Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Financeiro

Stellantis vai pagar quase 1 bilhão de euros para a GM por ações de Opel e Vauxhall

Imagem
Stellantis compra o restante de ações da General Motors referente à compra de Opel e Vauxhall, no valor de 923 milhões de euros A Stellantis confirmou a compra total de ações de Opel e Vauxhall ainda estavam sob domínio da General Motors. As 69,1 milhões de ações que estavam nas mãos dos norte-americanos serão adquiridos pela Stellantis. Essas ações representam cerca de 2,2% do capital social da Stellantis e para isso será pago o montante de 923.247.678 euros para a GM. Em troca, a Stellantis cederá 1,2 milhões de ações ordinárias da Faurencia para a GM, fornecedora de assentos e interiores automotivos. A Stellantis ainda vai pagar uma quantia agregada em dinheiro para os dividendos para a GM, que chegam a 130 milhões de euros. O acordo nada mais é que um passo afirmado entre os dois grupos em 2017, quando a então PSA adquiriu as empresas alemã e britânica. Já a GM confirmou que seu Conselho de Administração autorizou o reestabelecimento de um dividendo trimestral em dinheiro sobre

Ford quer fazer com que seus carros elétricos sejam mais competitivos nos Estados Unidos

Imagem
Ford confirma que quer ter um elétrico acessível no mercado europeu, que vai ser lançado em meados desta década, diz Diretor Executivo da marca A Ford confirmou que um novo carro elétrico será lançado na Europa nos próximos anos, como um compacto. Os menores custos de desenvolvimento farão com que os elétricos da marca sejam mais baratos. Em breve será lançado um SUV desenvolvido a partir da plataforma modular MEB. Além desse novo modelo elétrico, foi confirmado por Jim Farley, Diretor Executivo da Ford, em evento com concessionários sobre parte dos seus planos de baratear os elétricos. De acordo com a Agência Reuters , a Ford discute com as suas lojas para diminuir os preços dos carros elétricos em cerca de US$ 2.000. Além de diminuir suas margens de lucro, a Ford vem pedindo para seus concessionários reduzirem os custos de entrega dos veículos elétricos aos consumidores. Os novos planos da marca do oval azul ainda confirmam que a Ford quer achar uma nova maneira para competir com a

Desenvolvedora de condução autônoma, Aurora pode ser vendida para Microsoft ou Apple

Imagem
Aurora Innovation, uma das várias empresas desenvolvedoras da tecnologia de condução autônoma, pode ser vendida para gigantes como Microsoft e Apple A Aurora Innovation é uma empresa que trabalha no desenvolvimento da tecnologia de condução autônoma e no ano passado tinha fechado parceria com a Toyota pelo sistema. A empresa estaria avaliando a possibilidade de ser vendida para empresas grandes do setor de tecnologia, como Microsoft ou Apple, que parecem estar interessadas no desenvolvimento da tecnologia. De acordo com o fundador da Aurora, Chris Urmson, disse que a empresa poderia separar parte dos seus ativos para levantar caixa. A venda de alguns ativos faria com que a empresa pudesse levantar cerca de US$ 1,8 bilhão. Outra decisão que é estuda é que a Aurora seja vendida para as empresas citadas, com um valor de US$ 150 a US$ 300 milhões. A fim de manter uma boa saúde financeira, a mesma ainda estaria congelando salários, contratações e outras alternativas. Fora dos ativos e d

Lucid pode ter IPO para capitanear mais caixa, após sofrer com crise dos semicondutores

Imagem
Lucid pode entrar na bolsa de valores para capitanear novos recursos para engordar o caixa da empresa; marca pode arrecadar US$ 8 bilhões em ações A Lucid pode acabar entrando para a bolsa de valores como algumas empresas assim o fizeram. O movimento da marca pode ser uma segunda alternativa para aumentar o caixa, aumentando o poder financeiro da mesma. De acordo com as primeiras informações, se a operação for bem sucedida, a Lucid pode angariar cerca de US$ 8 bilhões apenas em ações. A marca ainda seria detentora do tamanho, preço e condições do momento da venda das ações, tendo um maior controle. De acordo com a Agência Reuters , atualmente a Lucid tem um valor de mercado de US$ 27 bilhões. O movimento da bolsa de valores com o IPO pode ir de encontro com a queda na arrecadação que a marca teve em 2022 por conta da crise dos semicondutores. A crise afetou a produção do sedã Air, que viu suas expectativas de vendas despencarem nos últimos anos. Até o final de 2022, a estimativa er

Rivian ainda não revela balanço financeiro do segundo trimestre; no primeiro, teve prejuízo

Imagem
A Rivian confirmou que vai conseguir entregar mais unidades no terceiro trimestre de 2022 e igualmente no quarto trimestre. Enquanto no primeiro trimestre foram 1.227 unidades, a marca passou para 2.553 unidades no segundo trimestre. A marca confirmou que a produção deve crescer, mas o segundo trimestre da marca ainda não teve informações fiscais se a marca teve lucro ou prejuízo. No primeiro trimestre, o prejuízo foi de US$ 410 milhões. De acordo com informações do site Automotive News, a Rivian deve ter um equilíbrio nas suas despesas no segundo trimestre. Citado pelo citado Automotive News , a Zacks Equity Research disse que “o aumento das vendas de veículos movidos a bateria em meio ao aumento das preocupações climáticas deve impulsionar os resultados da Rivian no segundo trimestre de 2022… Por outro lado, a Rivian – estando em estágio inicial de desenvolvimento – está queimando dinheiro . Custos operacionais maciços no segundo trimestre, decorrentes de atividades avançadas de dese

Lucid confirma que produção deve ficar em torno das 6 a 7 mil unidades do Air em 2022

Imagem
A Lucid confirmou que a expectativa de produção do Air em 2022 não será das maiores. De acordo com informações confirmadas pela empresa, a expectativa é produzir entre 6.000 a 7.000 unidades do sedã elétrico neste ano. No segundo trimestre de 2022, a marca conseguiu entregar apenas 679 unidades, praticamente o dobro das 360 unidades entregues no primeiro trimestre do ano. A marca produziu 1.405 unidades no primeiro semestre, entregando as 1.039 unidades dos dois trimestres. A Lucid registrou receita no segundo trimestre de US$ 97,3 milhões. De acordo com a Lucid, a marca possui uma fila de 37.000 unidades pelo Air, mas a falta de componentes e a instabilidade do mercado impede que a marca produza mais do que queira. “Nossa orientação de produção revisada reflete os extraordinários desafios de logística e cadeia de suprimentos que encontramos. Identificamos os principais gargalos e estamos tomando as medidas apropriadas – trazendo nossas operações de logística internamente, adicionando

e.Go Mobility pode alcançar valor de mercado de US$ 913 milhões em fusão com a Athena

Imagem
A e.Go Mobile confirmou que se tornou pública ao entrar para a bolsa de valores e vai entrar no mercado custando US$ 913 milhões. De acordo com informações, a e.Go Mobile, para chegar a esse valor de mercado, vai precisar se fundir com a (SPAC) Athena Consumer Acquisition Corp, que é uma empresa de aquisição de propósitos especiais focada no consumidor e habilitada para tecnologia, liderada inteiramente por mulheres fundadoras, CEOs, membros do conselho e outros executivos. Essa fusão vai fazer com que a e.Go Mobile tenha US$ 285 milhões em receitas, sendo os US$ 235 milhões da Athena e outros US$ 50 milhões em dívidas. Após o fechamento da transação, a empresa combinada será denominada "Next.e.GO NV" e deverá ser listada na Bolsa de Valores de Nova Iorque sob o símbolo "EGOX". O e.Go Life foi apresentado nos últimos meses como a primeira aposta de um automóvel da marca. A marca apresentou a versão aventureira do Life, chamado de e.Go Wave X. Visualmente, o carro po

Mercedes-Benz diz que EQE já tem quase a mesma margem de lucro do Classe E

Imagem
A Mercedes-Benz confirmou que os carros elétricos, apesar dos altos custos de desenvolvimento, já estão tendo quase a mesma margem de lucro dos carros a combustão tradicionais. Prova disso é a dupla EQE e Classe E, com o elétrico já tendo um lucro bem similar ao Classe E. “É mais ou menos o primeiro trimestre de vendas do EQE, mas neste momento a margem EQE está no ponto da margem do Classe E” , disse o CFO da Mercedes, Harald Wilhelm, ao Automotive News Europe . O executivo ainda confirmou que a margem de lucro do EQE pode até estar um pouco à frente do Classe E. Isso pode se repetir também com EQS e Classe S, por exemplo, no futuro. Atualmente isso não acontece, destaca Wilhelm. “Vimos que a margem EQS está começando a ficar saudável. Talvez não esteja exatamente no nível do Classe S, mas não está muito longe disso.” , confirmou o executivo. Recentemente, a Mercedes vem colocando metas de vendas de carros elétricos. A último meta que se tornou pública é nos Estados Unidos, onde a Mer

Stellantis comemora avanço de 50% nas vendas de elétricos no primeiro semestre de 2022

Imagem
A Stellantis comemorou os resultados de vendas no primeiro semestre de 2022, a nível global. Querendo se tornar uma das líderes globais em carros elétricos, a Stellantis confirmou que suas vendas deram um salto de 50% no primeiro semestre deste ano. Foram cerca de 136.000 unidades vendidas, crescimento em relação ao mesmo período de 2021. Juntando as marcas do grupo, a Stellantis atualmente vende 20 modelos elétricos e planeja aumentar para 28 carros em dois anos. “Em um contexto global exigente, continuamos a 'Ousar para frente', entregando um desempenho excepcional e executando nossa estratégia ousada de eletrificação. Juntamente com a resiliência, agilidade e mentalidade empreendedora de nossos colaboradores e nossos parceiros inovadores, estamos moldando a Stellantis em uma empresa de tecnologia de mobilidade sustentável que está apta para o futuro. Gostaria de expressar meu sincero agradecimento a todos os funcionários da Stellantis pelo comprometimento e sua contribuição

GM se une com o Departamento de Energia dos EUA, que será investidor da Ultium Cells

Imagem
A General Motors (GM) vai começar a contar com a parceria com a parceria do Departamento de Energia dos Estados Unidos, que vai trazer um investimento de US$ 2,5 bilhões para a Ultium Cells, joint-venture entre a GM e a LG Energy Solution. A parceria entre as empresas será para a construção de baterias para carros elétricos, onde o Departamento de Energia entra como um investidor do negócio. O dinheiro aplicado na joint-venture será um empréstimo que o Departamento de Energia fará na construção da fábrica e vai financiar a construção das fábricas da Ultium Cells em Ohio, no estado de Tennessee, e em Michigan, nos Estados Unidos. De acordo com a Agência Reuters , o investimento do Departamento de Energia dos Estados Unidos vem do programa de empréstimos Advanced Technology Vehicles Manufacturing (ATVM) do governo dos EUA. “Temos que ter capacidade de fabricação de veículos, mas também capacidade de fabricação de baterias. Este projeto fornece uma das mais recentes adições à escala de fa

Porsche confirma que seus carros elétricos já podem ser mais lucrativos já em 2024

Imagem
A Porsche confirmou que dentro de um futuro breve, os carros elétricos já vão começar a se tornar mais rentáveis que os carros a combustão. A informação foi confirmada pela marca durante uma reunião com investidores, onde a Porsche confirmou que os consumidores querem migrar para a tecnologia. "Nosso objetivo é expandir seletivamente segmentos de margem mais alta e aproveitar as oportunidades de preços de veículos elétricos." , disse Oliver Blume, CEO da Porsche. A marca alemã ainda confirmou que cerca de 80% de suas vendas serão de elétricos até meados de 2030. Além de Taycan e Taycan Cross Turismo, a Porsche prepara a chegada da segunda geração do Macan, que será puramente elétrico. Além deste, as novas gerações de Panamera e Cayenne também devem ser elétricos e a marca já fala em um utilitário esportivo elétrico de sete lugares, que já nasce como um elétrico puro. A percepção da marca é que os elétricos se tornem rentáveis a partir de 2024 e que em meados de 2027 seus carr

Aston Martin consegue investimento de fundo saudita para pagar dívidas e financiar o futuro

Imagem
A Aston Martin conseguiu o investimento que gostaria do fundo de investimentos da Arábia Saudita, assim como a Lucid conseguiu há alguns anos. Chamado de Saudi Public Investment Fund (PIF), será investido o montante de 78 milhões de libras na marca em troca de uma grande participação no negócio, com direito a duas cadeiras no conselho da marca. De acordo com a marca, o PIF passa a ter 16,7% da Aston Martin, sendo o segundo maior acionista, ficando atrás apenas de Lawrence Stroll, com 18,3%. Com o novo investimento, a marca vai buscar pagar suas dívidas e investir em novos produtos. Esses novos produtos incluem a chegada de um elétrico na linha, que será desenvolvido em parceria com a Mercedes-Benz. O carro será baseado em uma nova plataforma e contará com equipamentos da Mercedes até meados de 2026. “O anúncio de hoje marca o mais recente sucesso na evolução da Aston Martin, a restauração dos negócios e balanço patrimonial que herdamos e a aceleração do nosso potencial de crescimento a

Aston Martin volta a buscar por novos investidores que vão ajudar a financiar o futuro

Imagem
A Aston Martin confirmou que ainda busca por mais investidores para financiar o futuro da marca inglesa. De acordo com informações, a marca tem 1,2 bilhão de libras em títulos pendentes, saques bancários e empréstimos para pagar ainda. De acordo com o site Autocar, a Aston Martin busca um novo investidor em troca de um assento no conselho para um investimento de 200 milhões de libras. A marca ainda estaria disponível em aumentar a sua quantidade de investidores, onde poderia estar visando um fundo de investimento da Arábia Saudita. De acordo com o Presidente Executivo da Aston Martin, Lawrence Stroll, disse que é possível que os sauditas podem entrar como investidores na marca. Outra opção é um fundo de investimento da costa oeste dos Estados Unidos. Esse dinheiro que entra no caixa vai ajudar a marca tanto com na operação de automóveis como também na sua divisão esportiva, da Fórmula 1. O ex-CEO da Aston, Tobias Moers, renunciou seu cargo para Amedeo Felisa, que se tornou o novo CEO d

Elétricos da GM ainda não são tão rentáveis e precisam dos lucros dos carros a combustão

Imagem
A Chevrolet está passando por um processo de investimentos em novos modelos elétricos em seu portfólio, que vão conviver com suas versões a combustão por algum tempo. Carros como Blazer, Equinox e Silverado EV lideram esse movimento. Mas a Chevrolet não para por aí, tanto que já confirmou uma série de novos carros nos próximos anos. No entanto, em entrevista para a Agência Reuters, Mary Barra, CEO da GM, confirmou que tem vendido tudo o que pode de modelos a combustão. De acordo com Barra, a GM está “vendendo todas as picapes que podemos construir” , apesar de todos os problemas com a falta de semicondutores no mercado. No entanto, a executiva confirmou que a estratégia de vender o máximo de veículos a combustão que conseguir vender a fim de ‘financiar’ os carros elétricos. E que tem usado os lucros das picapes da GM (Chevrolet e GMC) para financiar a transição para carros elétricos, aumentando a lucratividade dos carros elétricos. Inclusive, Barra confirmou que a GM estaria estudando

CEO da Renault quer dividir suas operações entre elétricos e a combustão, como a Ford fez

Imagem
A Renault Group confirmou que pode investir no mesmo sistema empresarial da Ford, que dividir suas operações entre os carros a combustão e os elétricos. Os franceses já estavam cogitando partir para esse método, a fim de ‘corrigir a avaliação do grupo’. A informação foi confirmada pelo CEO da Renault Group, Luca De Meo, que disse que cada uma das Renaults (ICE e BEV) teriam cerca de 10.000 funcionários. “Todas as pesquisas e estudos que fizemos já confirmaram o potencial muito forte desta operação, mas todas as opções ainda estão na mesa” , destacou De Meo. Esse movimento poderia estar centrado na França, enquanto suas operações de combustão interna seriam baseadas em mercados globais. Isso porque a maioria dos seus carros com algum motor a combustão são produzidos em outros países como a Espanha, Portugal, Romênia, Turquia e toda a América Latina, como Argentina, Brasil e Colômbia, além de outras regiões do globo. Essa divisão entre as empresas pode ser uma solução interessante para a

Ford vende a fábrica de motores de Taubaté (SP) para a São José Desenvolvimento Imobiliário

Imagem
A Ford confirmou que conseguiu vender a fábrica de Taubaté (SP). A marca anunciou que o termo de assinatura de um compromisso de compra e venda para a unidade foi fechado com a São José Desenvolvimento Imobiliário. A partir de agora começa o processo de diligência conjunta. A concretização do negócio depende também da aprovação do CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica. De acordo com a Ford, todo o processo vai levar de 60 a 90 dias. A Ford produzia motores a transmissões na unidade de Taubaté. Desativada desde o início de 2021, quando a Ford confirmou que fecharia três fábricas no Brasil, a unidade produzia peças para os carros feitos em Camaçari (BA), Ka Ka Sedan e EcoSport. A construtora São José Desenvolvimento Imobiliário já tinha adquirido a unidade de São Bernardo do Campo (SP), também da Ford, fechada em 2019. Essa unidade, de acordo com a empresa, foi transformado em um setor logístico e que até considerava que parte dos 1 milhão de metros quadrados para alugar par

Canoo passa por problemas financeiros e pode ser adquirida ou financiada pela Apple

Imagem
A norte-americana Canoo, uma empesa startup, parece que não vive seus melhores momentos quando o assunto é finanças. A marca precisou processar seus investidores proeminentes no valor de US$ 61 milhões, o que seria um bom valor de caixa para a empresa conseguir dar sequência aos seus planos. De acordo com informações, a empresa fornecedora das Ilhas Cayman, DD Global Holdings, são um dos alvos da Canoo, de acordo com a Agência Bloomberg . Considerado um dos maiores acionistas da Canoo, a empresa processada foi obrigada, por meio de um acordo de segurança nacional na China, a possuir cerca de 10% ou menos. Isso poderia estar violando o acordo e o motivo do processo também pode ter outras transações também. De acordo com a agência de notícias, a Canoo perdeu cerca de US$ 125 milhões no primeiro trimestre de 2022 e tem apenas US$ 104,9 milhões em caixa, o que pode ser perigoso por conta da empresa não ter muitos recursos. A marca precisaria ainda de cerca de US$ 600 milhões para dar iníci

Ford vende mais ações restantes da Rivian e acumula mais US$ 400 milhões em lucros

Imagem
A Ford Group confirmou que vendeu mais da parte de suas ações da Rivian. De acordo com informações, a Ford vendeu cerca de 7 milhões de ações da Rivian no dia 13 de maio, depois de já ter vendido cerca de 8 milhões de ações no dia 10/05. Com o negócio, a marca do oval azul conseguiu angariar mais US$ 400 milhões em menos de uma semana, sendo que a última venda rendeu cerca de US$ 188,2 milhões para a Ford Group. Assim, a Ford ainda tem cerca de 86,9 milhões de ações da marca. A venda das ações vai de encontro com o momento em que a Rivian diminui o ritmo de produção e vai fabricar cerca de 25 mil unidades em 2022, baixando a meta inicial de 40 mil unidades. Com essa venda de ações da Rivian, a Ford passa a ter cerca de pouco menos de 10% da Rivian. Antes das duas vendas, a Ford tinha cerca de 12%. "Achamos prudente neste momento monetizar uma pequena parte do investimento" , disse o Porta-Voz da Ford, Ian Thibodeau, em comunicado após a venda inicial. Essa é a terceira vez qu

Porsche não tomou a decisão de entrar no IPO e há divergências sobre quanto a marca custa

Imagem
A Porsche confirmou que ainda não se decidiu sobre entrar no mercado de ações na bolsa, abrindo a sua Oferta Pública Inicial (IPO). Desde meados de fevereiro deste ano, a Porsche trabalha com a ideia de se tornar mais uma empresa a entrar na bolsa de valores, mas, até o momento, não tomou a decisão final sobre a sua participação. "Estamos trabalhando em planos de financiamento para ser robustos em diferentes cenários de avaliação para um IPO (oferta pública inicial). A real viabilidade do IPO depende de um grande número de diferentes fatores de influência… as decisões finais ainda não foram tomadas.” , disse o Presidente da Porsche SE, Hans-Dieter Poetsch, em entrevista à Agência Reuters . De acordo com alguns analistas de mercado, a Porsche poderia valer cerca de US$ 100,7 bilhões. Além de Poetsch, Herbert Diess, CEO da VAG, confirmou que a marca alemã pode fazer sua estreia no IPO no quarto trimestre de 2022. Nas últimas semanas, a Porsche parece ter voltado atrás enquanto ao se

VinFast pode atrasar a sua estreia na bolsa nos EUA, programada para o quatro trimestre

Imagem
A VinFast confirmou que deve adiar a sua estreia na oferta pública inicial (IPO), dos Estados Unidos. De acordo com o Presidente da VinGroup, Pham Nhat Vuong, disse que o IPO deve começar no quarto trimestre do ano, mas pode ser adiado para 2023. O atraso pode afastar alguns investidores da marca, que veem a marca chegando em mercados de primeiro mundo como na América do Norte, nos Estados Unidos e Canadá, e também tem a previsão de ir para a Europa. "Estamos de olho em um IPO no quarto trimestre, mas há muitas incertezas de mercado em andamento agora... Se necessário, podemos adiá-lo para o próximo ano. O IPO não é apenas para captação de recursos. É também sobre marketing e reivindicar a posição da VinFast globalmente.” , destacou Vuong. Vale destacar que um investimento poderia ajudar a marca a construir a sua unidade em Chatham County, na Carolina do Norte, Estados Unidos. A unidade terá um investimento de US$ 4 bilhões e vai gerar cerca de 7.500 empregos, com a produção começ

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Egea é o nome oficial do sedã médio da Fiat que deve ser apresentado oficialmente e pode chegar ao Brasil!

GWM revela imagens e informações do nosso Haval H6, que estreia em breve no Brasil

Nova geração do Dacia Duster continua na Renault como 'linha Adventure' na Austrália

Nissan convoca recall da Frontier 2023, com defeito na fixação do freio traseiro

Prevista para 2023, a nova geração do BMW i8 pode ser totalmente elétrica

BMW revela detalhes da sua bateria cilíndrica, que estará nos carros com base Neue Klasse

Peugeot revela teaser de novidades elétricos em evento na Europa, o 'E-Lion Day'

Ford quer fazer com que seus carros elétricos sejam mais competitivos nos Estados Unidos

Mazda já desenvolve uma nova geração do MX-5, que estreia até o fim do ano que vem

Nem elétrico e muito menos um SUV: Bugatti confirma que não terá nenhum em dez anos