BYD lança oficialmente o Dolphin Mini no Brasil, que estreia no mercado por R$ 115.800

Ponto de virada para a BYD no Brasil, Dolphin Mini estreia no mercado em versão única, com preço de R$ 115.800 e como o mais barato da marca



A BYD confirmou a chegada do Dolphin Mini, que estreia em nosso mercado como o novo principal produto da marca em solo brasileiro. E olhe bem para este produto. Porque ele deve se tornar muito popular circulando nas ruas por conta da boa demanda que a BYD recebe com seus novos produtos elétricos. Com porte de um Citroën C3, o Dolphin Mini chega com a proposta de ser o menor carro da chinesa aqui, além de ser o mais barato, mesmo que seja um carro elétrico.

De quebra, ele se torna o segundo carro elétrico mais barato do país, ficando mais caro apenas que o Renault Kwid E-Tech Electric, sendo este um dos seus maiores concorrentes. “O BYD Dolphin revolucionou o mercado de carros elétricos do Brasil em um curto espaço de tempo. Agora chega o BYD Dolphin Mini, que antes mesmo de ser lançado já causou um grande alvoroço e enorme expectativa no mercado brasileiro. Traz uma nova proposta urbana, com soluções inovadoras, alta tecnologia, alta eficiência energética e excelente relação custo/benefício, com perfil jovem, descolado, urbano, conectado”, destaca Tyler Li, presidente da BYD Brasil.

O hatch elétrico também é considerado um dos principais lançamentos de 2024 e é, de longe, a principal estreia da BYD para este ano. De acordo com a empresa, ele alia elementos como tecnologia de ponta, conectividade, design, ótima autonomia e, claro, um preço muito competitivo. Conhecido como Seagull na China, o Dolphin Mini desembarca em nosso país com um nome que o aproxima do Dolphin, que é hoje o carro mais vendido da BYD aqui. Ao surfar na onda do irmão maior, o Dolphin Mini pode acabar tendo maior visibilidade.

Em termos de design, temos um hatch subcompacto que estreia com um desenho de linhas retas e até simples, por conta da sua proposta que é mais simples. Na dianteira, o hatch se destaca por contar com faróis com desenho mais quadrado e levemente inclinado, que possui um par de luzes diurnas (DRL) em LED com barras verticalmente inclinadas e uma barra de luz diurna horizontal entre as barras verticais, criando um pequeno ‘U’. Dentro, está o projetor em LED do hatch, enquanto a parte mais interna dos faróis estão as luzes de setas, com um acabamento escurecido.



O para-choque dianteiro possui linhas bem simples, com o logotipo da BYD ao centro e um vinco horizontal que conecta os dois faróis. Nas extremidades laterais, o para-choque dianteiro ainda possui um vinco vertical que conecta com a parte inferior da carroceria. Falando nela, essa parte inferior do para-choque possui uma entrada de ar trapezoidal com grade de grelha de pequenos ‘Ls’ e um acabamento em plástico preto da grelha e um contorno em plástico preto. O hatch possui um prolongamento desse acabamento de plástico preto na parte superior, criando um pequeno bigode ou um colchete.

A entrada de ar inferior ainda se conecta com um acabamento em plástico preto, que está presente em toda a parte inferior da carroceria. No capô, o hatch tem linhas simples, com vincos duplos e sutis, ambos partindo acima dos faróis. Ainda na dianteira é perceptível que a BYD usará apenas um limpador de para-brisa, uma técnica usada pelo Renault Kwid, por exemplo, demonstrando que estamos diante de um projeto mais simples. De perfil, o Dolphin Mini mostra que tem uma dianteira bem compacta. Se percebe que nasce um vinco lateral a partir dos faróis, que termina ainda na porta dianteira.

O hatch tem um vinco mais definido nas caixas de rodas dianteiras e traseiras, que ajudam a alargar a carroceria. Há um vinco que nasce no para-lama dianteiro, passa pelas portas e se conecta com a base inferior dos vidros na porta traseira. Outro vinco notável é na parte inferior das portas, que nasce na porta dianteira e termina na porta traseira. Esse vinco acompanha um acabamento em plástico preto, que também cresce, se mantém e morre abruptamente na porta traseira. Um vinco acompanha esse acabamento.



Ele traz um acabamento em plástico preto nas caixas de rodas, com uma área maior próximo da porta dianteira. Voltando aos vincos, ele também tem um vinco que nasce na porta traseira e que chega até nas laterais do para-choque traseiro. O acabamento em plástico preto ainda está na parte inferior, nas saias laterais. A lateral também possui um desenho inferior dos vidros bem ascendente, fazendo com que o vidro da porta traseira seja pequeno. Os vidros ainda se conectam com o vidro traseiro por meio de um acabamento em preto brilhante na coluna C, deixando o teto com desenho flutuante – e esse acabamento em preto brilhante se conectam com o desenho das lanternas.

Os retrovisores são convencionais e com base na coluna das portas, com repetidores de setas, e as maçanetas são embutidas. Elas melhoram a aerodinâmica do hatch. Se observa que o pequeno tem uma vocação mais popular com o desenho das portas mais retas. O pequeno Dolphin usa rodas de 16 polegadas (com pneus 175/55 R16), de cinco raios, inspiradas no conceito “flocos de neve”. O bocal de recarga da bateria fica no para-lama dianteiro direito. No teto, o Dolphin Mini possui uma antena de teto estilo barbatana de tubarão.

De traseira, ele possui um aerofólio destacado junto de um brake-light integrado, enquanto o vidro traseiro é levemente inclinado. O acabamento das laterais, que conecta os vidros com o vidro traseiro, conecta também com as lanternas. Estas são horizontais e invadem a tampa do porta-malas. Com iluminação em LED, as lanternas possuem uma barra que faz as lanternas se conectarem entre si. Um acabamento em preto brilhante ajuda a ligar as duas lanternas, enquanto a tampa do porta-malas traz o nome da marca escrito por extenso.



A tampa tem um vinco horizontal que invade o para-choque e os vincos que vem das laterais terminam como vincos verticais no para-choque traseiro. O para-choque ainda possui um acabamento inferior com plástico preto, onde fica o espaço para a placa. Esse acabamento se conecta para as extremidades, onde estão os refletores verticalmente inclinados. A parte mais inferior ainda tem um acabamento em plástico preto com difusor de ar com duas aletas verticais e uma lanterna de neblina central. Internamente, o elétrico possui um painel bem moderno, que lembra muito os demais produtos da marca, que compõe a linha Ocean assim como o Dolphin.

Ele possui um quadro de instrumentos com uma tela digital LCD de 7 polegadas, com um volante de três raios, multifuncional e de base inferior achatada (que possui ajuste manual de altura e profundidade), além de ter detalhes em preto brilhante. Ao centro do volante está o logotipo da marca. O pequeno possui esse mesmo acabamento em preto brilhante em outros elementos do interior, como o botão Start/Stop. Ainda no painel, destaque para a central multimídia com tela de 10,1 polegadas, que é giratória como todo BYD.

Há modo de tela dividida (função GPS/Spotify), além de conexão 4G e armazenamento em nuvens disponíveis no ICS. O painel possui uma faixa que invade os painéis das portas. Abaixo da central multimídia, o painel possui alguns controles como do ar-condicionado, alavanca de câmbio no lado esquerdo, por meio de um seletor que troca as marchas – lembrando que ele é automático. Nesse espaço ainda tem alguns controles como pisca-alerta e modos de condução. Mais abaixo, ele tem as saídas de ar-condicionado horizontais e centrais e as saídas das extremidades também são horizontais.



Indo para o console central, o hatch elétrico possui um espaço para recarga de indução para smartphones e dois porta-copos. Vazado, o console central ainda tem um espaço abaixo para guardar alguns objetos, além de vir com entrada USB e tomada 12V. Os painéis das portas têm maçanetas em preto brilhante e o descansa-braço traz os controles dos vidros. Falando em bancos, eles têm um desenho que lembra bastante os bancos do Dolphin, com um encosto de cabeça fixo e o logotipo BYD bordado. Os bancos ainda possuem um acabamento premium ecológico dos bancos.

Os dianteiros são em formato de concha e o traseiro, integral, que comporta dois passageiros com muito conforto e espaço. Para maior comodidade, o banco do motorista possui ajuste elétrico em seis posições e o banco do passageiro pode ser ajustado manualmente em quatro posições. Os cintos de segurança dianteiros contam com pré-tensionadores e aviso sonoro. Contribui para a conectividade as entradas USB-A, USB-C e tomada 12V no interior, além de ganhar 18 compartimentos distribuídos pelo habitáculo. O espaço interno é de quatro lugares, mas há rumores de que a marca trabalha na chegada de bancos de cinco lugares.

Desenvolvido a partir da plataforma modular e-platform3.0, o Dolphin Mini possui 3,780 metros de comprimento, 2,500 metros entre os eixos, 1,715 metro de largura e 1,580 metro de altura, além de um porta-malas de 230 litros de capacidade que pode ser expandido para 930 litros de capacidade com a segunda fileira rebatida. Sem estepe, a BYD traz um kit de reparo de pneus, para consertos emergenciais. O peso é de 1.239kg. Em termos de motor, temos um Dolphin Mini equipado com motor elétrico instalado no eixo dianteiro que desenvolve 75cv e 13,7kgfm, com câmbio automático.



Em termos de desempenho, ele acelera de 0 a 100km/h em 14,9 segundos e chega a uma velocidade máxima de 130km/h. Ele será equipado com uma bateria de 38,88kWh que vai oferecer uma autonomia de 280km no ciclo PBE do InMetro, sendo uma bateria Blade de fosfato de ferro-lítio (LFP). Ele pode ser carregado em estações de recarga de 30kW a 40kW, recuperando de 30% a 80% em apenas 30 minutos. Ele pode ser plugado em um WallBox de 6,6kW tipo 2 e que permite função V2L, que fornece energia para outros equipamentos. Ele também pode ser recarregado em corrente alternada, podendo ser plugado na rede de 127V ou 220V. Em termos de eficiência energética, o subcompacto é o novo carro mais econômico do Brasil, consumindo 0,41MJ/km, o equivalente a incríveis 70km/l num veículo movido a gasolina.

Ele ainda possui freios a disco nas quatro rodas (ventilados na dianteira e sólidos na traseira) que frena de 100km/h a zero em 39 metros. Ele ainda possui uma suspensão McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. Desenvolvido com uma nova forma, a BYD destaca que sua construção é composta por 61% de aço de alta resistência, forjado a ponto de proteger seus ocupantes também contra a maioria dos impactos. A BYD confirma que ele possui três modos de condução: Normal, Eco e Sport. O hatch possui uma garantia de cinco anos ou 500.000km, enquanto a bateria Blade possui garantia de oito anos, sem limite de quilometragem.

Aqui, o hatch será vendido com as cores Branco Apricity (interior rosa ou azul escuro), Preto Polar Night (interior azul escuro), Rosa Peach (interior Rosa) e Verde Sprout (interior azul claro). De acordo com a BYD, as primeiras unidades do hatch foram vendidos com bônus de R$ 10.000 e custou R$ 105.800. Além do desconto, foi oferecido WallBox gratuito. Num primeiro momento, ele chega importado da China. Hoje, ele é produzido nas unidades de Xi'an, região de Shaanxi, e em Changzhou, região de Jiangsu, ambos na China. Posteriormente, ele pode ser produzido em nosso mercado. 



Dolphin Mini

De série, o hatch subcompacto vem com limpador de para-brisa dianteiro tipo Flat-Blade, porta traseira com destravamento elétrico, rodas de liga de alumínio de 16 polegadas, faróis de LED com ajuste de altura, faróis automáticos, lanterna de neblina traseira, farol Follow me Home com atraso avançado para abrir e desligar, luz de rodagem diurna (DRL) de LED, lanterna traseira de LED, luz de freio (brake-light) de LED, para-brisa traseiro com função de aquecimento, desembaçamento e degelo, vidro elétrico do motorista com função One Touch para subida e descida e função antiesmagamento, espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico e desembaçador com aquecimento e rebatimento manual. A lista cresce com volante multifuncional, quadro de instrumentos com tela LCD de alta resolução de 7 polegadas, espelho retrovisor manual antiofuscante, apoio de braço central dianteiro, tomada 12V, carregamento de smartphone sem fio, para-sol do motorista e do passageiro dianteiro com espelho e iluminação, duas entradas USB dianteiras (1 Tipo A e 1 Tipo C), bancos com revestimento de material premium, banco traseiro reclinável, sistema ISOFIX de fixação de cadeira infantil, ajuste elétrico do banco do motorista (6 posições) e ajuste manual do banco do passageiro dianteiro (4 posições). A central multimídia ICS (Intelligent Cockpit System) com tela flutuante com tela de 10,1 polegadas e rotação elétrica, que tem conectividade com 4 alto-falantes, rádio FM & AM, sistema de navegação GPS, sistema de controle de voz inteligente, Apple CarPlay, Android Auto, Spotify, atualização remota Over-The-Air (OTA), serviço de armazenamento em nuvem BYD e conexão de rede 4G. O ar-condicionado é automático, enquanto as baterias tem função de descarga AC padrão (veículo para carga/V2L), freio de Estacionamento Eletrônico (EPB) e Auto-Hold (AVH). A lista finaliza com chave presencial, assistente de frenagem hidráulico (HBA), sistema de controle de tração (TCS), freio eletrônico com distribuição de força (EBD), assistente de partida em subida (HHC), frenagem confortável (CST), desaceleração controlada para freio de estacionamento (CDP), Controle de Dinâmica do Veículo (VDC), freios regenerativos cooperativos inteligentes, controle de cruzeiro (CC), três sensores de estacionamento traseiros, sistema de monitoramento direto da pressão dos pneus (TPMS), seis airbags (2 airbags dianteiros, motorista e passageiro, 2 airbags laterais nos bancos dianteiros e 2 airbags de cortina, dianteiro e traseiro), cintos de segurança com limitadores de força pré-tensionados, lembrete do uso de cinto de segurança (todos os assentos), modo de condução em terrenos de baixa aderência, modo de condução Normal, Sport e Eco, direção elétrica e volante com ajuste manual de altura e profundidade. 



Preço

  • BYD Dolphin Mini EV – R$ 115.800 





Fotos: BYD / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jetour apresenta o X90 Plus no Salão do Automóvel de Guangzhou, que é reestilizado

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Volkswagen lança promoção no Brasil para Polo, Virtus, Nivus, T-Cross, Taos, Tiguan e Amarok