BYD revela novidades para o Han híbrido plug-in, nas configurações DM-i e DM-p, na China

BYD apresenta melhorias ao Han híbrido plug-in (PHEV), com o DM-i e a inédita opção DM-p, que ganham mudanças no design externo e outras novidades



A BYD apresentou novidades na China para o Han híbrido plug-in (PHEV), conhecido por ter um design diferente do Han elétrico. Além das mudanças visuais, o sedã grande da marca passa a ser vendido com novidades em termos de motor híbrido. Além do DM-i que já era vendido, a BYD apresentou oficialmente o DM-p, mesma denominação que fez sua estreia na reestilização do Tan, ano passado. Antes disso, vamos explicar que DM vem de Dual Motor, ou seja, dois motores.

Na marca chinesa, os DM-i e DM-p tem diferenças. O DM-i possui tração dianteira e os modelos DM-p tem uma tração AWD, mas ambos são híbridos plug-in (PHEV). Voltando ao design do sedã, as novidades ficam por conta de uma nova grade dianteira, que recebe um contorno em preto brilhante e as bordas passam a ser prateadas. Ele ainda tem uma barra na parte superior prateada que traz o logotipo da dinastia Han, que se conectam com os faróis, que não mudam. A grade dianteira recebe um novo desenho e fica um pouco menor, ganhando linhas mais suaves.

A grelha de ambos os modelos possuem várias pequenas barras horizontais prateadas. O para-choque dianteiro ainda se destaca por trazer um novo acabamento nas extremidades em preto brilhante, com uma falsa entrada de ar e um prolongamento em ‘L’ com um friso em preto brilhante. Abaixo da grade dianteira, ele ainda possui uma pequena entrada de ar trapezoidal. De perfil, as novidades ficam por conta apenas de novas rodas de liga leve, que passam a ser de 18 polegadas com rodas 245/50 R18 e vão até 19 polegadas, com pneus 245/45 R19. Na traseira, o Han híbrido passa a ser vendido com um novo desenho.

As lanternas ganham um desenho mais moderno, com iluminação em LED, que ainda se interliga por meio de uma barra. A tampa do porta-malas ganha linhas mais arredondas e perde as linhas retas do modelo apresentado em 2020, na China. Outra novidade fica por conta do para-choque traseiro, que recebeu um novo desenho também. Ele possui um acabamento em preto brilhante que parece formar em ‘C’, assim como no para-choque dianteiro. Há ainda refletores horizontais e há um pequeno difusor de ar traseiro, com um acabamento cromado no contorno.



Acima disso fica o espaço para a placa traseira. O interior é basicamente o mesmo, com a central multimídia de tela giratória de 15,6 polegadas e o quadro de instrumentos com tela digital de 12,8 polegadas, que permanecem lá. No modelo híbrido, ele se diferencia do elétrico ao trazer um seletor de marcha retrátil. Fora isso é o mesmo que conhecemos, inclusive com o volante de base achatada e de dois raios, multifuncional. Em termos de conectividade, a central passou a contar com função NFC, que transforma o celular em uma espécie de chave e tem acesso a uma série de configurações e informações do carro.

Ele também possui um Head-Up Display (W-HUD), que mostra velocidade, informações do carro e GPS. Os braços da suspensão passou a contar com material em alumínio DiSus-C. Desenvolvido a partir da plataforma modular e-platform3.0, o Han possui 4,975 metros de comprimento, 2,920 metros entre os eixos, 1,910 metro de largura e 1,495 metro de altura. Em termos de motor, o DM-i usa o motor 1.5 Turbo que desenvolve 139cv e um motor elétrico no eixo dianteiro que desenvolve 197cv. Com esse junto, ele acelera de 0 a 100km/h em 7,9 segundos e vem com baterias de ferro de lítio fosfato (LFP) de 18,3kWh.

Essa bateria permite que ele rode 121km no modo puramente elétrico. Ele ainda pode contar com uma bateria maior, de 30,7kWh, que oferece uma autonomia elétrica de 200km e uma autonomia híbrida de 1.260km. Já o DM-p alia o motor 1.5 Turbo a gasolina de 139cv junto de dois motores elétricos, sendo um motor elétrico de 218cv na dianteira e outro de 272cv na traseira que juntos entregam 490cv. Combinado com o motor a combustão, a força sobe para 579cv e 83,8kgfm. Com esse conjunto, ele acelera de 0 a 100km/h em 3,7 segundos. O DM-p também é equipado com bateria de 36kWh, maior que as opções do DM-i, que entrega autonomia elétrica de 200km ou híbrida de 1.120km.

Na China, o DM-i será vendido com preços entre 189.800 a 219.800 yuans com a bateria menor e de 239.800 a 249.800 yuans com a bateria maior. O DM-p será vendido como versão única e com preço de 289.800 yuans. Na China, a chegada das novidades fizeram com que se acumulasse uma fila de 13.695 unidades em apenas 72 horas de vendas do sedã – sendo 8.051 unidades vendidas em 24 horas. 








Fotos: BYD / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Toyota Yaris Hatch só ganha nova geração entre 2024 a 2025 na Ásia, depois do sedã e do SUV

Nova geração do Toyota Corolla surge em meados de 2025, como uma geração evolutiva

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 2003!

Oshan aparece no Brasil testando seu utilitário esportivo médio X5; marca será que vem?

Fiat Titano estreia na Argélia primeiro, vazando e antecipando alguns detalhes da nossa

Celta voltará? Chevrolet confirma que não vai desenvolver nenhum subcompacto novamente

Yangwang revela as primeiras imagens oficiais teaser do seu inédito sedã elétrico, o U7

Renault e Nissan passam a ter seguros com Assurant, por meio do intermédio da Mobilize

Scout revela novo teaser e confirma que seus produtos farão estreia no mês de julho