Renault anuncia a 'The Future is Neutral', para economia circular dentro da indústria

Renault anuncia uma nova unidade de negócios chamada ‘The Future is Neutral’ ou ‘O futuro é neutro’, com a economia circular na indústria automotiva



A Renault apresentou um novo modelo de negócios dedicada para a economia circular, chamada de ‘The Future is Neutral’. Em tradução, a Renault quer dizer que ‘O futuro é neutro’, claramente falando sobre emissões de poluentes. A empresa, que nasce dentro da Renault, será a primeira a atuar com a cadeia de valor de economia circular na indústria automotiva, atendendo todas as marcas que fazem parte do Renault Group.

Com a demanda de produtos para carros novos e peças para reposição, a unidade de negócios vai desenvolver soluções tecnológicas e industriais a partir de expertise de suas subsidiárias e com uma rede de atividade mais elaborada. Isso indica que a Renault Group quer aumentar seus índices de utilização de materiais reciclados provenientes de automóveis para a produção de veículos novos. Atualmente, um veículo novo inclui apenas 20% a 30% de materiais reciclados, provenientes de todos os setores da indústria.

Com a meta de faturamento superior a 2,3 milhões de euros e uma margem operacional de até 10% até meados de 2030. Para isso, o The Future is Neutral vai abrir uma parcela minoritária de seu capital para investidores externos, com o objetivo de obter financiamento conjunto para seus investimentos da ordem de 500 milhões de euros até 2030. “Hoje, estamos avançando em mais uma etapa de nosso compromisso histórico com a economia circular. Nossas subsidiárias Gaia, Indra e Boone Comenor, assim como a Refactory de Flins, já demonstraram nossa capacidade de gerar atividades para criar valor econômico, social e ambiental durante todo o ciclo de vida dos veículos”, disse Luca de Meo, CEO do Renault Group.

“Graças a esta experiência e com a certeza do potencial destas atividades, estamos acelerando para criar a unidade The Future Is NEUTRAL, para reunir uma parte significativa de nossos ativos industriais e tecnológicos, bem como nossa rede de parceiros estratégicos. A missão desta unidade é expandir suas atividades com planos estratégicos ambiciosos e novas perspectivas de mercado, oferecendo soluções de reciclagem em ciclo fechado, ou seja, do automóvel para o automóvel, para uma indústria automotiva que tem enfrentado desafios climáticos, novas exigências regulamentares e tensões cada vez maiores em relação aos recursos naturais. A nossa ambição é fazer com que a reciclagem entre em uma nova era, para nos tornarmos o líder europeu da economia circular na indústria automotiva”, acrescentou De Meo.



Na Europa, a Renault confirma que a cada ano, cerca de 11 milhões de carros chegam ao seu fim de ciclo de vida útil. Apesar dos carros terem materiais recicláveis em até 85% dos seus componentes, a indústria consegue recuperar cerca de 20% a 30%, apenas. O The Future is Neutral quer mudar isso, além de manter o valor das peças e materiais pelo maior tempo possível, fazendo que, no longo prazo, os carros possam ser mais recicláveis.

Jean-Philippe Bahuaud, CEO da The Future is Neutral, informou que “no setor automotivo, o primeiro recurso subexplorado é o próprio carro, que é composto de mais de 85% de metais e plásticos. A unidade ‘The Future Is Neutral’ conta com o know-how para converter este potencial em novas alavancas de crescimento. Esta nova unidade de negócios tem o objetivo de alavancar a indústria automotiva para a neutralidade de recursos, extraindo a maior quantidade possível de materiais de cada veículo para produzir um novo modelo”.

Com isso, os franceses querem reciclar peças, materiais e baterias de carros, provenientes de desmanches de veículos, refugos industriais e oficinas, o que vai garantir ciclos de economia circular em cada etapa da vida de um veículo, desde a fase de produção e uso até o fim de vida dos veículos. Dentro da The Future is Neutral, existirá subsidiárias como a Gala (que recupera baterias, reutiliza peças e materiais de carros no fim de vida, em parceria com a Flins e a Suez), a Indra (líder de tratamento da VFV na França) e a Boone Comenor (especialista na reciclagem de materiais provenientes da indústria).

A Renault ainda quer se tornar líder na reciclagem de baterias de ciclo fechado, contando com a ajuda da Verkor, para o aproveitamento conjunto de suas baterias em fim de vida com os refugos de produção. Com isso, será preciso competências técnicas, desde a engenharia avançada e a engenharia química até a exploração de dados que está no centro de seu modelo de negócios, para otimizar a performance econômica e ambiental de suas soluções.



Fotos: Renault / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Volkswagen apresenta as primeiras imagens teaser de um possível Golf GTI Edition 50

Ford tem desconto de R$ 17 mil para a Ranger; Maverick, Bronco Sport e Transit tem promoção

Toyota registra imagens de patente de câmbio manual que simula de 14 marchas no USPTO

BMW lança promoção adicional para iX1 e iX no Brasil até o próximo dia 31 de maio

BMW cogitou produzir 50 unidades da Z4 Touring Coupé Concept, mas desistiu do projeto

MINI revela imagens teaser do desenvolvimento da condução com uso de óculos VR

BMW revela as novas imagens teaser do M5 e M5 Touring, que vão ter mais de 700cv

Jaguar-Land Rover quer construir uma inédita fábrica de bateria para elétricos no Reino Unido

Chery reajusta o preço do Tiggo 5X em R$ 1.000 e Tiggo 7 Sport pode receber primeiro aumento