Viritech apresenta o seu hiperesportivo movido a hidrogênio, o aerodinâmico Apricale


Aos poucos, novas tecnologia e novas marcas vem tentando difundir combustíveis que até puco tempo eram impensáveis. Foi assim com os elétricos e está sendo assim com os carros movidos a hidrogênio. Tanto que a marca Viritech, uma startup, está apresentando o Apricale, um hiperesportivo movido a hidrogênio. Com sede em Horiba Mira, no Reino Unido, a empresa apresentou o seu automóvel como uma forma de não apenas mostrá-lo ao mundo como uma vitrine tecnológica como também tem a intenção de vendê-lo. De acordo com a Viritech, o carro deve ter uma produção bem pequena, como forma de testar os interessados pelo carro. Ainda em desenvolvimento, a marca confirmou que seu maior medo seja o seu peso, primordial para um carro que é um hiperesportivo. Para tentar diminuir seu peso, a Viritech confirmou que deve recipientes de pressão de hidrogênio que serão reforçados com grafeno, ou seja, os tanques de armazenamento de gás devem fazer com que a estrutura do veículo seja reduzida em peso e custo. Segundo a Viritech, o Apricale deve contar com uma potência de cerca de 1.100cv, mais que o suficiente para fazer o carro ser um dos destaques entre os modelos do seu segmento. 



“Você encontra dois problemas quando segue pelo caminho da bateria. Um é o ‘elemento de composição massiva’: quanto mais armazenamento de energia você necessita, mais pesado se torna o automóvel. O segundo é o uso contínuo de grandes quantidades de matérias-primas na construção de pacotes de baterias muito grandes, que são potencialmente recicláveis, mas inclusive hoje estamos lutando para recuperar o lítio de maneira que possa voltar a ser usado”, disse o fundador da marca, Matt Faulks, em entrevista ao Autocar sobre a escolha do motor a hidrogênio do Apricale. Pelas primeiras imagens reveladas do carro, ele deve se destacar pelas suas linhas, com destaque para a aerodinâmica. Ele terá faróis quadrados na dianteira, com uma frente bem baixa e aerodinâmica, ao ponto que lembra os carros da Koenigsegg. O para-lama dianteiro deve ser mais alto e ele terá entradas de ar dianteiras que são pequenas. Nas extremidades do para-choque dianteiro ele possui aletas aerodinâmicas que também são vistas nas laterais do carro, até a entrada de ar lateral por meio de um friso. O desenho do para-brisa dianteiro se conecta diretamente com os vidros laterais. Com uma linhas ascendente, o carro possui um motor traseiro e que, mesmo assim, não deixa a traseira muito longa. Visto de traseira, ele possui lanternas no entorno das saídas de ar do motor, em LEDs. A terceira luz de freio está no aerofólio e ele ainda possui saídas de ar nas extremidades do para-choque traseiro e um grande extrator. A Viritech não apresentou mais informações do Apricale, como o interior e detalhes do motor.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado