Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Plano de Reestruturação

Stellantis deve cancelar ida da Peugeot aos EUA e focar na renovação da Chrysler

Imagem
A Chrysler já tem um futuro definido. E ele é bom. De acordo com a Stellantis, a Chrysler deve ser prestigiada e vai ocupar o lugar que era da Peugeot. A marca francesa deveria ir para os Estados Unidos, mas a Stellantis desistiu de levar a marca francesa aos EUA, segundo arlos Tavares, CEO do grupo. Para a Chrysler, Tavares disse ter expectativa que a marca pode ter um processo de renovação. "Estamos ansiosos para dar um futuro a esta marca" , disse o executivo. Nos EUA, a Chrysler vende apenas as minivans Pacifica/Voyager (93.802 unidades) e o velho sedã 300 (16.653 unidades), sendo que esse já tem sentença de morte. A permanência da Chrysler deve culminar no fim da ida da Peugeot aos EUA, um projeto que estava nos planos da marca há anos. “Por enquanto, não é prioridade. Acho melhor canalizar o talento, o capital e a capacidade de engenharia de nossa empresa para as marcas existentes e que têm presença muito forte neste mercado" , explicou Tavares. Ainda não se sabe q

Ford Argentina terá reflexos com fechamento das fábricas no Brasil; EcoSport virá importado

Imagem
A Ford Argentina confirmou que o fechamento das fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) também terá reflexos no mercado vizinho. Além do fim de linha de Ka e Ka Sedan, o EcoSport não deve mais vir do Brasil. Mesmo assim, o SUV compacto deve continuar à venda por lá, mas vindo da Turquia ou Índia. De acordo com o jornal La Nación, a Ford terá um reflexo também na rede de concessionárias na Argentina, assim como deve ocorrer no Brasil. Atualmente com uma rede de 59 concessionárias, a Ford deve perder cerca de 25% dos seus concessionários, cerca de 14/15 lojas devem ser fechadas. A Ford ainda mantém a produção na unidade de General Pacheco, que deve ser a casa da nova geração da Ranger, que recebeu o investimento de US$580 milhões para a picape que deve ser produzida por lá em 2023. Na Argentina, o fim de linha de Ka e Ka Sedan não deve impactar muito a gama de modelos da marca no país vizinho. Por lá, a Ford já vende F-150 e Kuga, modelos que estão na rota do nosso mercado. Sem

Surgem novas informações de que Chrysler pode ter uma luz no final do túnel na Stellantis

Imagem
A Chrysler virou a marca de um carro só. E isso não aconteceu recentemente. Desde a sentença de morte do 300C, a minivan Pacifica e sua versão mais acessível, a Voyager, são as únicas opções que o consumidor pode ter. Dentro da recém formada Stellantis, chegou a se cogitar qual seria o futuro da Chrysler – assim como se fez com a Lancia e a Dodge. O grupo ítalo-franco-americano não deve se desfazer das marcas, como já anunciado. De acordo com David Kelleher, Presidente do Conselho Nacional de Revendedores de Stellantis, disse ao Automotive News que prefere ver a marca Chrysler renascer do que se tornar história. Kelleher disse que sentiria “violado se a marca Chrysler fosse abandonada. Essa coisa toda começou com a Chrysler. Não quero me emocionar com uma marca, não é o caso. Mas não quero ver uma marca como essa deixada de lado e simplesmente jogada fora” , frisou em entrevista. Dentro da Stellantis, o executivo acredita que a marca pode renascer, assim como outras que estão perdidas

Nissan Group dá os primeiros passos da mobilidade na China com Nissan e Venuncia

Imagem
A Nissan confirmou os primeiros movimentos estratégicos para a sua eletrificação no mercado chinês, que pode repercutir em outros mercados. Isso porque num plano estratégico, a Nissan se aproveitou da possibilidade de se tornar uma marca mais rentável, principalmente no mercado chinês. O novo plano foi apresentado com uma série de novos carros elétricos e híbridos que devem ser apresentados na China dentro de alguns anos. De acordo com a Nissan, será uma ambiciosa ofensiva de carros elétricos, onde a marca deve reforçar a sua posição de ser uma líder de mobilidade e sustentabilidade. De acordo com os novos desafios causados pela pandemia do COVID-19, a empresa adiantou esse processo. Ele deve ser concluído antes do previsto e vai acelerar o lançamento e desenvolvimento de novos carros. A marca apresentou os planos tanto da Nissan como da marca Venuncia, uma marca desenvolvida apenas na China em conjunto com a Dongfeng e que vende modelos elétricos. A Nissan ainda confirmou que em meado

RENAULuTion: Renault revela o plano estratégico global Revolution, que terá novidades até 2025

Imagem
A Renault revelou mais informações sobre o plano estratégico RENAULuTion, revelado pelo CEO da Renault, Luca de Meo. A marca francesa confirmou que deve lançar sete modelos elétricos na Europa até 2025. É importante destacar que esses sete modelos devem se referir a modelos da própria Renault, não considerando os modelos da Dacia, Alpine e Lada. A empresa deve passar por uma reorganização para se tornar a empresa mais ágil e direcionada para as novas tendências do mercado. O plano deve prever que o primeiro modelo a ser lançado deve ser o Megane elétrico, que deve substituir o modelo atual. O modelo deve ser baseado no Megane eVision Concept e será construído sobre a nova plataforma CMF-EV, a mesma base do Nissan Ariya. O modelo virou um hatch crossover e deve concorrer com Volkswagen ID.3 e será lançado em 2022. No mesmo ano, a Renault deve apresentar a nova geração do Kangoo ZE, que deve trazer inovações com essa nova geração. Em 2023 será apresentado o 5 Concept, inspirado no clássi

Renault anuncia novo plano para América Latina, com SUV médio; Renault terá 24 novidades até 2025

Imagem
Depois de confirmar novidades sobre seu plano de reestruturação, o Grupo Renault confirmou algumas coisas para alguns mercados, em especifico. Na América do Sul, a Renault também confirmou novidades, revendo suas estratégias com o Plano RENAULuTion, que envolve as marcas Renault, Dacia, Alpine e Lada. Na América Latina, considerado um dos mercados mais importantes para os franceses, deve passar por um processo de otimização com foco em segmentos lucrativos, reduzindo os custos de produção com a adoção da plataforma modular CMF. Atualmente apenas o Kwid usa essa base no país, com a CMF-A. Em breve devem ser apresentados novos modelos com a base CMF-B, que deve ser vista em novos Sandero, Logan e a próxima geração do nosso Captur. Além deles, a Renault confirmou que também terá um SUV médio por aqui. As chances recaem claro sobre o Bigster, que seria reestilizado para ser vendido como vendido e teria um novo nome, claro. Mundialmente, a Renault deve oferecer modelos elétricos e híbridos

Alpine apresenta detalhes do seu futuro com o novo plano de três modelos puramente elétricos

Imagem
A Alpine se salvou de voltar para a história com a renovação e reestruturação do Grupo Renault. A marca de esportivos franceses vende atualmente o A110 mas deve começar a desenvolver modelos elétricos. A apresentação dessa mudança foi apresentada com um teaser que antecipa as novidades da marca, que apareceu com três modelos dentro de uma imagem que mostra os modelos num ambiente escuro. De acordo com a Alpine, a marca deve apresentar um hatchback compacto, um crossover e um esportivo que não teve detalhes revelados. O hatch e o SUV devem ser baseados sobre a plataforma modular CMF-EV, sendo que o esportivo deve ser feito sobre uma base totalmente nova, que a empresa pretende desenvolver em conjunto com a Lotus. O chassi deve ser uma opção mais simples e barata que a base que vai ser usada no modelo da Lotus. Tudo indica que esse novo modelo venha a substituir o A110, sendo um cupê compacto elétrico. O cronograma ainda não foi revelado sobre quando esses modelos devem ser apresentado,

Ações da Ford crescem na Bolsa de Valores de Nova Iorque pós fechamento de fábricas no Brasil

Imagem
Depois do baque de ter saído do perfil de montadora no mercado brasileiro, a Ford comemorou o crescimento de suas ações nos Estados Unidos. De acordo com informações, as ações da marca do oval azul cresceram 3% no dia após o anúncio. Na Bolsa de Nova Iorque, a Ford ainda chegou a ter uma valorização de 0,32% na bolsa, com cada ação valendo US$9,32. No caso do JPMorgan, as ações da Ford cresceram 10%, chegando a US$11. De acordo com analistas, o fechamento das duas fábricas (Camaçari, na Bahia; Taubaté, em São Paulo), reforçam que a marca está comprometida com o seu plano de reestruturação, reduzindo seus prejuízos e permitindo se concentrar em ampliar sua lucratividade no segmento internacional. Segundo Ryan Brinkman, do JPMorgan, disse que a decisão de fechar as fábricas no Brasil veio num momento onde os investidores vinham reclamando que a Ford ainda deveria ser mais rentável na América do Sul. A decisão da marca ainda veio alguns dias depois do Governo do Estado de São Paulo confir

Renault pretende cortar custos em 2021 e Scenic e Espace correm risco de vida na Europa

Imagem
A Renault confirmou um plano estratégico de reestruturação para os próximos anos onde deve apostar apenas em modelos mais rentáveis. A informação foi confirmada por Luca de Meo, CEO da Renault, no ano passado. A marca ainda deve anunciar uma série de cortes, seja de funcionários, de investimentos e de modelos. De acordo com o site alemão Automobilwoche, o plano da Renault deve focar na redução de custos. Ainda não se sabe quais modelos devem ser descontinuados, mas o site disse que “de Meo quer reduzir a ampla gama de carros e serviços da Renault em cerca de 30%”. Alguns modelos já são cotados como o Talisman e Talisman Estate, que tiveram queda de 50% nas suas vendas, fechando menos de 17 mil unidades vendidas em 2019. Outros modelos que podem se despedir são as minivans Scenic e Espace, segmento que já não é mais interessante para manter montantes de investimentos. O novo CEO ainda deve fazer com que a Renault aposte em uma estratégia mais global e realista. Cada vez mais, as marcas

Volvo deve padronizar nome de elétricos e híbridos para Recharge e traz Care Key ao Brasil

Imagem
A Volvo confirmou que, além de ser uma das líderes do mercado brasileiro em venda de modelos híbridos plug-in, a marca deve focar em mais novidades eletrificadas para breve. No Brasil, a marca confirmou a chegada de duas novidades. A primeira delas é a nova chave para os modelos, que deve contar com velocidade máxima em seus carros, assim como o sobrenome Recharge para os modelos eletrificados. Antes, exclusivo de modelos elétricos, o Recharge também deve batizar modelos híbridos. A chave que causou tanta polêmica no início desse ano na Europa é a Care Key, uma chave inteligente que é programável com atributos de segurança. "São mudanças que parecem sutis, mas refletem todo o pioneirismo e a preocupação da marca com o planeta. A adoção do nome Recharge nos veículos é mais uma marca que estamos deixando em eletrificação e o Care Key destaca o compromisso da marca com a segurança, que vem desde a nossa origem em 1927. Desde que inventamos o cinto de segurança de três pontos em 1959,

Acura deve se distanciar da Honda e deve aderir a uma nova filosofia de mercado

Imagem
Por muito tempo, a Acura foi a marca mais premium em relação aos modelos da Honda. Assim como a Audi fosse para a Volkswagen, por exemplo, ou a Lexus para a Toyota. No entanto, a ligação entre Acura e Honda era bem mais próxima, o que fez com que a marca não atingisse uma certa credibilidade no segmento premium. Agora, a Acura deve passar por um processo ambicioso que deve impulsionar a marca. A Acura deve, enfim, se tornar mais independente da Honda, tanto em design como numa maneira mais considerável. A Honda deve continuar sendo bastante importante para a marca premium e deve continuar sendo a matriz da Acura, mas algumas coisas mudaram a partir do lançamento do novo TLX, que marca esse processo. Isso também deve ser seguido pelo novo MDX, já apresentado como conceito e que estreia em uma versão de produção em breve. Os modelos são sustentados sobre uma nova plataforma, uma arquitetura mais leve e mais segura, além de conseguir trazer mais tecnologias, principalmente de conectividad

Nissan confirma que deve apresentar seis novos elétricos para a China até 2024; Ariya é candidato

Imagem
A Nissan deve desenvolver mais modelos puramente elétricos para oferecer no principal mercado consumidor de elétricos: a China. Assim como a General Motors deve fazer, os japoneses confirmaram que no mercado asiático deve apresentar, até 2024, seis novos carros elétricos para a China. Após a confirmação do seu plano de reestruturação, a marca deve desenvolver novos modelos para o mercado chinês, o que pode ser apresentado como Nissan, Infiniti ou até mesmo Venucia. A informação foi confirmada por Shohei Yamazaki, Presidente do Comitê de Gestão da Nissan para a China. O dossiê acabou revelando que a marca tem um plano de reestruturação mundial e que deve contar com uma grande aposta em carros eletrificados. Além dos elétricos puros, a Nissan confirmou que alguns outros lançamentos devem ser apresentados dentro de quatro anos e devem contar com a tecnologia híbrida e-Power. Segundo informações, a Nissan espera que 23% de total de vendas da marca sejam de modelos eletrificados. Alguns des

Mitsubishi deve focar na Ásia e confirma saída da Europa; América do Norte pode seguir mesmo caminho

Imagem
A Mitsubishi pode dizer que sofreu com a crise da pandemia do COVID-19, mas além disso, um processo de renovação lançamento em meio a um caos. Assim como a Renault-Nissan, a Mitsubishi deve passar por mudanças dentro da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. O sistema de interesses de cada marca, que fez com que a Renault fosse a líder na América Latina e a Nissan líder na América do Norte, por exemplo, deve fazer com que a Mitsubishi foque no Sudeste Asiático. Com isso, a marca ainda confirmou a sua saída do mercado europeu dentro de alguns anos. A notícia surpreendeu a todos, mas isso não deve ser por agora. A marca confirmou que deve finalizar o ciclo de vida de todos os seus modelos na Europa. A Mitsubishi deve focar no Sudeste Asiática e na Oceania. Isso não significa uma redução dos investimentos para as marcas e nem indica que a marca deva sair de todos os mercados onde a aliança conta com uma marca “líder”. É esperado que modelos como a nova geração do Outlander nem seja lançad

Mercedes-Benz confirma processo de renovação nos EUA e o corte de sete modelos

Imagem
A Mercedes-Benz Estados Unidos confirmou que deve cortar sete modelos do seu lineup dentro de alguns anos. De acordo com o Automotive News, serão sete modelos que devem ser cortados do lineup da marca francesa, sem apresentar um substituto direto para esses modelos. De acordo com alguns concessionários, que receberam informações de Nicholas Speeks, CEO da Mercedes-Benz US, disse em uma conferência. De acordo com os concessionários, modelos como Classe C Coupé, Classe C Cabriolet, Classe E Coupé, Classe E Cabriolet, Classe S Coupé e Classe S Cabriolet devem deixar de ser oferecidos. Além destes outros modelos como CLS e um modelo da linha GT também devem deixar de ser oferecidos nos Estados Unidos. "Precisamos de todos os produtos que temos atualmente? Também temos que desempenhar nosso papel na redução de nossos custos para atender nossos meios" , disse Speeks aos participantes. Enquanto a Mercedes já confirmou que numa nova geração do Classe S, apenas terá o sedã, modelo

Após novo logotipo, Volkswagen revela novo conceito de concessionária na América do Sul

Imagem
A Volkswagen inaugurou um novo conceito de concessionárias no Brasil. Além de um novo logotipo, a mudança na identidade visual da marca chegou aos seus pontos de venda. Conhecido como New Brand Design, a primeira concessionária da marca com essa nova identidade foi a Brasilwagen (Av. Moreira Guimarães, 1.183, Indianópolis, São Paulo, SP). Esse ponto de venda foi inaugurado no último dia 22 de julho e é a primeira concessionária da América do Sul com esse novo design. A digitalização ainda é um dos destaques do showroom da marca, que passa a trazer o DDX (Digital Dealer eXperience), que permite conhecer todo portfólio VW em óculos de realidade virtual e configurar todos os modelos VW na TV touchscreen. “A digitalização incorporada ao showroom da Brasilwagen representa esse novo momento da marca. É a concessionária Volkswagen do futuro: um espaço otimizado, em uma importante região comercial da cidade de São Paulo, com uma série de inovações tecnológicas que encantam o cliente, ofere

Fiat confirma início de renovação no Brasil, com novo logo, e quer voltar a ser líder de mercado

Imagem
A Fiat confirmou mudanças no mercado nacional, mas que também devem ser vistas em outros mercados. A partir do lançamento da nova Strada, a Fiat deve adotar algumas mudanças no Brasil. Assim como várias outras marcas andam fazendo ultimamente, a Fiat renovou o seu logotipo no Brasil, que traz o nome da Fiat em destaque, perdendo o arco cromado e o fundo vermelho do logotipo anterior. Essa mudança é apenas uma de que a marca chama de “rebranding”, ou seja, um novo reposicionamento da marca em termos de imagem, produtos e serviços. A meta da Fiat, com essas mudanças, é voltar a liderança do mercado nacional, perdida para a Chevrolet e a Volkswagen nos últimos anos. A mudança começa pelo logotipo, que trazem as quatro barrinhas em alusão ao logotipo da década de 1970 a 1990, buscando essa identidade visual da marca. Eles possuem a cor da Itália (verde na primeira barra, branco nas duas do meio e vermelho na última barrinha do logo). Essa identidade visual deve ser aplicada em todos os

BMW investirá 500 milhões de euros para a reestruturação da fábrica de Dingolfing

Imagem
A BMW confirmou que deve investir meio bilhão de euros na reestruturação da sua maior fábrica, localizada na cidade de Dingolfing, na Alemanha. De acordo com informações, a fábrica deve contar com novas linhas de produção de baterias e motores elétricos para carros equipados com motores híbrido ou elétrico. A montadora deve contar com oito linhas de transporte e deve abrir espaço para mais quatro no futuro. Até meados de 2022, a fábrica deve produzir componentes para cerca de 500 mil unidades de veículos eletrificados, por ano. O primeiro modelo que deve ser equipado com as baterias feitas na Alemanha deve ser o iX3, que será produzido exclusivamente na China. Posteriormente, a marca deve passar a produzir o i4 com as mesmas baterias do sedã. Além deles, o iNEXT pode acabar usando da mesa linha de produção. O sucesso da linha de modelos elétricos é fundamental para a marca se manter no mercado, principalmente na Europa, onde o cerco contra os modelos movidos exclusivamente a combus

Na América do Sul, Renault Kwid e Master não devem sofrer mudanças com o plano estratégico

Imagem
A Renault confirmou que na América do Sul, a medida de fazer com que a marca líder da aliança na região (neste caso, a Renault) compartilhe outros modelos além da plataforma CMF-B. Com isso, os modelos como Renault Kwid e Renault Master não devem ganhar irmãos de desenvolvimento da Nissan. Por aqui, serão sete modelos que devem compartilhar a mesma plataforma, sendo produzidos nas fábricas do Paraná e Rio de Janeiro. Isso deve ser diferente também para outras plataformas, como o desenvolvimento de picapes e demais comerciais leves como a própria Master. A aliança só deve começar a desenvolver esses modelos no Brasil a partir de 2022, quando deve ser apresentada as novas gerações de Sandero e Logan no mercado. Com isso, é possível que as novas gerações de Renault Captur e Nissan Kicks sejam desenvolvidos quase que em conjunto, apesar de que o Renault deve ser lançado antes. Com isso, a Renault deve deixar de desenvolver seus carros sobre a plataforma B0 e a Nissan não usará mais a plata

Na América do Sul, Renault-Nissan-Mitsubishi devem unificar plataformas; Renault será a "chefe" da região

Imagem
A Renault-Nissan-Mitsubishi confirmou mais algumas informações de como a Aliança deve funcionar na América Latina. O que mais deixa claro é que as marcas devem adotar uma união de plataformas, a fim de aumentar a lucratividade, usando tecnologias compartilhadas e plataformas desenvolvidas em comum. Com as fábricas de Resende (RJ) da Nissan e de São José dos Pinhais (PR) da Renault, as marcas devem apostar mais num processo de união entre ambas. No comunicado, foi dito que na América do Sul, quem deve ser a referência da aliança deve ser a Renault. Das atuais quatro plataformas usadas por carros da marca hoje, a Renault-Nissan espera passar a apenas duas. A estratégia deve ser de desenvolver modelos gêmeos, em que cada marca deve desenvolver modelos específicos de cada região e a outra marca pode acabar tendo um irmão gêmeo de desenvolvimento. Por exemplo a Nissan Frontier, que é a líder do projeto sobre a Renault Alaskan. “Na América Latina, as plataformas de produto B serão racionaliz

Postagens mais visitadas deste blog

Chevrolet Tracker PcD volta a ser vendido em breve, mas com mudanças de conteúdo

Ferrari confirma desenvolvimento e lançamento do primeiro elétrico até 2030

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Assim como o Bolt, Chevrolet Bolt EUV deve ser vendido no Brasil dentro de alguns meses

Reestilização do Volkswagen Jetta chega até 2022, com o inédito motor 1.5 TSI

Novo Dacia Duster é confirmado para ser lançado em 2024; reestilização é em abril

Porsche apresenta o novo 911 GT3 na Europa, equipado com motor 4.0 de 510cv

Mitsubishi apresenta a nova (e quarta) geração do Outlander nos Estados Unidos

Ford Argentina terá reflexos com fechamento das fábricas no Brasil; EcoSport virá importado

Land Rover apresenta a linha 2021 do Range Rover Velar com novo motor 3.0 Mild-Hybrid