Ferrari Purosangue estreia oficialmente no Brasil com preço de R$ 7,5 milhões e tem 725cv

Ferrari traz ao Brasil o Purosangue, seu primeiro utilitário esportivo, que vem ao nosso mercado com motor 6.5 V12 capaz de desenvolver 725cv, mas por um alto custo



A Ferrari apresentou oficialmente o seu primeiro utilitário esportivo no mercado brasileiro, o Purosangue. O SUV desembarca aqui como um dos mais rápidos do mundo, além de ser um dos mais caros também. Em nosso mercado, a Ferrari é representada pela Via Itália, que trouxe as primeiras unidades do modelo e que passa a encomendar novas unidades do mesmo. A espera por novas unidades, no entanto, pode passar dos dois anos de espera. A marca espera que ele cause a mesma procura que o Lamborghini Urus causou.

Visualmente, o Purosangue possui faróis divididos, de acordo com a identidade de design da marca. Na dianteira ele possui faróis em ‘C’, sendo a parte superior com entrada de ar. A parte inferior deste ‘C’ possui uma faixa com luzes diurnas (DRL) em LED e há os faróis inferiores, onde estão os faróis principais com projetores em LED, abaixo dos DRLs. A parte inferior do ‘C’ dos faróis superiores se conectam por meio de um acabamento em preto brilhante. O para-choque ainda possui o logotipo da marca acima da faixa que une os faróis. A parte inferior possui a grade dianteira, com o cavalinho da marca ao centro.

A grelha possui um estilo colmeia, enquanto eles são conectados com as entradas de ar nas extremidades, que ainda trazem os faróis principais em dois projetores, garantindo que ele tenha faróis Full-LED. Abaixo da grade principal, a Ferrari ainda desenhou um novo acabamento com uma entrada de ar inferior. Nas extremidades laterais e inferiores do para-choque ele ainda possui um acabamento em preto brilhante, com entradas de ar – posicionadas abaixo dos faróis principais. No capô, o SUV possui um capô longo como um superesportivo convencional que usa motor dianteiro, garantindo um bom espaço para abrigar o motor V12.



O capô possui vincos com um estilo em ‘V’, que também repetem essa sensação nos vincos das extremidades, que partem dos faróis superiores. De perfil, se percebe o quão longo é o capô, trazendo ainda uma coluna A com um desenho bem aerodinâmico. Toda a parte inferior da carroceria ainda possui um acabamento em preto brilhante, como pode ser visto no para-choque dianteiro e traseiro, caixas de rodas e saias laterais. O SUV ainda ostenta o logotipo da Ferrari no para-lama dianteiro e uma saída de ar mais acima, ao fim do desenho do capô. O acabamento das caixas de rodas ainda trazem apêndices aerodinâmicos que ajudam no fluxo de ar que passam pelas laterais.

Essas pequenas canaletas podem ser vistas de traseira. Em termos de design, o Purosangue possui vincos bem marcados. Nas portas, ele possui um vinco que nasce na porta dianteira e morre na porta traseira. Há uma espécie de ombros que nascem a partir das portas traseiras até o fim da carroceria. A parte inferior da carroceria possui um acabamento em preto brilhante e a partir dele nasce um vinco na parte inferior das portas. O perfil do Purosangue, de ser um SUV mais cupê, pode ser explicado pela falta das maçanetas para as portas traseiras – aliás, as maçanetas são substituídas por botões que ficam nas colunas das portas.

Além disso, ele traz um sistema de abertura inversa das portas do SUV. As portas traseiras abrem de maneira inversa às portas dianteiras, mas ele ainda mantém a coluna B na estrutura da carroceria. A Ferrari diz que enquanto a porta dianteira tem ângulo de abertura de 63º, a traseira tem ângulo de 73º. Destaque para os vidros laterais com desenho esportivo, com uma área envidraçada menor, por exemplo, mas com uma linha inferior ascendente. O perfil do Purosangue é mais cupê, mas não chega a ser um SUV cupê tradicional, como um perfil de BMW X6, por exemplo.



Também diferente de outras Ferraris, o Purosangue possui retrovisores convencionais, na coluna A. Ele ainda ostenta rodas de 22 polegadas na dianteira e rodas de 23 polegadas na traseira (com pneus 255/35 R22 na dianteira e 315/30 R23 na traseira). O aro ainda possui cinco raios e deixam aparentes os discos e pastilhas de freios. No teto, temos um SUV que possui um enorme teto solar panorâmico, que se conecta com o desenho do para-brisa. De traseira, o Purosangue se destaca por vir com um aerofólio vazado e com fixação nas extremidades.

O vidro traseiro é mais inclinado dá a sensação de estarmos diante de um SUV mais cupê, enquanto a traseira traz lanternas horizontais que invadem a tampa do porta-malas. Essas lembram bastante as lentes do 296 GTB, com um estilo mais quadrado e duplo, se conectando entre si por uma fina barra em preto brilhante. Acima das lanternas, existe um vinco que parece formar um pequeno aerofólio na própria tampa. Abaixo das lanternas estão as saídas de ar que tem desenho que invade um pouco a tampa do porta-malas. Ao centro da tampa está o logotipo da marca e a parte inferior possui um vinco horizontal que invade o para-choque traseiro.

Falando nele, o para-choque traz linhas imponentes. Logo abaixo da tampa está o espaço para a placa traseira e toda a parte inferior possui um acabamento preto brilhante com um difusor de ar central e um desenho mais voltados para as extremidades, onde estão os refletores horizontais e as quatro saídas de escape, duas de cada lado. O desenvolvimento aerodinâmico do Purosangue concentrou-se em tornar a carroceria, parte inferior da carroceria e difusor traseiro o mais eficiente possível. Novas soluções incluem a sinergia entre o para-choque dianteiro e o revestimento das caixas de rodas, que gera uma cortina de ar que veda aerodinamicamente as rodas dianteiras, evitando a geração de fluxos de ar transversais turbulentos.



Já em seu interior, o Purosangue possui espaço para quatro ocupantes. O painel do SUV foi desenhado para exaltar o luxo sofisticado do interior, que exala elegância e modernidade. Com isso, parece que ele possui dois quadros de instrumentos. O do motorista possui um quadro de instrumentos com uma tela digital de 10,2 polegadas e com saídas de ar do ar-condicionado ladeado a tela, num estilo onde o conjunto forma um triângulo. No outro lado, existe uma segunda tela, também ladeada por duas saídas de ar e que também forma outro triângulo. Esta traz as funções do sistema de som Burmester 3D High-End Surround Sound System também faz sua estreia em um veículo da Ferrari como equipamento padrão.

Este sistema de áudio oferece o melhor desempenho de baixas a altas frequências, alcançado por tecnologias inovadoras. O tweeter de fita faz sua primeira aparição em qualquer carro de produção, e o subwoofer está alojado em seu próprio gabinete fechado para melhor clareza de graves, potência e velocidade combinadas com frequências baixas de tirar o fôlego. O som 3D, além de predefinições adicionais, oferece uma experiência de som envolvente, emocionante e de alta qualidade que reflete o caráter único do carro e, portanto, a própria essência das obras-primas automotivas produzidas em Maranello.

A tela afrente do passageiro ainda é a central multimídia, com conectividade com Android Auto e Apple CarPlay como padrão. O painel ainda possui controles em posição central, com um seletor rotativo. Um parecido com este também está para os ocupantes do banco traseiro. O volante tem três raios e controles multifuncionais, além de trazer o botão de ignição. O console central tem dois andares, com uma parte superior com os controles do câmbio, espaço para recarga de smartphones e demais controles do SUV, enquanto uma parte inferior possui mais espaço para porta-objetos.



Pela primeira vez na história da Ferrari, a cabine tem quatro assentos separados e ajustáveis ​​de forma independente. Os bancos traseiros aquecidos podem ser ajustáveis ​​e reclinados independentemente. A Ferrari ainda confirma que 85% dos acabamentos de lançamento do carro foram produzidos de forma sustentável: o tecido do forro do teto é de poliéster reciclado, o carpete é feito de poliamida reciclada de redes de pesca recuperadas dos oceanos e o recém-formulado Alcantara, também derivado de poliéster reciclado. Na verdade, o Purosangue é o primeiro carro do mundo a usar esta versão especial do Alcantara feito de 68% de poliéster reciclado pós-consumo.

Para esta versão do material, a Alcantara obteve a certificação Recycled Claim Standard (RCS) do ICEA. O SUV ainda possui espaço para receber com conforto quatro adultos, com bancos de comandos elétricos e com aquecimento. O porta-malas, de acordo com a marca, é o maior já visto para uma Ferrari e que aumenta com o rebatimento dos bancos traseiros. De acordo com a Ferrari, o Purosangue é desenvolvido a partir de um chassi desenvolvido especialmente para ele, oferecendo uma maior rigidez. O chassi é feito em alumínio de alta resistência, sendo mais leve que os últimos carros da marca.

Além de um chassi mais leve, a carroceria é feita de materiais que vão do alumínio à fibra de carbono, com a introdução de aço de alta resistência em áreas importantes e flanqueando as juntas mecânicas com adesivo estrutural. A combinação desses diferentes materiais garantiu a máxima resistência onde necessário e também leveza em áreas não sujeitas a estresse. Em termos de porte, o Purosangue possui 4,973 metros de comprimento, 3,018 metros entre os eixos, 2,028 metros de largura e 1,589 metro de altura. O porta-malas tem uma capacidade de bons 473 litros de capacidade, peso de 2.033kg e tem um tanque de combustível de 100 litros.



Na mecânica, ele é equipado com um motor 6.5 V12 a gasolina capaz de desenvolver 725cv de potência com torque de 73,0kgfm, acoplado a um câmbio automatizado DCT de dupla embreagem de 8 marchas, de cárter seco. Ele vem com tração integral, mas o eixo dianteiro perde a tração na quarta marcha ou em uma velocidade superior a 200km/h. Com esse conjunto, ele acelera de 0 a 100km/h em 3,3 segundos e aos 200km/h em 10,6 segundos. A velocidade máxima é de 310km/h, se tornando um dos SUVs mais velozes do mundo. Em termos de consumo, o SUV consome 4,2km/l na cidade e 5,2km/l na estrada.

Diferentemente das Ferraris atuais, o Purosangue possui motor instalado na frente, no meio da frente, com a caixa de câmbio na parte traseira para criar um layout de transmissão típica de esportivos. Isso ajuda na distribuição de peso abaixo da ideal, que no caso do SUV é de 49/51. A marca ainda quis fazer o modelo num tom mais baixo da carroceria, a fim de manter a identidade de uma Ferrari. O Purosangue ainda possui duto de admissão otimizado acompanha as notas altas do V12 com o corpo das frequências médias. Os dois silenciadores progressivos, cuja resposta agora está incluída nas configurações do Manettino, atendem à direção urbana e de alto desempenho.

A trilha sonora resultante é a típica Ferrari, com aqueles inconfundíveis harmônicos do V12 presentes, porém sutis, até o piloto acelerar forte. Ele possui disco de carbono-cerâmica na dianteira e na traseira. De acordo com a marca, ele será vendido com as cores Grigio Titanio, Nero Purosangue, Bianco Italia e Blu Corsa. Há também as cores Rosso Portofino e Titanio Lancio. Ele é vendido com uma garantia de 1 ano e será vendido na única concessionária no Brasil, localizada em São Paulo (SP). 



Purosangue V12

Entre os itens de série, o Purosangue estreia direção independente nas quatro rodas e ABS 'EVO' com o sensor dinâmico do chassi de 6 vias (6w-CDS). Fazendo sua estreia mundial está o novo sistema de suspensão ativa da Ferrari. Isso controla com muita eficácia a rotação da carroceria nas curvas, bem como a área de contato do pneu em solavancos de alta frequência para oferecer o mesmo desempenho e resposta de manuseio de um dos carros esportivos da marca. Há também a tecnologia de suspensão ativa da Ferrari habilitada pelo sistema True Active Spool Valve (TASV) da Multimatic. A suspensão ativa da Ferrari traz atuadores do motor TASV de 48V aplicam força na direção do curso do amortecedor. O motor elétrico trifásico de alta densidade de potência foi co-desenvolvido para esta aplicação pela Ferrari. A suspensão traz interface com o Side Slip Control (SSC) 8.0 e o sensor 6w-CDS. A lógica de controle proprietária da Ferrari, juntamente com os amortecedores TASV fornecidos pela Multimatic, gerencia eletronicamente cada elemento de desempenho do sistema de suspensão totalmente ativo. Com pacote ADAS, o Purosangue desenvolveu com a Bosch equipamentos como Adaptive Cruise Control (ACC), Automatic Emergency Brake System (AEB), Auto High Beam (HBA/HBAM), Lane Departure Warning (LDW), Lane Keeping Assist (LKA), Detecção de ponto cego (BSD), Rear Cross Traffic Alert (RCTA), Traffic Sign Recognition (TSR), Driver sonolência e atenção (DDA) e visão traseira câmera de estacionamento (NSW). Por fim, o SUV possui 10 airbags, bancos dianteiros massageadores que proporcionam uma massagem relaxante e direcionada, com cinco tipos diferentes de massagem e três níveis de intensidade. Há também sensor de qualidade do ar que pode verificar o ar fora do carro e melhorar a qualidade na cabine por meio do controle inteligente da recirculação do ar e do uso de filtros que podem impedir partículas de até PM2,5 de entrar no carro. 



Preço

  • Ferrari Purosangue 6.5 V12 DCT AWD – R$ 7.500.000 




Fotos: Ferrari / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Toyota Yaris Hatch só ganha nova geração entre 2024 a 2025 na Ásia, depois do sedã e do SUV

Nova geração do Toyota Corolla surge em meados de 2025, como uma geração evolutiva

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 2003!

Oshan aparece no Brasil testando seu utilitário esportivo médio X5; marca será que vem?

Fiat Titano estreia na Argélia primeiro, vazando e antecipando alguns detalhes da nossa

Celta voltará? Chevrolet confirma que não vai desenvolver nenhum subcompacto novamente

Yangwang revela as primeiras imagens oficiais teaser do seu inédito sedã elétrico, o U7

Renault e Nissan passam a ter seguros com Assurant, por meio do intermédio da Mobilize

Scout revela novo teaser e confirma que seus produtos farão estreia no mês de julho