CEO da Nikola se demite após suspeita de fraude; GM mantém parceria com a marca


Às vezes as marcas que são startups cometem erros e metem os pés pelas mãos. Nessa última segunda-feira (21/09), caiu uma bomba na Nikola Motors. O CEO da marca, Trevor Milton, então CEO da Nikola Motors, foi acusado num escândalo que dizia que a marca estaria muito avançada em seu desenvolvimento com o hidrogênio, que levou até mesmo a General Motors a fechar uma parceria com a marca. De acordo com informações, Milton renunciou ao cargo de CEO da marca ao ter inflado o progresso da marca para atrair investidores e potenciais clientes. As acusações vieram da Hindenburg Research, que acusou Milton e a Nikola de mentirem sobre o nível de desenvolvimento da picape Badger. De acordo com informações, Milton se despediu da Nikola dizendo que “o foco deveria estar na empresa e em sua missão de mudar o mundo, não em mim”. O ex-executivo da marca confirmou que a Hindenburg queria lucrar com uma possível queda nas ações da marca. Falando em ações, elas caíram 30% no dia de ontem. Com isso, a posição do então CEO ficou insustentável. No lugar, assumiu Stephan Girsky, ex-Vice Presidente da GM e Membro do Conselho da Nikola. O executivo ascendeu ao posto no mesmo momento que a GM disse que não deixaria de cumprir com a parceria com a Nikola. Girsky disse que as acusações já estão sendo investigadas na Securities and Exchange Commission (SET) e o Departamento de Justiça dos EUA. No início deste mês, a General Motors confirmou o investimento na Nikola Motors. O investimento na marca deve ser de US$2 bilhões em ações da empresa, o que representa 11% da empresa. A empresa, que se prepara para a apresentação da sua primeira picape elétrica, a Badger, deve se tornar um dos braços da GM para o desenvolvimento de modelos elétricos e a hidrogênio. Além disso, a Badger deve ser produzida com a supervisão da GM, que deve economizar cerca de US$4 bilhões em custos. A Nikola ainda deve deixar de gastar cerca de US$1 bilhão em engenharia. Previsto para ser produzida no final de 2022, a Nikola Badger deve contar com as baterias Ultium da GM, assim como a tecnologia Hydrotec, com carros movidos a células de hidrogênio.



Fonte: CNBC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Ferrari apresenta a SF90 XX Stradale e Spider na Europa, com motor híbrido de 1.030cv

Toyota dá a entender que o Celica pode ressurgir como cupê esportivo criado pela GR