Mercedes-Benz apresenta nova plataforma de vans elétricas, modular, chamada de VAN.EA

Mercedes-Benz revela plano de eletrificação para a sua linha de vans com uma nova plataforma modular elétrica chamada de VAN.EA, que estreia em 2026



A Mercedes-Benz apresentou as primeiras informações sobre o desenvolvimento de uma nova plataforma modular para a sua linha de vans, chamada de VAN.EA. Essa plataforma muito provavelmente esteja nas novas gerações de Citan/Classe T, Vito/Classe V e Sprinter. A estratégia foi focada no crescimento rentável das suas vans, além de fortalecer a posição da marca neste segmento, com a renovação completa da linha, o que acontece nos próximos anos. O primeiro produto a vir com a nova plataforma vai aparecer em meados de 2026, possivelmente com a Sprinter.

A plataforma elétrica vai permitir que as novas gerações tragam uma redução no custo de produção, além de ter uma base específica para modelos elétricos e com maior experiência digital. Atualmente, a marca alemã já possui uma gama com opção de motores elétricos e já vendeu cerca de 40.000 unidades só dos modelos elétricos. Até meados de 2026, a divisão de Vans da marca estima que 20% das vendas representem os modelos elétricos, aumentando para cerca de 50% em meados de 2030. A Mercedes-Benz já desenvolve as novas gerações de Sprinter e do Vito.

“Nosso plano estratégico para a Mercedes-Benz é claro: alavancar a tecnologia e o poder da nossa marca para elevar nosso posicionamento de mercado e lucratividade. Isto aplica-se não apenas ao nosso negócio de automóveis de luxo, mas também à nossa estratégia para Vans. A Vans é uma divisão empresarial de sucesso e totalmente integrada dentro da MercedesBenz, com liberdade para tomar todas as decisões necessárias para atender às necessidades individuais dos seus clientes. Ao mesmo tempo, o negócio de Vans tem acesso total e os benefícios da partilha de tecnologia e inovação com o nosso negócio automóvel. A Vans opera num negócio atraente e desfruta de uma posição única no mercado premium, o que lhe permite proporcionar fortes retornos que complementam o nosso negócio de automóveis de luxo.”, destaca Ola Källenius, Presidente do Conselho de Administração do Mercedes-Benz Group AG.

“Como líderes do segmento de vans premium, nosso objetivo é oferecer aos nossos clientes as vans e serviços mais desejados. Hoje, oferecemos tecnologia excepcional, excelente confiabilidade e soluções personalizadas para clientes em mercados e setores lucrativos. E com VAN.EA, nossa nova arquitetura elétrica desenvolvida especificamente, estamos definindo o rumo para liderar a indústria de veículos comerciais leves em direção elétrica e experiência digital.”, destaca Mathias Geisen, Diretor da MercedesBenz Vans. A Mercedes-Benz também confirmou quais são seus alvos com a nova plataforma.



De acordo com a marca alemã, a chegada de uma nova linha de vans vai permitir que a Mercedes foque no segmento de luxo, atendendo clientes particulares e comerciais, o que inclui Classe T e Classe V. A divisão segue com uma estratégia premium para o segmento de vans comerciais, que representa 80% das vendas da divisão e atende uma série de setores. Hoje a Europa é o foco principal da Mercedes-Benz Vans, respondendo por 60% das vendas globais, seguido da América do Norte com 16%. Outros mercados também exercem um papel importante para a divisão e quer dar mais atenção na China.

O investimento adicional também deve priorizar a América do Norte, que tem potencial de crescimento. Além dos mercados, a marca também pretende atender cerca de nove tipos de indústrias comerciais e privadas. A Mercedes fala em apostar em segmentos Courier, Express and Parcel (CEP), que tem previsão de crescimento anual de 6% a 8%. Outro foco será no desenvolvimento de pequenos motorhomes com as três vans que possui hoje em linha. Hoje, essa preparação é feita por empresas terceirizadas e a Mercedes sabe que tem potencial de expandir sua atuação vendendo a adaptação direto de fábrica.

“O posicionamento no segmento premium para vans comerciais e o posicionamento de luxo para vans privadas nos permitirão fortalecer ainda mais nosso foco em regiões, canais, produtos e indústrias de alta margem. A ampla gama de indústrias que atendemos torna nosso negócio resiliente – o que é uma forte vantagem competitiva.”, diz Mathias Geisen, Diretor da MercedesBenz Vans. Outro elemento primordial dessa nova plataforma é aumentar a quantidade de fidelização dos consumidores, que hoje já é alta: 74%, mas com trabalho para ser ainda maior, oferecendo novidades aos consumidores e fazendo a transição para vendas diretas.

Estima-se que as vendas digitais possam representar cerca de 20%, podendo aumentar essa margem para 75% após 2026. As vans criadas a partir da plataforma VAN.EA vão trazer um valor agregado ao atender suas necessidades individuais, fortalecendo o foco na eficiência e no desempenho. A plataforma é parte importante do plano Ambition 2039, com a neutralidade do carbono como uma das suas metas. Os consumidores das novas vans terão total acesso à rede Mercedes-Benz High Power Charging, juntamente com a rede IONITY existente e em crescimento. Cerca de 10.000 carregadores devem ser instalados até o final da década.



A Mercedes também oferecerá o serviço digital Mercedes me Charge, para clientes B2B, começando com o novo eSprinter, dando-lhes acesso a 300.000 pontos de carregamento em toda a Europa. A Mercedes confirma a existência de três pilares de software que as novas vans vão trazer. O primeiro deles são funções relacionadas ao veículo – por exemplo, navegação personalizada para veículos de grandes dimensões, como vans de camping, que exigem rotas especiais para acomodar restrições rodoviárias para veículos grandes. A segunda camada consiste em extras digitais específicos do cliente, fornecidos por um dispositivo exclusivo desenvolvido internamente, a Onboard Logic Unit (OLU).

Essa permite aos clientes integrarem os produtos da divisão em sua própria infraestrutura digital específica. Um exemplo é o carregamento inteligente individual e o gerenciamento de carga que foi desenvolvido com e para o DPDHL. Esta solução digital baseia-se na OLU que permite a integração das nossas carrinhas elétricas no sistema empresarial existente do DPDHL de forma contínua. Desta forma, a DPDHL pode realizar carregamento inteligente para toda a sua frota. No futuro, a terceira camada ampliará as ofertas digitais da MercedesBenz Vans com uma seleção de serviços de commodities e aplicativos de terceiros integrados ao sistema operacional MB.OS.

Isso será parte integrante de todos os veículos baseados em VAN.EA a partir de 2026 em diante. O próprio MB.OS deve trazer um novo sistema operacional proprietário, uma arquitetura Chip-to-Cloud (CTC) flexível, modular e baseada em serviços, projetada para ofertas de software específicas para Business-to-Business (B2B). A MBVans também vai expandir e otimizar seus serviços extras no futuro, com atendimento personalizado. O novo sistema em desenvolvimento vai permitir atualizações Over-The-Air (OTA) mais rápida e abrangente que a atual, oferecendo equipamentos SAE de condução autônoma que vão passar de Nível 2 para Nível 3 com as vans com base VAN.EA.

Para ser mais rentável e competitiva no segmento, a marca aposta na iniciativa abrangente de custos, operações e produto. Do lado da empresa, a divisão pretende reduzir custos fixos, especialmente através da racionalização e digitalização de processos – visando uma redução de cerca de 20% até meados da década em comparação com 2019. Além disso, a MercedesBenz Vans reforçará ainda mais a sua vantagem competitiva através de sinergias. Os processos de produção e redução dos custos de produção também estão no foco.



O aumento no desempenho será impulsionado pela redução da complexidade do portfólio de produtos, focando na eficiência dos principais processos de produção, reduzindo o desenvolvimento em 25% até 2025 quando comparado com 2019. Com uma estrutura de custos fixos otimizada, a divisão de Vans vai reorganizar sua presença industrial global. A divisão quer transformar a rede de produção global para ser mais eficiente, flexível e orientada para o futuro elétrico. Inicialmente, a plataforma VAN.EA chegará nas fábricas de Jawor, na Polônia, Vitoria, na Espanha, e Düsseldorf, na Alemanha.

As demais fábricas, como a da Argentina e outras no mundo, vão seguir a adesão dessa plataforma na sequência. A fábrica de Ludwigsfelde, na Alemanha, vai continuar a produzir a Sprinter e eSprinter, além de se tornar um centro de personalização de vans, como as autocaravans/motorhomes. A primeira fábrica a passar a produzir exclusivamente elétrico será Jawor, na Polônia. A fábrica vai passar por investimentos para ser neutra em emissões de carbono, usando energia fotovoltaica, energia eólica e geração de calor através de bombas de calor de ar, energia geotérmica e solar térmica e, se necessário, como alternativa em horários de pico, uma pequena quantidade de biogás.

“Nossos fatores de sucesso são: um portfólio de produtos e serviços voltado para os segmentos de luxo e premium, um amplo mix de setores atendidos, bem como o mais alto nível de poder de precificação e fidelidade do cliente. Além de um foco claro nos segmentos de mercado mais rentáveis, concentramo-nos em medidas para melhorar ainda mais a nossa posição de custos. Estamos, portanto, concentrados num caminho claro a seguir – com um roteiro tecnológico altamente ambicioso para conduzir a indústria a um futuro totalmente elétrico.”, adiciona Mathias Geisen, Diretor da MercedesBenz Vans.

“A partir de 2026, apresentaremos nossa arquitetura EV especialmente desenvolvida, VAN.EA. Isto nos permite consolidar nossas vans de médio e grande porte em apenas uma arquitetura e reduzir significativamente a complexidade do nosso portfólio de produtos. Máximo valor acrescentado para clientes com rentabilidade sustentável ao mesmo tempo: VAN.EA sublinha claramente a nossa aspiração de ser 'Líder no setor elétrico'.", adiciona Geisen. A plataforma VAN.EA pode ser dividida em três seções. A primeira delas é o bloco dianteiro onde ficará o motor elétrico, no eixo dianteiro.



O bloco deve ser o mesmo em todas as variantes das vans, usando o foco em peças comuns para reduzir custos. O bloco central vai ser o responsável por aumentar o tamanho do veículo. Ele também é a parte principal de vir com a bateria na parte inferior, que também será padronizada e variando de acordo com o comprimento, apenas. O módulo traseiro vai trazer duas versões. Um com motor elétrico traseiro para oferecer tração integral e outra sem motor traseiro. Os modelos premium são chamados de VAN.EA-P, que sempre vão oferecer uma autonomia superior a 500km. Já as vans comerciais premium são chamadas de VAN.EA-C, priorizando funcionalidade, autonomia carga útil e espaço de carga.

Estes modelos vão contar com diferentes configurações e soluções de atualização: de veículos de entrega expressa, expressa e de encomendas (Last Mile Delivery) a ambulâncias ou vans de e-Grocery, de vans municipais ou melhorias de caixa a plataformas elevatórias ou veículos recreativos (RV), quase tudo é concebível. “De acordo com a estratégia 'apenas elétrico', o VAN.EA é desenvolvido a partir do scrquoatch como um veículo elétrico especialmente construído, aproveitando totalmente as vantagens da nova tecnologia. A nossa meta de mais de 50% de participação de BEV até 2030 anda de mãos dadas com uma redução significativa nas emissões de CO2 ao longo de todo o ciclo de vida das novas vans.", adiciona Andreas Zygan, Diretor de Desenvolvimento de Vans da Mercedes-Benz.

Com isso, a Mercedes-Benz confirma que a divisão de Vans será baseada em três princípios orientadores: sustentabilidade, digitalização e uma equipa altamente motivada. Suas ações serão baseadas em Target (alvo), Embrace (abrace), Lead (liderar) e Lower (diminuir), seja a operação, eletrificação os custos ou emissões.



Fotos: Mercedes-Benz / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Volkswagen apresenta as primeiras imagens teaser de um possível Golf GTI Edition 50

Ford tem desconto de R$ 17 mil para a Ranger; Maverick, Bronco Sport e Transit tem promoção

Toyota registra imagens de patente de câmbio manual que simula de 14 marchas no USPTO

BMW lança promoção adicional para iX1 e iX no Brasil até o próximo dia 31 de maio

BMW cogitou produzir 50 unidades da Z4 Touring Coupé Concept, mas desistiu do projeto

MINI revela imagens teaser do desenvolvimento da condução com uso de óculos VR

BMW revela as novas imagens teaser do M5 e M5 Touring, que vão ter mais de 700cv

Jaguar-Land Rover quer construir uma inédita fábrica de bateria para elétricos no Reino Unido

Chery reajusta o preço do Tiggo 5X em R$ 1.000 e Tiggo 7 Sport pode receber primeiro aumento