Honda revela mais do plano de eletrificação e confirma investida de US$ 40 bilhões até 2030


A Honda confirmou mais detalhes do seu plano estratégico de eletrificação global. A marca detalhou partes do seu plano para os próximos anos. Até 2030, a Honda vai investir US$ 40 bilhões em eletrificação e software, lançando 30 novos modelos elétricos globais, incluindo modelos esportivos, com meta de vender cerca de 2 milhões de unidades de elétricos por ano. O custo total de Pesquisa & Desenvolvimento para a próxima década está orçado em ¥ 8 trilhões (US$ 64 bilhões). Focando na sua neutralidade de carbono até meados de 2050, a Honda deve focar regionalmente em seu processo de eletrificação. Na América do Norte, até 2024, serão lançados dois novos utilitários esportivos elétricos, desenvolvidos em conjunto com a GM. Um deles será o Prolongue, enquanto o outro modelo deve ser da Acura. Em 2024, está confirmado que será lançado uma van compacta elétrica, além de keicars elétricos e outros SUVs elétricos. Espera-se ainda lançar cerca de 10 novos modelos elétricos na China até 2027, possivelmente da linha e:NP. Ainda é esperado o lançamento de esportivos elétricos, que será o substituto do Acura NSX. Após 2025, será apresentado uma plataforma específica para elétricos, a chamada e:Architecture. Essa base está prevista para aparecer em 2026, junto de uma série de novos softwares e hardwares. 



A linha de elétricos acessíveis (que interessa ao Brasil) começa a aparecer em meados de 2027, chegando na América do Norte, sendo que também serão desenvolvidos em conjunto com a GM. A Honda também espera que consiga construir uma linha de produção dedicada a elétricos na América do Norte, junto com as fábricas de Guangzhou e Wuhan, ambas na China. Os elétricos feitos na América do Norte usarão baterias Ultium, da GM, os modelos feitos na China terão baterias da CATL e os feitos no Japão terão baterias da Envision AESC. Falando em baterias, a Honda ainda confirmou o desenvolvimento de baterias de estado sólido, com os primeiros resultados aparecendo em 2024 e o primeiro carro com essa bateria aparece na segunda metade da década. Incluindo a utilização de baterias intercambiáveis ​​e hidrogênio, bem como a eletrificação de automóveis, a Honda oferecerá uma variedade de soluções para todos os seus produtos de mobilidade de acordo com a forma como seus clientes usam os produtos em vários países e regiões. Até 2030, a Honda ainda planeja ganhar com serviços de software, novas parcerias e investimento em startups. Além disso, após 2030, a Honda fortalecerá seus negócios de soluções combinadas e também negócios em novas áreas. Para concretizar essa transformação do portfólio de negócios, a Honda vem se esforçando para solidificar seus negócios existentes. 





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat Scudo chega ao Brasil no 2º semestre, com produção uruguaia e duas opções de motor

NBR é marca brasileira que surge como aposta de buggy e terá fábrica em Pernambuco

Fiat Scudo será vendido nas mesmas versões de Citroën Jumpy e Peugeot Expert, Cargo e Multi

BMW lança o Série 3 2022, com novidades nas versões 320i, que estreia por R$267.950

Audi lança a linha 2023 de A4 e A5 Sportback com motor híbrido-leve 40 TFSI, de 204cv

Peugeot 4008 será apresentado em 2022 como um SUV médio cupê com base no novo 308

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Stellantis já testa o Fiat Scudo no Brasil; lançamento vai acontecer ainda em 2022

Volvo abre pré-venda do novo XC40 Recharge Electric P6, com motor de 231cv, por R$ 309.950

Nova Chevrolet Spin não deve ser baseada no Orlando, como era estipulado