Ford confirma investimento na China, que vai se tornar polo exportador de veículos

Ford confirma novos investimentos na China, apostando em elétricos e em veículos comerciais para exportação para novos mercados – áreas que são mais lucrativas 



A Ford possui uma boa presença na China, com produtos que são desenvolvidos exclusivamente para aquele mercado tal qual Equator, Mondeo, Edge, Evos e outros modelos que são vendidos hoje apenas lá. Nomes clássicos como Mondeo e Edge ganharam novas gerações produzidas apenas lá e reforçaram como a Ford na China possui um papel importante para a marca. Agora, a norte-americana anunciou que a divisão chinesa vai contar com o apoio de um investimento que vai permitir a produção de elétricos e veículos comerciais.

A informação foi confirmada por meio do CEO da Ford, Jim Farley, que destacou que a operação chinesa vai apostar em áreas de maior retorno financeiro. Hoje, a marca possui uma parceria com a Jiangling Motors Group (JMG), que é responsável pela produção de modelos como Equator e Equator Sport (o nosso Territory, que vem importado de lá). A marca também confirma que a China vai exercer uma função de centros de exportação para construir veículos para mercados como América do Sul, Austrália e México. “Não vamos tentar servir a todos. Será um negócio com menor investimento, mais enxuto e muito mais focado na China.”, disse Farley.

O executivo ainda confirma que a China vai exercer uma função importante que é a de exportar veículos com um preço mais competitivo. Vale destacar que até mesmo a Lincoln terá parte nesse papel, com a nova geração do Nautilus sendo produzida na China e exportada para os Estados Unidos e Canadá, por exemplo. “Acreditamos que não é apenas o maior mercado de veículos elétricos do mundo, mas os clientes digitais estão à frente do resto do mundo e, portanto, é um mercado realmente importante para nós”, observou Farley, destacou o executivo durante entrevista ao Automotive News.

“E o que realmente vemos em nossa presença é tecnologia de bateria, experiências digitais para o cliente e produto avançado, integração de software e hardware.”, acrescenta. Além da Jiangling, a Ford possui uma joint-venture com a Changan, divisão que foi responsável por 1% do mercado chinês em 2022, depois de já ter chegado a 4% em meados de 2016. Com a expansão da atuação na China, a Ford pode usar essa produção para exportação de novos mercados, o que vai assegurar a produção em um ritmo saudável, financeiramente falando – motivo que tirou a produção do Brasil e Austrália, por exemplo.



Fotos: Ford / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Volkswagen apresenta as primeiras imagens teaser de um possível Golf GTI Edition 50

Ford tem desconto de R$ 17 mil para a Ranger; Maverick, Bronco Sport e Transit tem promoção

Toyota registra imagens de patente de câmbio manual que simula de 14 marchas no USPTO

BMW lança promoção adicional para iX1 e iX no Brasil até o próximo dia 31 de maio

BMW cogitou produzir 50 unidades da Z4 Touring Coupé Concept, mas desistiu do projeto

MINI revela imagens teaser do desenvolvimento da condução com uso de óculos VR

Chery reajusta o preço do Tiggo 5X em R$ 1.000 e Tiggo 7 Sport pode receber primeiro aumento

GWM lança promoção para o Ora 03, com Pacote Tranquilidade e condições de financiamento

Peugeot apresenta a reestilização do 208 na Europa, que ganha opção de motor híbrido