Câmbio Automático ou Automatizado, qual a diferença ?

Se você possui um carro com câmbio manual, você com certeza já deve ter pensando e troca-lo por um automático, estou certo ?
Você sabia que atualmente está mais fácil adquirir um veículo com câmbio automático no Brasil ? Pois bem, o que até alguns anos atrás era um luxo privado apenas da categoria de sedãs médios para cima, agora atinge a categoria mais acessível do mercado nacional, os compactos e sedãs derivados destes.
No entanto, para tornar ainda mais acessível ao consumidor a possibilidade de nunca mais pisar no pedal de embreagem, surgiu um outro câmbio, o automatizado.

Automáticos e automatizados possuem diferenças significativas no funcionamento, que afetam a diretamente a dirigibilidade do veículo. Além disso o preço de um carro com câmbio automatizado é consideravelmente inferior ao um modelo semelhante com câmbio automático. Veja agora as diferenças que estes dois possuem antes de escolher o seu.

Câmbio Automático:

Em veículos com câmbio automático a embreagem passa a ser um componente hidráulico chamado Conversor de Torque ou Embreagem Hidráulica. Estes dois componentes funcionam seguindo o mesmo princípio, em ambos o motor do veículo aciona uma bomba(impulsor) imersa em cárter de óleo, dentro do cárter, além do óleo também se encontra a turbina, que aciona a caixa de marchas.
Com motor em funcionamento a bomba gira e impele o óleo hidráulico sobre as pás da turbina fazendo-a girar. As velocidades da bomba e da turbina nunca serão iguais, apenas podem se aproximar(98%) devido ao escorregamento do fluído, motivo pelo qual os carros automáticos possuem consumo maior que de carros manuais e automatizados.

A diferença do Conversor de Torque para a Embreagem Hidráulica é a utilização de um Reator(em amarelo) para garantir um maior torque motriz em baixas rotações no Conversor de Torque.
Foto: Livro do Automóvel.


O deslizamento entre os eixos consequentemente não garante uma transmissão de torque instantânea, existe um grande amortecimento, e é esse ponto que garante a suavidade de funcionamento de um câmbio automático. As marchas entram de forma quase imperceptível, e embora os dois eixos nunca girem na mesma velocidade, em velocidade de cruzeiro, veículos com câmbio automático podem até superar os manuais em consumo de combustível devido ao maior escalonamento da última marcha, que visa o conforto e suavidade ao rodar.

Câmbios automáticos necessitam de mão-de-obra especializada em seu conserto ou manutenção, além possuir maior peso e número de peças que um câmbio automatizado. O consumo de um veículo com câmbio automático pode chegar a ser 20% maior que um veículo com câmbio manual, contudo é unânime sua superioridade em conforto e suavidade ao rodar.

Câmbio automatizado:

O automatizado é mais barato, mais leve e conceitualmente mais simples que um câmbio automático. Este sistema utiliza até a mesma caixa de marchas utilizada no modelo com câmbio manual, e o que muda realmente é o acionamento da embreagem, que passa a ser automatizado. A automatização pode ser por um sistema eletro-hidráulico(Dualogic e I-Motion) ou eletrônico(Easytronic). Todos os componentes que eram utilizados em sistemas manuais, são substituídos por bomba e eletroválvulas comandados por uma ECU, que através dos parâmetros colhidos de diversos sensores selecionam a marcha adequada ao momento. Devido a isso é comum o câmbio automatizado ser também chamado de robotizado.

Câmbio Dualogic, sistema eletro-hidráulico garante o arranque do veículo e as mudanças de marcha.
Foto: Fiat.


Na prática, os veículos com câmbio automatizado tem registrado números de consumo ligeiramente superiores ao mesmo modelo com câmbio manual, o trunfo desse sistema sobre o automático é basicamente o custo de desenvolvimento e sua simplicidade. Contudo, peca no quesito suavidade e conforto ao rodar, é possível perceber o momento em que o câmbio trocou de marcha, além de ser necessário retirar o pé do acelerador no momento da troca de marcha, procedimento que leva certo tempo para adaptação.
Possui manutenção mais barata, visto que utiliza a mesma caixa de marchas e alguns componentes de veículos manuais.
O motorista por sua vez controla apenas a posição do joystick seletor, que pode ter a opção de trocas manuais ou automática, basta posiciona-lo na posição correspondente.

Veículos Automáticos e Automatizados abaixo dos R$ 50.000:

Automatizados:

  • Gol 1.6 I-Motion - R$ 35.870;
  • Fox 1.6 I-Motion - R$ 40.310;
  • Voyage 1.6 I-Motion - R$ 40.840;
  • Grand Siena 1.6 Dualogic - R$ 45.465;
  • Punto 1.6 Dualogic - R$ 45.995;
  • 500 Cult 1.4 Dualogic - R$ 46.150;
  • New Fiesta 1.6 Powershift - R$ 49.990;
  • Agile LTZ Easytronic - R$ 45.990.
Automáticos:
  • Sandero 1.6 - R$ 46.090;
  • HB20 1.6 - R$ 47.595;
  • Onix 1.4 - R$ 47.890;
  • Prisma 1.4 - R$ 50.690;
  • Picanto 1.0 - R$ 48.700.

Pronto, agora fica mais fácil de decidir em levar um automático ou um automatizado. De uma forma ou de outra, proceda a manutenção de seu veículo regularmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado