VAG revela em evento mais detalhes da sua eletrificação até 2030 e revela a plataforma SSP


A Volkswagen AG (VAG) confirmou que deve trabalhar para o desenvolvimento de novos modelos elétricos dentro do grupo. Pensando nas suas metas até 2030, o grupo confirmou, por meio do CEO da Volkswagen, Herbert Diess, alguns detalhes desse plano, que foi mais detalhado. Segundo Diess, "em 2030 os carros serão elétricos, autônomos, digitais e conectados". A Volkswagen ainda confirmou que deve apostar na nova plataforma Scalable Systems Platform (SSP), que deve fazer sua estreia em 2025 ou 2026. Essa base deve substituir a MEB e a PPE, sendo uma plataforma única para a maioria das marcas do grupo, com exceção da Porche e possivelmente da Bugatti. De acordo com informações reveladas, a SSP deve ser uma plataforma mecatrônica que deve integrar os sistemas e componentes mecânicos e eletrônicos antes de criar a base para os primeiros carros do grupo alemão com condução totalmente autônoma. Ela deve ser construída na busca de maior simplicidade construtiva e ao mesmo tempo deve trazer a máxima de modularidade possível. Fruto de um investimento de 800 milhões de euros, a nova base do grupo alemão ainda deve fazer com que os elétricos devem ser conectados por meio de módulos conectados com a plataforma. O projeto ainda é desenvolvido em parceria com a equipe de Pesquisa e Desenvolvimento sediada em Wolfsburg, na Alemanha. "A introdução da SSP nos permitirá alcançar um nível de sinergia sem precedentes entre diferentes segmentos e marcas. A longo prazo, a SSP reduzirá grandemente a complexidade dos sistemas mecatrônicos. E isto não só nos beneficiará na redução dos custos de desenvolvimento e ajuste em comparação com as plataformas MEB e PPE, mas também permitirá ao grupo aceitar e superar os desafios do futuro no projeto de novos modelos, já que o carro está se tornando um objeto cada vez mais orientado para o software", destacou Mark Duesmann, CEO da Audi, durante a apresentação. Isso também deve trazer uma maior rentabilidade de escala entre as marcas, permitindo que o grupo invista em outras tecnologias. Ao mesmo tempo que os executivos querem fazer que a plataforma seja mais eficiente e rentável, ela também procura baratear os custos de produção destes carros. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?