Ferrari também pode usar foguetes em seus elétricos e registra sistema 'Pulsejet'

Apresentado pela Tesla para o Roadster, solução pode acabar na concorrência e Ferrari registra nome ‘Pulsejet’ em escritório de patente nos EUA



A Ferrari pode acabar apresentando novidades antes mesmo da Tesla no desenvolvimento de esportivos com um motor com turbinas. De acordo com informações do Escritório Americano de Marcas e Patentes – USPTO, a Ferrari registrou o que chama de ‘Pulsejet’. O novo sistema deve aumentar a potência e o desempenho dos carros da marca, com uma solução que foi apresentada primeiro com o cupê Roadster de segunda geração, antecipado por Elon Musk.

O nome ‘Pulsejet’ já tinha sido registrado pela marca em 2019, mas só agora o registro nos EUA trouxe mais detalhes do sistema. O funcionamento dessa novidade deve ser bem similar com o que a Tesla criou para o Roadster, com pequenos propulsores a gás frio para a aceleração ultrarrápida e com capacidades de pairar o carro. A italiana ainda chama a novidade de ‘jato de pulso’ e poderá ser usado para várias coisas, desde uma aceleração mais rápida, uma frenagem mais rápida ou até ter mais manobrabilidade nas curvas.

A Ferrari estaria disposta a colocar dois jatos na dianteira, que vai ajudar na frenagem, voltados para a frente e que vão ajudar na frenagem do carro, enquanto outros dois estarão na traseira, ajudando o esportivo na aceleração e dois tanques estrategicamente adicionados nas laterais que vão auxiliar nas curvas. A Ferrari ainda planeja recuperar a energia da frenagem para manter os tanques cheios usando compressores acoplados aos eixos do veículo, destacou o Teslarati em informações.

“Um carro com: um quadro; quatro rodas, que são montadas na estrutura de forma rotativa' um corpo, que cobre a estrutura' pelo menos um tanque de ar comprimido' e pelo menos um empurrador de gás, que é conectado ao tanque de ar comprimido, é parte integrante da estrutura e possui uma pluralidade de bicos, que estão voltados para fora, podem ser acionados para gerar os respectivos jatos de ar, são dispostos paralelamente e ao lado um do outro, têm a mesma orientação e são dimensionados para gerar diferentes impulsos pneumáticos dão a mesma pressão de o ar comprimido fluindo; um sensor de pressão, que determina uma pressão dentro do tanque de ar comprimido; e uma unidade de controle, que aciona a pluralidade de bicos de forma coordenada de modo a gerar, como um todo, um empuxo pneumático desejado com base na pressão dentro do tanque de ar comprimido.”, disse o registro de patente.

Em modelos como o Tesla Roadster, o elétrico da marca deve ser apesentado com a possibilidade de desenvolver mais de 1.000cv de potência e 1.000km de autonomia. O pacote SpaceX deve ser oferecido ao modelo como opcional e deve fazer com que ele acelere de 0 a 100km/h em impressionantes 1,1 segundo.





Fotos: Ferrair / divulgação | Escritório Americano de Marcas e Patentes – USPTO / reprodução

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Lynk & Co revela um novo teaser do Zero, que será o primeiro veículo 100% BEV da marca

GWM vai produzir primeiro o Haval H6 na fábrica de Iracemápolis (SP) por alguns motivos

Jeep Compass ganha nova geração em algum momento do pós-2025, com base STLA Medium

Stellantis investe em Rennes, inaugura fábrica de baterias e fecha parceria com a Vulcan

BYD lança a linha 2025 do Song Plus no Brasil com bateria maior e estreia por R$ 239.800

Maserati usará motores FPT Industrial para o GranTurismo Folgore, que desenvolve 761cv

GM confirma que carros compactos elétricos e lucrativos vão demorar um pouco mais

XPeng confirma mais um teaser da sua nova marca Mona e do sedã de estreia, o M03

Ford registra imagens de patente de plataforma modular nova para SUVs e picapes elétricos