Ford iniciou a produção da nova geração da Ranger na Argentina, em General Pacheco

Ford iniciou a produção da nova geração da Ranger em junho do ano passado, na fábrica de General Pacheco, na Argentina, depois de transformação na fábrica 



A Ford iniciou a produção da nova geração da Ranger em junho do ano passado, na fábrica de General Pacheco, na Argentina. A unidade se tornou a única da Ford na América do Sul e passou por um grande processo de reestruturação fruto de um pesado investimento. O evento do início da produção contou com a presença do então Ministro da Economia, Sergio Massa, do Titular do Sindicato dos Mecânicos e dos Transportes Automotivos Correlatos – SMATA, Ricardo Pignanelli, do Presidente e CEO da Ford América do Sul, Daniel Justo.

Por fim, contou com a presença do Presidente e CEO da Ford Argentina, Martín Galdeano, entre outros convidados. A unidade de Pacheco passou por uma série de investimentos, da ordem de US$ 660 milhões. A produção dessa nova linha de motores vai exigir que a unidade de motores mude também, sendo mais uma fábrica da unidade a incorporar os mais recentes processos de tecnologia da Indústria 4.0. A prioridade no projeto desta planta e seus processos é entregar motores de alta qualidade para clientes na América do Sul. O início da produção dos novos motores na Fábrica de Pacheco ocorrerá em algum momento de 2024.

Com operação fabril 4.0, a unidade passou por um aumento de capacidade de produção, alcançando uma capacidade de 110.000 unidades ao ano, 70% a mais que antes. “A Ranger é o produto mais importante em nossa estratégia de negócios na América do Sul, com foco em picapes, SUVs e comerciais leves com alto nível de qualidade e tecnologia. Nosso objetivo de crescer em todos os mercados da região explica a magnitude do nosso investimento na Fábrica de Pacheco para fabricar a próxima geração da Ranger que irá redefinir o segmento de picapes médias na América do Sul.”, destacou o CEO da Ford América do Sul, Daniel Justo.

“Quero agradecer e parabenizar especialmente toda a equipe da Ford Argentina e América do Sul, os sindicatos e a nossa cadeia de valor. Foram mais de dois anos de muito trabalho para concluir este ambicioso projeto que transformou completamente a nossa Fábrica de Pacheco, onde hoje fabricamos a nova geração global de Ranger para abastecer os mercados da região.”, disse Martín Galdeano, Presidente da Ford Argentina. A unidade de Pacheco passou a ser uma fábrica digitalizada e conectada, com as mais recentes tecnologias e processos de fabricação globais que atendem ao novo padrão da Ford.



A mesma ainda entra para a história para uma das fábricas que mais mudaram nos últimos anos, para uma unidade fabril que tem 60 anos. As mudanças tiveram foco na qualidade, a produtividade, a ergonomia e o bem-estar dos trabalhadores. As atualizações de General Pacheco começaram em 2021, com o avanço da modernização abrangente de suas instalações e operações de produção, incorporando equipamentos e tecnologias. O investimento ajudou setores como Estamparia, Carroceria e Montagem, que operam hoje com níveis de tecnologia comparáveis ​​aos mais avançados centros produtivos da Ford, a fim de trazer ao país ‘hermano’ o que há de mais moderno em inovação industrial para a eficiência e sustentabilidade das operações.

Essas atualizações aconteceram entre os meses de abril a maio de 2022. O setor de Carroceria ganhou mais de 300 robôs de soldagem automática que operam em sincronia para formar a carroceria e a cabine da Ranger. Essas tecnologias levaram a uma expansão de cerca de 90% da capacidade instalada da área e as mudanças começaram durante a primeira fase de obras em 2021. Complementaram a atualização deste setor o plano de instalação das células robóticas para atingir a meta de soldagem manual zero nas principais operações. Por sua vez, na área de Estamparia – onde começa a produção e são moldados os painéis que formam o esqueleto do picape – já começaram os testes para colocar em operação a nova linha de prensas de alta velocidade.

Uma imponente instalação de última geração com 59 metros de comprimento x 12 metros de largura, que permite aumentar em até quatro vezes o número de peças acabadas por hora, devido às suas capacidades simultâneas de funcionamento e estampagem. Para o assentamento da megaestrutura foram necessárias obras iniciais de movimentação de solo e fundações, que demandaram mais de 900 metros cúbicos de concreto e 70 toneladas de ferro. Da mesma forma, os tetos existentes tiveram que ser elevados mais de 6 metros. Essas obras de infraestrutura foram necessárias para a instalação de nova linha de prensas de alta velocidade.



Já na área de Montagem, somaram-se às obras concluídas e em operação na área de Motor Dress-Up, foi concluída a transformação das linhas de Chassis e Estofados, aumentando as capacidades de produção. Cada estação de trabalho foi completamente modificada para se adaptar aos novos parâmetros globais de produção e ganhou robôs autônomos que vão transportar peças por um trilho até a área de montagem. A fábrica também recebeu uma nova linha de chapas planas de 250 metros de comprimento – que foi montada de raiz e onde são realizadas as últimas operações para completar a unidade – incorporou, como em todas as áreas transformadas, tecnologias aplicadas à segurança dos funcionários e traz mais ergonomia na produção.

A unidade fabril ainda recebeu novos sistemas avançados de climatização em toda a fábrica, proporcionando espaços mais confortáveis. Por fim, implementação de um novo software permitiu automatizar a logística interna da planta. Essa automação permite melhorias tanto para a cadeia de suprimentos tanto para as próprias linhas de produção – otimizando o processo de estoque e distribuição das peças necessárias para a fabricação do Ranger. Em termos da fábrica, General Pacheco recebeu uma revitalização de tetos, pisos e luminárias, que estão sendo substituídos pela tecnologia LED de controle automático, que até o momento já foi instalada em 120.000m² da fábrica.

Este sistema de iluminação fornece níveis de luz ideais de acordo com as necessidades individuais e contribui para a sustentabilidade de General Pacheco graças ao seu baixo consumo de energia. Cerca de 1/3 dos investimentos da Ford também foram para a produção local de autopeças e componentes, ou seja, cerca de US$ 174 milhões. Cerca de 70% da produção da Ranger é destinada para exportação. Neste ano, a Ford conseguiu adicionar novos mercados para envio de suas picapes, como República Dominicana, Guatemala e Panamá.



Fotos: Ford / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jetour apresenta o X90 Plus no Salão do Automóvel de Guangzhou, que é reestilizado

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Volkswagen lança promoção no Brasil para Polo, Virtus, Nivus, T-Cross, Taos, Tiguan e Amarok