serviço com dois carregadores elétricos em uma unidade do hipermercado Carrefour. “Para nós, da Mobilize, é muito importante fazer parte deste ecossistema de empresas de va

Renault e Geely revelam teaser de um SUV cupê que será produzido na Coreia a partir de 2024

Imagem
A Renault Korea confirmou que vai produzir um novo modelo na Coreia do Sul, podendo ser um primeiro veículo que será fabricado a partir da parceria da Renault-Geely. O modelo tem lançamento previsto para acontecer em meados de 2024 e é um utilitário esportivo de perfil cupê. Além de abastecer a produção para o mercado local, o SUV será fabricado para ser exportado para outros mercados. Ele será desenvolvido a partir da plataforma CMA, criada pela Volvo. Outra novidade é que o carro virá com um motor híbrido e atuará no segmento D, ou seja, médio-grande. “Este veículo também demonstra a capacidade da RKM de capitalizar a nova e muito promissora plataforma híbrida. Levará seus ocupantes para um futuro em que tecnologia e inovação conectarão mobilidade e vida digital e oferecerão serviços atenciosos aos nossos clientes.” , disse a Renault Korea em um comunicado à imprensa. Além do perfil de um SUV cupê, a primeira imagem revelada mostra que ele terá faróis dianteiros retangulares e um cai

Mobilize, da Renault, fecha parceria com a Estacar e com a Ecovagas no Brasil

Imagem
A Mobilize, braço de mobilidade da Renault Group, confirmou que fechou uma parceria com a Estapar, maior empresa de estacionamento do país. A Estapar ainda faz parte das ações do eixo de energia e visa oferecer aos clientes a recarga gratuita dos veículos elétricos por meio da Ecovagas – primeira rede de carregamentos de veículos elétricos semipública integrada e conectada do Brasil, criada em 2020 em uma parceria entre a Estapar e a EnelX. “No Brasil, temos diversas iniciativas de mobilidade e energia, alinhadas com a estratégia mundial Mobilize. Nosso objetivo é oferecer soluções para as diversas necessidades dos clientes” , explica Ricardo Mendes, Head Mobilize no Brasil. A Estapar ainda possui uma parceria com a EnelX, com a rede Ecovagas, que oferece mais de 200 pontos de recarga instaladas em 29 cidades e em 13 estados. Todos esses carregadores usam o plugue padrão tipo 2, compatível com os veículos 100% elétricos Renault. Os proprietários e usuários de veículos elétricos da Rena

Renault Group e Vitesco Technologies fecham parceria para criar novos motores elétricos

Imagem
A Renault Group confirmou uma parceria com a Vitesco Tecnologies para o desenvolvimento de uma nova gama de motores elétricos. A Vitesco é um dos maiores fabricantes de tecnologias de acionamento e soluções da eletrificação. As duas empresas anunciaram a assinatura da sua parceria estratégica para o desenvolvimento de novas unidades de potência chamadas de One Box. Sob este acordo, ambos os parceiros unirão as suas forças, contribuindo, através de seu know-how e experiência, para o desenvolvimento conjunto de um conceito de eletrônica de potência único no mercado. O Renault Group trará sua experiência elétrica e híbrida, enquanto a Vitesco Technologies fornecerá suas tecnologias e processos “melhores da categoria”. O objetivo é uma unidade eletrônica chave que combine todos os componentes em um compartimento: o conversor CC-CC 1, o carregador integrado OBC2 e o inversor3. As equipes do Renault Group e da Vitesco Technologies definirão os produtos e processos de montagem desta "One

Renault Group revela mais um teaser das novidades que vai revelar no Salão de Paris

Imagem
A Renault vai detalhes da sua apresentação no Salão do Automóvel de Paris, na França, que abre suas portas entre os dias 17 a 23 de outubro de 2022. De acordo com a marca, serão apresentadas seis novidades num total, com carros da Renault, Dacia, Alpine e Mobilize. A Renault Group confirmou que serão três novidades da Renault, com o Renault 4 Concept, Kangoo E-Tech Electric com versões de passageiro e o Renault 5 Concept, que pode receber novidades no evento. Já a Dacia vai ao Salão de Paris apresentar a sua nova identidade visual, em uma etapa estratégica que representa um desafio automobilístico histórico, com um novo design para adentrar um território de marca que vai além dos modelos. A Alpine confirmou a apresentação de um novo conceito que vai remeter a esportividade de hoje e do amanhã. Inédito, o conceito vai antecipar uma novidade da marca no futuro, fazendo parte da estratégia de produto e para os esportes a motor, com uma nova etapa na transformação da marca. Já a Mobilize v

CEO da Renault quer dividir suas operações entre elétricos e a combustão, como a Ford fez

Imagem
A Renault Group confirmou que pode investir no mesmo sistema empresarial da Ford, que dividir suas operações entre os carros a combustão e os elétricos. Os franceses já estavam cogitando partir para esse método, a fim de ‘corrigir a avaliação do grupo’. A informação foi confirmada pelo CEO da Renault Group, Luca De Meo, que disse que cada uma das Renaults (ICE e BEV) teriam cerca de 10.000 funcionários. “Todas as pesquisas e estudos que fizemos já confirmaram o potencial muito forte desta operação, mas todas as opções ainda estão na mesa” , destacou De Meo. Esse movimento poderia estar centrado na França, enquanto suas operações de combustão interna seriam baseadas em mercados globais. Isso porque a maioria dos seus carros com algum motor a combustão são produzidos em outros países como a Espanha, Portugal, Romênia, Turquia e toda a América Latina, como Argentina, Brasil e Colômbia, além de outras regiões do globo. Essa divisão entre as empresas pode ser uma solução interessante para a

Fábrica que era da Renault na Rússia em Moscou pode ser usada pela Moskvich e a JAC

Imagem
Depois da Renault Group ter cedido sua fábrica de Moscou para a gestão municipal da cidade, a unidade pode acabar ganhando um novo destino. Os rumores sobre o retorno da Moskvich parece que são reais e podem ganhar ajuda chinesa. De acordo com informações do Automotive News Europe , a Moskvich poderia ser ajudada pela JAC, que poderia ceder alguns carros para a marca começar a vender. Como a Moskvich deve ter um apoio financeiro da Kamaz por trás, não se duvide que uma parceria com os chineses pode resultar num retorno até mesmo rápido. O motivo disso é que a Kamaz possui uma parceria com a JAC na área de caminhões, ou seja, a parceria já pode ser um meio caminho andado. Questões de design, engenharia e produção seriam tomadas pela assistência da JAC. Segundo as informações da agência de notícias, a marca russa retomaria a produção em Moscou no último trimestre de 2022, o que parece ser um movimento que vá custar agilidade. Isso porque teria que trocar todo o maquinário da Renault para

Moskvitch pode voltar na Rússia com saída da Renault; marca terá Kamaz como parceira

Imagem
A saída da Renault Group da Rússia pode acarretar no retorno de uma velha marca russa ao mercado. Trata-se da Moskvitch, que pode usar a fábrica de Moscou para a produção de antigos automóveis da Renault. De acordo com a Agência Reuters, o Prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, confirmou que as fábricas que eram da Renault serão nacionalizadas. Esse é um dos motivos que podem fazer com que a Lada possa fazer com que o Renault Duster seja, na verdade, a nova geração do Lada Niva (veja aqui), enquanto os demais modelos podem se tornar um Moskvitch. “O proprietário estrangeiro decidiu fechar a fábrica da Renault em Moscou. Tem o direito de fazer isso, mas não podemos permitir que milhares de trabalhadores fiquem sem trabalho. Em 2022, abriremos uma nova página na história do Moskvitch.” , destacou Sobyanin em seu blog. De acordo com informações, o maquinário deixado pela Renault poderia ser reaproveitado. “Leva pelo menos dois anos e pelo menos US$ 1 bilhão para desenvolver um carro novo” ,

Renault Group é contra a eletrificação de um dia para o outro, destaca executivo

Imagem
A Renault Group confirmou, por meio do CEO do grupo, Luca De Meo, que a eletrificação não deve ser uma mudança da noite para o dia. Isso pode trazer mudanças que são indesejáveis para o meio ambiente. De acordo com De Meo, durante o Financial Times, em evento chamado de Future of the Car Summit, confirmou que os carros elétricos vão chegar ao portfólio das marcas da Renault Group gradativamente. De Meo destaca que os carros elétricos ainda precisam chegar a uma paridade aos carros a combustão, por conta da alta demanda de materiais e dos altos custos de matérias-primas. “A primeira coisa que quero dizer é que a Renault está obviamente muito comprometida com os veículos elétricos. Começamos muito cedo aqui e continuamos acreditando que o EV e talvez o hidrogênio possam ser uma boa solução para algumas aplicações. Mas se você observar os dados, fica evidente que as vendas de motores a combustão – incluindo híbridos – ainda não atingiram seu pico. Existem desafios, em todas as perspectiva

Geely Group compra 34% da Renault Korea, em parceria com a Renault Group, na Coreia

Imagem
A Renault Group e a Geely Group fecharam uma parceria com a Renault Korea (ex-Samsung) para dividir parte da unidade fabril na Coreia do Sul. A joint-venture incide sobre a Renault Korea, que vai produzir também os modelos da Geely na sua fábrica sul-coreana. De acordo com o anúncio da parceria entre as empresas, a Geely Group adquiriu 34,02% do capital social total da Renault Korea Motors (RKM). Por enquanto, a Renault Group continua como acionista majoritário, mas a Geely pode adquirir até 50%. A parceria entre a Renault e a Geely começou em janeiro deste ano, para o desenvolvimento de uma linha de automóveis a combustão e híbridos. Todos os novos modelos serão produzidos na unidade de Busan, na Coreia do Sul. A produção deve começar em meados de 2024. Esses novos automóveis serão desenvolvidos a partir da plataforma modular da Geely, a CMA, a mesma usada por alguns automóveis da Volvo, como o XC40. A base foi desenvolvida no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento da Suécia, da Vol

Renault Group sai oficialmente da Rússia; fábrica de Moscou pode ressuscitar marca

Imagem
Fim do caso Renault Group e Rússia. Depois de vender a Lada por pouco mais de centavos, os franceses decidiu o seu futuro no país. De acordo com Luca De Meo, Presidente-Executivo da Renault, tinha confirmado em maio que a marca ainda não tinha decidido sobre o que seria feito. Agora, a Renault Group confirmou que vai vender seus ativos na Rússia, incluindo a sua fábrica em Moscou, capital do país. “Hoje, tomamos uma decisão difícil, mas necessária, e estamos fazendo uma escolha responsável em relação aos nossos 45.000 funcionários na Rússia, preservando o desempenho do Grupo e nossa capacidade de retornar ao país em um futuro, em um contexto diferente. Estou confiante na capacidade do Grupo Renault de acelerar ainda mais sua transformação e superar suas metas de médio prazo.” , destacou De Meo. A Renault não tinha muito o que fazer, a não ser abrir mão de um dos seus maiores mercados por conta de pressões externas e internas. De acordo com informações, os ativos da Renault Group na Rús

Renault revela um novo teaser do carro movido a hidrogênio, que aparecerá no dia 19/05

Imagem
Desde o mês passado, a Renault confirmou a estreia de um novo modelo eletrificado da marca, que será apresentado como conceito no próximo dia 19 de maio. O modelo em questão será movido a hidrogênio e mostrou um novo vídeo que revela alguns detalhes do carro. De acordo com a Renault, o conceito terá 70% dos materiais reciclados e cerca de 95% dos materiais serão reciclados, com foco na sustentabilidade. O painel do carro contará com um material que parece ser transparente, tendo ainda uma iluminação ambiente. Em novas imagens, o carro ainda possui um emblema da Renault iluminado, com um desenho com faróis dianteiros com quatro projetores em LED, conectados ainda com faróis auxiliares abaixo. O vídeo-teaser foi antecipado por Luca De Meo, CEO do Grupo Renault e da marca Renault, vai realizar a Conferência de Imprensa juntamente com Gilles Vidal, Vice-Presidente da marca Renault e o convidado especial Jean-Michel Jarre, Compositor, performer, produtor e embaixador cultural. O evento acon

Empresa de centavos: Renault Group vende Lada por menos de dez centavos de reais

Imagem
A Renault Group parece ter resolvido o imbróglio que a guerra (inútil) entre Ucrânia e Rússia trouxe para o grupo francês. A Renault parece ter vendido suas operações na Rússia para um grupo de investidores russos, que terão a marca Lada. Os franceses contam com uma alta participação na AvtoVAZ, que é a responsável por controlar a Lada, que foi repassado para a instalação de pesquisa automotiva russa, NAMI. De acordo com a Agência Reuters, a AvtoVAZ foi vendida pelo equivalente a 1 rublo, ou seja, R$ 0,07. Sim, centavos. Os 68% de participação foram transferidos para a NAMI. Atualmente, a nova dona da AvtoVAZ é uma instituição com mais de um século de existência e é a principal organização científica da Rússia, no campo do desenvolvimento da indústria automotiva. O acordo foi realizado com a oportunidade de a Renault readquirir a AvtoVAZ entre cinco a seis anos, mas não por esse valor. De acordo com informações, Denis Manturov, Ministro do Comércio, destacou: “Se nesse período fizermos

Renault cogita mesmo dividir suas operações e pode vender parte das ações que tem da Nissan

Imagem
No mês passado surgiu as primeiras informações de que a Renault queria seguir a mesma proposta de reorganização que a Ford fez na sua operação, dividindo a marca em elétricos e modelos a combustão. Agora surgem rumores de que a Renault Group realmente estima fazer isso dentro de alguns meses. Chefiada por Luca de Meo, CEO da Renault, a marca também pode buscar por investimentos em IPO, o que ajudaria no desenvolvimento de novos elétricos, por exemplo. "A eletricidade é outra tecnologia, outro modelo de negócio, portanto merece um perímetro organizacional completamente dedicado, e isto nos permitirá mostrar ao mundo que, quando se trata de carros elétricos, somos muito bons. A ideia é eventualmente chegar a um acordo para encontrar sinergias mais fortes, seja com a Nissan, se ela quiser pular na onda, ou com outra pessoa, ou com investidores de longo prazo" , detalhou de Meo em evento interno da Renault. Enquanto o assunto é debatido dentro da Renault, os franceses enfrentam p

Renault considera criar divisão de elétricos e carros compartilháveis em bolsa de valores

Imagem
Com planos de ampliar sua eletrificação dentro de alguns anos, a Renault considera criar uma divisão de elétricos, assim como a Ford fez, que faria com que todos os modelos elétricos fossem desenvolvidos por um mesmo time – o que agilizaria a criação dos carros. A divisão em dois na marca manteria o mesmo nome e tudo se manteria o mesmo, apenas um lado focando apenas em elétricos e o outro em modelos a combustão e híbridos. De acordo com o CEO da Renault, Luca De Meo, a Renault "está estudando a possibilidade de reunir suas atividades e tecnologias 100% elétricas dentro de uma entidade dedicada na França para acelerar seu crescimento". Essa informação partiu depois de uma reunião da administração do grupo com analistas, que identificaram a possibilidade. Com isso nasceria as divisões New Mobility e Mobilize, de acordo com a Agência Bloomberg , que seria diferente da divisão de modelos a combustão. De acordo com alguns rumores, a Renault pode lançar um IPO, ou uma “oferta públ

Renault teme tomada da Lada por parte da Rússia e volta a produzir carros depenados

Imagem
A Renault Group confirmou que teme que a Lada seja ‘tomada a força’ pelo governo russo. A empresa, que tem quase 70% da AvtoVAZ, empresa que gerencia a Lada, pode acabar encontrando um novo dono para a empresa russa. De acordo com algumas informações, a Renault Group estaria disposta a transferir toda sua participação para um investidor russo. Este é a Rostec State Corporation, uma acionista-chave do empreendimento. A possível transferência com esse investidor logo esfriou e o grupo francês estaria cogitando outras opções. A Renault já mantou retomar a produção, mas teve que parar em menos de 48h depois. Sendo a Rússia o segundo maior mercado da Renault, atrás apenas da França, a situação se torna delicada pela forma de que a Lada é um braço importante nesse processo de recuperação financeira do grupo. “Embora a Renault esteja exposta à Rússia por causa de suas grandes operações lá, estamos mais preocupados com sua capacidade de manter um bom desempenho à luz de prováveis ​​interrupçõe

Renault-Samsung vira Renault Korea e dá fim à marca Samsung, mas manterá logotipo

Imagem
A Samsung deixou de existir na Coreia do Sul. Calma, não é a marca (muito provavelmente) do seu celular. A Samsung como marca de automóveis existia apenas na Coreia do Sul e era controlada pela Renault. Por lá, a empresa perdeu bastante a sua participação que tinha, mas a concorrência caseira de Hyundai e Kia não ajudou em nada. Com isso, a Renault decidiu dar um fim na marca e por lá vai estrear como Renault Korea, mais uma filial para a marca francesa. Nas próximas semanas será finalizada a transição de Renault-Samsung para Renault Korea. Isso já era discutido como uma possibilidade na Coreia do Sul por conta do contrato com a Samsung ter acabado em 2020, mas teve uma extensão da parceria por mais dois anos, chegando a 2022. Agora, parece que nenhuma das partes quer seguir com a Samsung entre os automóveis, nem a Samsung (que segue em todas as outras áreas que atua) e nem a Renault. A Samsung contará com uma pequena participação de ações da Renault Korea e a cada unidade vendida como

Lada, Rússia e Renault: conflito na Ucrânia vai prejudicar relação entre Renault e Lada?

Imagem
Maior marca da Rússia e uma das mais vendidas no leste europeu, a Lada é uma marca que vai sofrer bastante com o conflito provocado pelo presidente da Rússia em relação à Ucrânia. De acordo com as informações deste primeiro mês de invasão russa na Ucrânia, a Lada já se vê em perigo. Com uma série de sanções impostas às empresas russas por uma série de países, a Lada vai sofrer consequências daquilo que nem tem culpa. A marca, gerenciada pela AvtoVAZ, que é de 68% propriedade da Renault Group, teme pelo futuro que a marca vá levar. No início do mês, a Lada parou a produção entre os dias 5, 9 e 11 de março, nas unidades de Togliatti e Izhevsk, ambas na Rússia, por falta de componentes. Um Porta-Voz da AvtoVAZ ainda confirmou que os trabalhadores dessas unidades devem receber salário parcial ou serão demitidos. Atualmente, cerca de 20% de todas as peças que compõem os modelos da Lada vem de produção importada, principalmente recursos eletrônicos. A maior parte das peças vêm de peças produ

Renault Group teme destino e a produção dos Lada, por conflito entre Ucrânia e Rússia

Imagem
A Lada deve sofrer bastante com a Guerra da Ucrânia. Depois dos movimentos militares que a Rússia fez ao seu país vizinho, uma série de países implicaram sanções a maioria dos produtos que são feitos na Rússia. Atualmente, a AvtoVAZ, maior fabricante de carros da Rússia é de 75% da propriedade da Renault Group. Cerca de 90% das vendas totais da marca acontecem na própria Rússia, sendo que a marca tem pouca penetração em outros mercados europeus e asiáticos. De acordo com o site Automotive News Europe , a Lada possui um estoque bastante grande de peças, o que deve aliviar a pressão sobre os mantimentos para manter a produção. De acordo com Luca de Meo, CEO da Renault Group, que cuida da operação russa do grupo francês com cuidado. Recentemente, Nicolas Maure, CEO da AvtoVAZ, anunciou que a Lada trabalha para garantir suprimentos alternativos de semicondutores eletrônicos no mercado. Por lá, além da Lada, a Renault tem na Rússia o seu segundo maior mercado. Na semana passada mesmo, a Lad

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Egea é o nome oficial do sedã médio da Fiat que deve ser apresentado oficialmente e pode chegar ao Brasil!

GWM revela imagens e informações do nosso Haval H6, que estreia em breve no Brasil

Nova geração do Dacia Duster continua na Renault como 'linha Adventure' na Austrália

Nissan convoca recall da Frontier 2023, com defeito na fixação do freio traseiro

Prevista para 2023, a nova geração do BMW i8 pode ser totalmente elétrica

BMW revela detalhes da sua bateria cilíndrica, que estará nos carros com base Neue Klasse

Peugeot revela teaser de novidades elétricos em evento na Europa, o 'E-Lion Day'

Ford quer fazer com que seus carros elétricos sejam mais competitivos nos Estados Unidos

Mazda já desenvolve uma nova geração do MX-5, que estreia até o fim do ano que vem

Nem elétrico e muito menos um SUV: Bugatti confirma que não terá nenhum em dez anos