Nissan confirma que deve se despedir do March em setembro e Magnite, como substituto, em 2022


A Nissan confirmou aquilo que era cogitado para acontecer. O fim de linha do March acontece ainda neste próximo mês de setembro, deixando de ser produzido na unidade de Resende (RJ), onde é produzido desde 2014. O hatch chegou ao país em 2011, importado do México e se tornou o primeiro carro a ser produzido na unidade de Resende, inaugurada em 2014. Em comunicado, a Nissan confirmou que o March sai de cena oficialmente no mês que vem, encerrando o seu ciclo de mercado, que durou nove anos. “Como parte natural do ciclo de vida do produto e para a adequação de sua capacidade de produção à realidade do mercado, a Nissan decidiu encerrar a fabricação do Nissan March em seu Complexo Industrial de Resende. A Nissan assegura que mantém inalterado todos os serviços de manutenção e reposição de peças para os proprietários das diferentes versões do modelo, que teve uma longa trajetória de sucesso no país.”. Desde a sua reestilização e a produção nacional, o March vinha passando por uma série de melhorias, que passou pela introdução do motor 1.0 12v SCe Flex em 2014, a atualização do motor 1.6, sem tanquinho, em 2016 e a estreia do câmbio automático CVT no motor 1.6 mais tarde, em 2017. Com uma nova geração em linha desde 2016 na Europa, onde é conhecido como Micra, por aqui era esperado que a Nissan desenvolvesse uma nova geração com base na terceira geração do Renault Sandero, que chegaria em 2022. 



A Nissan disse que esse segmento ainda é grande, mas não tem muito espaço para a Nissan, já que existem muitas boas opções. Com isso, a marca deve apostar num segmento nem tanto inédito, mas onde a concorrência é muito menor. A marca deve desenvolver o Magnite para o Brasil, que chega aqui em 2022. O SUV subcompacto deve ficar abaixo do Kicks no lineup da marca e por mais que na Índia ele seja desenvolvido sobre a plataforma CMF-A, por aqui ele poderá ser produzido na plataforma CMF-B, mais sofisticada. Ainda tido como conceito (o modelo de produção estreia em janeiro, na Índia), visualmente, o Magnite possui uma dianteira diferente do Kicks, com faróis afilados e com um pequeno prolongamento nas laterais do carro, além de uma ampla grade dianteira e a iluminação diurna DRL em LED em “L” na dianteira. O para-choque dianteiro ainda conta com um peça na parte inferior que pode funcionar como um quebra-mato do conceito. Há ainda um elemento que nasce nas extremidades do para-choque dianteiro, na base inferior, que avança para as laterais. Visto de traseira, o Magnite Concept conta com lanternas horizontais que invadem a tampa do porta-malas, enquanto a tampa do porta-malas conta com um ressalto próximo das lanternas. O para-choque traseiro conta com duas saídas de escape e um acabamento que é igual ao para-choque traseiro, mas que aqui funciona como extrator.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado