Volkswagen confirma que carros a hidrogênio não fazem sentido e não vai investir na opção

Volkswagen confirma que desenvolver motor a hidrogênio é perda de tempo e não faz sentido investir na tecnologia que é aposta de Toyota, Hyundai e BMW



A Volkswagen confirmou que não vai e não quer apostar no hidrogênio como uma opção de eletrificação. A marca alemã confirmou por meio de um executivo que não vale a pena o esforço de desenvolver a opção de motor que marcas como Toyota, Hyundai e BMW vem apostando nos últimos anos. A informação foi confirmada pelo CEO da Volkswagen Passenger Cars, Thomas Schäfer, destacou em entrevista no CES 2023.

De acordo com a Autobild, Schäfer confirmou que tecnologia não deve se tornar popular, pelo menos não nesta década. “O hidrogênio não é para nós. Não. O hidrogênio é física pura e é caro. Não é competitivo, principalmente para carros de passeio, cujos tanques ocupam espaço na cabine. Talvez para veículos comerciais, mas não no carro de passeio. Então, não vejo isso acontecendo nesta década. Não na Volkswagen.”, destacou. Ao mesmo tempo, a Volkswagen bem que se aventurou com a opção de motor na década passada.

Tanto, que a marca apresentou a dupla Passat HyMotion e Golf Variant HyMotion em meados de 2014. Em 2021, a marca já tinha descartado totalmente a ideia de criar algo parecido. Na época, a informação foi confirmada pelo CEO do Grupo Volkswagen, Herbert Diess, que disse que não está interessada na tecnologia, que parece estar ganhando mais atenção nos últimos meses. De acordo com Diess, os carros a hidrogênio não devem ser uma solução para a VAG.

"Está provado que o carro a hidrogênio NÃO é a solução para o clima. No transporte, a eletrificação prevaleceu. Debates falsos são uma perda de tempo. Por favor, ouça a ciência!", destacou Diess em seu perfil no Twitter. Ao mesmo tempo, no final do ano passado, a Volkswagen confirmou que registrou um novo sistema desenvolvido em parceria com a Kraftwerk Tubes, empresa alemã especializada em fornecer células, pilhas, células de combustível diretamente para motores.

A patente registrou uma tecnologia criada entre as empresas é uma membrana de cerâmica que é mais barata que a membrana de polímero usada pela Hyundai e pela Toyota. Esse componente seria considerado crucial para que o volume de produção de células de combustível de hidrogênio em automóveis. A membrana de cerâmica opera sem platina, o que pode reduzir drasticamente o custo do desenvolvimento da tecnologia.



Fotos: Volkswagen / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Ferrari apresenta a SF90 XX Stradale e Spider na Europa, com motor híbrido de 1.030cv

Toyota dá a entender que o Celica pode ressurgir como cupê esportivo criado pela GR