Toyota vai continuar a dar foco aos carros a hidrogênio nos próximos anos, destaca CEO

Toyota confirma que vai investir na tecnologia a células a hidrogênio, apostando mais em infraestrutura para a alternativa de eletrificação aos carros elétricos



A Toyota confirmou em entrevista que vai apostar em carros movidos a células de hidrogênio, possivelmente para além do Mirai e apostando também em infraestrutura para a tecnologia. De acordo com Koji Sato, CEO da Toyota, a marca vai investir ainda mais em modelos elétricos (BEV) e vai continuar sua aposta em modelos movidos a células de hidrogênio (FCEV). De acordo com Sato, os carros movidos a hidrogênio são uma aposta interessante para a eletrificação, apesar da falta de infraestrutura.

Justamente para combater essa falta de estrutura no mundo para com os carros a hidrogênio, a Toyota confirmou que vai fomentar a tecnologia nos próximos anos, como uma das suas medidas de continuar apostando no combustível. “Queremos garantir que o hidrogénio continue a ser uma opção viável. Precisamos de uma cadeia de abastecimento de produção e transporte. A menos que vejamos uma evolução aí, não podemos esperar um aumento de volume no uso de energia.”, disse Sato em entrevista ao Automotive News.

Apesar da fala, Sato confirmou que não “tem um objetivo comercial muito específico” sobre quantos modelos a hidrogênio pretende vender nos próximos anos. Recentemente a marca confirmou que aumentou a capacidade de produzir células de combustível para 30.000 unidades do ano, por mais que o Mirai tenha vendido menos de 25 mil unidades em duas gerações, com vendas desde 2014. Ainda ao site, o executivo confirmou que o hidrogênio vai desempenhar um papel bastante importante nas metas multifacetadas de neutralidade de carbono da marca.

Para fomentar a tecnologia, a Toyota confirmou que trabalha em parceria com empresas como a Kawasaki Heavy Industries e a Iwatani Corp, a fim de trazer melhorias ao sistema do Mirai. Além disso, a marca nipônica confirmou que vai aumentar a sua capacidade de abastecimento do hidrogênio no Japão, passando de 160 atuais para 900 até meados de 2030. É possível que a infraestrutura chegue a novos países, principalmente por conta do hidrogênio verde. Atualmente em sua segunda geração revelada em 2020, o Mirai usa novas pilhas de células de combustível, onde o hidrogênio é transformado em energia.

Tem um motor que desenvolve 180cv e torque de 30,5kgfm. Com esse conjunto, o sedã acelera de 0 a 100km/h em 9,2 segundos, tem uma distribuição de peso 50/50 e baixo centro de gravidade. A autonomia é de 650km, com um cilindro cheio de hidrogênio de 44,6kg. “Estamos nos esforçando ao máximo em tudo. É importante permanecer flexível para adaptar produtos e energias às diferentes necessidades neutras em carbono em diferentes mercados.”, adicionou Sato ao concluir a entrevista. 



Fotos: Toyota / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Chevrolet terá Feirão de Fábrica neste final de semana em São Caetano do Sul e promoções

BMW lança novo Série 5 no Brasil, com versão híbrida 530e, que estreia por R$ 574.950

Porsche apresenta seu novo logotipo para comemorar os 75 anos de fundação da marca

Hongqi revela oficialmente a segunda geração do HS3 na China, com motor de até 252cv

BYD tem promoção 'DiaE' neste sábado, 22/06, com Dolphin por R$ 135.300, com bônus

Toyota investe mais R$ 160 milhões na fábrica de Sorocaba (SP) com novo Centro de Peças

Mitsubishi vende até dia 22/06 a L200 Triton, Eclipse Cross e Pajero Sport com promoção

BYD King é o batismo global do Destroyer 05 e chega para colocar Toyota Corolla na mira

Toyota apresenta atualização para o catálogo de versões da Hilux, com fim da versão SRX