Ferrari apresenta a SF90 XX Stradale e Spider na Europa, com motor híbrido de 1.030cv

Ferrari apresentou a SF90 XX nas carrocerias Stradale e Spider, que terá 1.398 unidades divididas entre as duas opções; hiperesportivo tem motor híbrido de 1.030cv



A Ferrari apresentou oficialmente a versão insana do SF90, chamado de SF90 XX, que estreia com duas opções de carroceria, o Stradale (cupê) e o Spider (conversível). Aprimorando ainda mais o desempenho do SF90, os esportivos italianos chegam com base no Program XX para oferecer carros mais extremos que não eram homologados para a estrada, mas que eram conduzidos no limite das pistas. A diferença é que a dupla SF90 XX vai poder ser emplacada para as ruas também.

Antes de falarmos do motor, o XX se destacam por conta das mudanças do design, que fica mais aerodinâmico em relação aos tradicionais SF90. De acordo com a marca, os XXs oferecem o dobro de downforce dos SF90 ‘civis’. O ar que passa pelo carro por meio de dutos de ar e de saídas de ar no capô, além de entradas de ar maiores no para-choque dianteiro, com duas entradas retangulares, cada uma disposta nas extremidades e uma terceira entrada de ar mais compacta, ao centro. Essa entrada de ar possui um acabamento em laranja em ‘U’, além de contar com um splitter pronunciado.

A dianteira também possui faróis com um desenho diferente. Ao invés de um desenho em ‘C’ do SF90 tradicional, o SF90 XX possui um desenho em ‘L’, com as luzes diurnas (DRL) em LED em três barras horizontais. O carro também possui uma entrada de ar nas extremidades, que se conecta com os faróis. Essa entrada de ar também se conecta com a parte inferior, com o splitter. No capô, as novidades ficam pelas duas saídas de ar em tom laranja. Nos para-lamas dianteiros e traseiros, acima das rodas, a Ferrari também adicionou saídas de ar com o estilo que lembram guelras, mas nesse caso estamos diante de um desenho mais espaçado.



Essa saída de ar contribui para uma melhor extração de ar que sai do sistema de freio, por exemplo. As saias laterais também foram redesenhadas e parecem ter melhoria no fluxo de ar. Já as rodas também possuem novos aros de 20 polegadas, com pneus 255/35 ZR F20 na dianteira e 315/30 ZR F20 na traseira. Com cinco raios, as rodas tem um acabamento escurecido e possuem frisos em tom que combina com os elementos da carroceria, como o laranja do cupê e o amarelo do conversível. Na traseira, há tudo novo. O SF90 XX possui saídas de ar no lugar de onde seria o vidro traseiro, com um estilo bem semelhante das saídas de ar do capô.

Enquanto a asa traseira fixa também é um destaque da dupla XX. Só por ela existir ali de modo fixo, traz uma série de melhorias em termos de downforce. Ao todo, o retrabalho de engenharia da Ferrari trouxe um ganho de downforce de 530kg a 240km/h contra os 390kg nas versões regulares na mesma velocidade. A traseira também é completamente redesenhada em relação ao modelo regular. As lanternas são finas e se conectam entre si por meio de uma barra central que une as lanternas. Acima dela possui o brake-light e o para-choque traseiro possui duas saídas de escape inseridas dentro de um acabamento em preto brilhante.

O para-choque traseiro possui um acabamento com saídas de ar nas extremidades, com saídas de ar verticais, junto de um difusor de ar mais pronunciado com um acabamento escurecido com o espaço para a placa e os refletores ficam nas extremidades. O desenho da traseira ser completamente diferente está relacionado com a traseira mais longa da SF90 XX, com o conceito Long Tail. No caso do SF90 XX Spider, a única diferença é a ausência do teto, quando ele estiver aberto. Há um novo desenho no deque superior da traseira, que possui os dois ressaltos que contribuem para a segurança dos dois ocupantes.



Internamente, as novidades ficam por conta da substituição de alguns elementos que ajudam a diminuição do peso do hiperesportivo. Com um foco mais esportivo, o XX possui ganha novos painéis das portas, túnel central e os tapetes, que passam a ter um acabamento mais simples, além do uso em fibra de carbono em áreas funcionais. A parte superior do painel passa a contar com um acabamento em Alcantara, enquanto a parte inferior tem um acabamento revestido em tecido técnico, com inspiração no mundo das corridas. Os painéis das portas receberam seções côncavas que convergem para o painel.

As três lâminas na zona intermediária são uma referência às saídas de ar no arco da roda, criando um efeito geral dinâmico e escultural. As três aberturas, que fazem referência à linguagem exterior, também integram perfeitamente funções técnicas e de controlo, numa interpretação estilística completamente nova. O túnel centrado, redesenhado, ganha um reposicionamento da alavanca de câmbio, que está localizado centralmente e mais à frente do túnel em comparação com a SF90 que conhecemos. Por fim, os bancos ganharam uma estrutura tubular de fibra de carbono visível e com almofadas que foram dedicadamente produzidas para o XX.

O mecanismo de inclinação do encosto foi integrado no assento utilizando materiais de acabamento elásticos que escondem a separação entre o encosto e o assento dos bancos. Isto significa que a estrutura parece sempre perfeita – tal como um assento de peça única, ao mesmo tempo que permite o ajuste do encosto. Isso gera um SF90 XX com peso de 1.560kg, 10kg mais leve. As economias vêm principalmente do motor, 3,5kg mais leve, dos novos bancos esportivos de carbono mais leves em 1,3kg e outras reduções que foram feitas no XX.



O SF90 XX Stradale e Spider contam com o motor 4.0 V8 Hybrid, com um ganho de 30cv que eleva a potência para 1.030cv. O V8 está aliado com três motores elétricos, sendo dois deles no eixo dianteiro (um em cada roda) e um terceiro localizado entre o motor e a caixa de câmbio em a traseira. O motor 4.0 V8 localizada na traseira faz o SF90 entregar 797cv, que trouxe uma eficiência com polimento dos dutos de admissão e exaustão, além da taxa de compressão que foi aumentada com a adição de novos pistões e usinagem específica da câmara de combustão.

A remoção do sistema de ar secundário também reduziu 3,5kg no peso do motor em comparação com a aplicação anterior. O tubo do plenum de admissão foi redesenhado e reposicionado mais próximo da antepara da cabine para que os ocupantes sejam tratados com harmônicos ainda mais ousados ​​e estridentes à medida que o motor absorve maiores quantidades de ar para fornecer o torque desejado. O ressonador está agora mais próximo do motor para criar uma harmonia mais rica e aumentar a intensidade. Já os motores elétricos desenvolvem 233cv, que possuem um Extra Boost.

Os motores elétricos trabalham em conjunto com uma bateria e íons de lítio de alto desempenho de 7,9kWh que alimenta os três motores, oferecendo uma autonomia puramente elétrica de apenas 25km, além de permitir que ele rode a velocidades de até 135km/h. A Ferrari confirmou que ele possui o sistema de modos de condução chamados de eManettino, no volante, para escolher entre quatro modos diferentes de gerenciamento de energia. No modo eDrive, o motor de combustão interna é desligado e a tração é confiada inteiramente ao eixo dianteiro.



No modo Hybrid, favorece o esgotamento da energia da bateria e gere as transições de forma autónoma, maximizando a autonomia totalmente elétrica; no modo Performance, o motor de combustão interna é mantido funcionando, pois a prioridade é manter um desempenho consistente, e não atingir a potência máxima; e no Qualifying, o sistema liberta a sua potência máxima, graças a uma lógica de controlo que dá prioridade ao desempenho, utilizando a nova função Extra Boost. Os motores híbridos são associados por uma transmissão de dupla embreagem de 8 marchas, com uma nova calibração.

A transmissão funciona em sinergia com a lógica de controle da caixa de câmbio, com a sequência de atuação redesenhada e o ciclo de pressão da câmera de combustível que foi otimizado para maximizar a intensidade do som da mudança de marcha. Com isso, o motor híbrido de 1.030cv e 81,98kgfm faz com que a SF90 XX acelere de 0 a 100km/h em 2,3 segundos e atingir a velocidade máxima de 320km/h. O Spider, que pesa 1.660kg (contra os 1.560kg do Stradale), 100kg a mais, acelera de 0 a 100km/h em 2,3 segundos igualmente, acelerando de 0 a 200km/h em 6,7 segundos, contra os 6,5 segundos do Stradale, ou seja, uma diferença irrisória.

De acordo com a marca, o esportivo possui 4,850 metros de comprimento, 2,650 metros entre os eixos, 2,000 metros de largura e 1,225 metro de altura. A distribuição de peso é de 44% na dianteira e 56% na traseira, junto de um tanque de combustível de 68 litros. Os freios possuem disco de freio de 398 milímetros na dianteira e 390 milímetros na traseira. Segundo a Ferrari, serão produzidas apenas 799 unidades da Stradale e 599 unidades do Spider. Cada unidade será vendida com preços de 770.000 euros para a SF90 XX Stradale e 850.000 euros na SF90 XX Spider. Todas as unidades já foram vendidas. 






Fotos: Ferrari / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Volkswagen apresenta as primeiras imagens teaser de um possível Golf GTI Edition 50

Ford tem desconto de R$ 17 mil para a Ranger; Maverick, Bronco Sport e Transit tem promoção

Toyota registra imagens de patente de câmbio manual que simula de 14 marchas no USPTO

BMW lança promoção adicional para iX1 e iX no Brasil até o próximo dia 31 de maio

BMW cogitou produzir 50 unidades da Z4 Touring Coupé Concept, mas desistiu do projeto

MINI revela imagens teaser do desenvolvimento da condução com uso de óculos VR

Chery reajusta o preço do Tiggo 5X em R$ 1.000 e Tiggo 7 Sport pode receber primeiro aumento

GWM lança promoção para o Ora 03, com Pacote Tranquilidade e condições de financiamento

Peugeot apresenta a reestilização do 208 na Europa, que ganha opção de motor híbrido