Novo Citroën C3 atrasou por falta de chips e hatch terá opção de câmbio automático


Previsto para ser lançado em questão de pouco tempo, o novo Citroën C3 teve mais detalhes revelados. De acordo com informações reveladas pela própria Citroën, o novo C3 terá opção de câmbio automático de 6 marchas. Essa opção deve ser uma das novidades quando ele for equipado com as versões mais caras e com o motor 1.6. A confirmação veio com um vídeo onde a marca mostra o painel e aparece a letra ‘P’ de Parking no quadro de instrumentos, indicando a transmissão automática. Para o desenvolvimento da nova geração, a Citroën confirma ter rodado o equivalente a cerca de 25 voltas na Terra, seja em vias ou em pistas de testes. O vídeo ainda mostra os testes que a marca francesa fez para a suspensão, a fim de entregar durabilidade, conforto e segurança para as vias da América Latina. Outra novidade será a nova central multimídia com tela de 10 polegadas e conectividade sem fio para Android Auto e Apple CarPlay. Atrasado por conta da crise dos semicondutores, o lançamento do novo C3 ocorre nas próximas semanas no país. “O contexto global de pandemia impactou significativamente o setor automotivo, principalmente em relação à falta de alguns componentes. Temos ações implementadas para minimizar esses efeitos no lançamento do Novo C3, mas sofremos impacto em relação ao cronograma, que está sendo ajustado”, disse a Citroën em julho para o site Autos Segredos. De acordo com informações do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), a Citroën vai vender o novo C3 em três ou quatro versões: Live, Feel, Feel Pack e First Edition. 



O novo C3 terá motor 1.0 6v Firefly que desenvolve 75/71cv de potência com torque de 10,7/10,0kgfm, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas. Outra opção será o motor 1.6 16v Flex de 120/113cv de potência e 15,5/15,4kgfm de torque, com câmbio manual de 5 marchas ou automático de 6 marchas. A Stellantis terá capacidade de produzir cerca de 8.000 unidades do modelo por mês, o que é um bom volume. Com capacidade de produzir cerca de 150.000 por ano, a unidade fabril fará o C3 tanto para o Brasil como para exportar para todos os mercados vizinhos. Apesar disso, é possível que cerca de 75% da produção seja destinada para atender o mercado brasileiro. O novo C3 será o primeiro carro com plataforma CMP a ser feito no Brasil, fruto de um investimento de R$ 220 milhões. O novo C3 vai seguir a tendência de carroceria bitom, com uma linha de separação nítida entre a carroceria e o teto em cores diferentes, disponibilizando um amplo leque de combinações para os clientes. Ao todo serão treze opções de customização disponíveis. Uma dessas combinações, revelada no ano passado, é o novo C3 com a carroceria azul – a Spring Blue – com o teto branco, como o modelo das fotos. Os clientes também terão a opção do teto na cor preta, que poderá ser combinada com as demais cores de carroceria que estarão disponíveis para o modelo, como a Cinza Artense, por exemplo, que fez um grande sucesso na série especial do C4 Cactus, a X-Series. De acordo com a Citroën, o novo C3 terá mais de 150 combinações entre suas versões, cores e acessórios. Preços podem ficar entre R$ 70.000 a R$ 85.000.


Vídeos-Teaser



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Volvo lança promoção do EX30 no Brasil, além de condições para XC40, C40, XC60 e XC90

Volkswagen inicia as vendas do Nivus Sense também para pessoas físicas por R$ 119.990

Iveco já trabalha na homologação do eDaily, que chega ainda neste semestre no Brasil

Mercedes-Benz atualiza itens de série do Classe E no Brasil e fica R$ 61 mil mais barato

Volkswagen registra imagens de patente do ID.7 S na China, que será da joint-venture SAIC-VW

Baojun apresenta a chegada do Yunduo na China, o concorrente direto do BYD Dolphin

Iveco lança o eDaily no Brasil, contra o Ford E-Transit, em três versões e parte de R$ 549.000

BYD lança promoção '48 Horas Eletrizantes' e tem condições até o final deste mês

Curiosidades: Você sabe o que é uma direção subesterçante?

JAC Hunter é uma das apostas da marca chinesa para este segundo semestre no Brasil