Pagani congela desenvolvimento de elétrico em favor dos carros a combustão, diz CEO


A Pagani já confirmou que trabalha com o desenvolvimento de um hiperesportivo equipado com um motor elétrico, mas, no entanto, o projeto deve atrasar um pouco. A informação foi confirmada por Horacio Pagani, CEO da marca, em entrevista ao Autocar, durante o Salão de Milão e Monza. “Em 2018, criei uma equipe trabalhando em carros totalmente elétricos”, disse Pagani ao site inglês. Essa equipe trabalha na homologação global de carros da marca e “em quatro anos, nunca encontramos interesse no mercado de supercarros” por um elétrico, disse. Apesar da fala, um porta-voz da Pagani confirmou que a marca não descartou totalmente os estudos para ter um elétrico futuramente. O porta-voz destaca que um Pagani precisa se manter "fiel à filosofia de ser leve, seguro e emocional, e divertido de dirigir e possuir". A marca ainda confirmou que os elétricos, com as tecnologias atuais, acrescentariam o peso de cerca de 600kg por conta das baterias. Apesar disso, a Pagani segue trabalhando com parceiros para a "seleção de tecnologias futuras – não a tecnologia de hoje, mas a tecnologia de amanhã que chegará à filosofia de leve, segura e emocional. O desafio é fazer um EV que dê boas emoções como um ICE normal. Pagani não vai fazer algo apenas com um bom desempenho, como você pode fazer [agora], mas para dar emoção ao piloto. A ideia deveria ser fazer um carro leve, mas esse é o maior desafio. O sonho seria um EV de 1300kg, mas isso não é possível [com a tecnologia atual].”, disse o porta-voz. “Não queremos carros extremos. Queremos carros fáceis que não sejam estressantes para motoristas cavalheiros.”, disse Pagani. O fato da marca ter adiado o desenvolvimento de um elétrico pode ter a ver com a lei que adiou de 2030 para 2035 para marcas tenham carros apenas a combustão na Europa, especialmente para marcas de baixo volume, como a Pagani. “No momento, 90% da energia é produzida sem energias renováveis. É tolice pensar que apenas alguns supercarros [no mundo] com ICEs podem ter um impacto negativo no clima quando 90% da energia é produzida de maneira ruim.”, destacou Pagani ao site.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Chevrolet lança a nova S10 no Brasil, que traz atualizações importantes e parte de R$ 247.860

Kia confirma a vinda do EV9 ao Brasil e define estreia para o primeiro semestre de 2024

Eccentrica apresenta o Lamborghini Diablo remasterizado que agora desenvolve 550cv

Mercedes-Benz lança o Classe G 63 AMG Grand Edition no Brasil, por caros R$ 2.247.900

Tank registra novas imagens de patente do 700 Hi4-T no MIIT e confirma uso de motor de 517cv

Fiat Titano vai virar RAM 1200 no México, antecipa teaser; picape ganhará quarto logotipo

GWM adiciona caminhões elétricos para fazer entregas de peças para concessionárias

GWM registra imagens de patente do Veyron na China, que pode ser da marca Haval ou da Sar

Volkswagen lança Polo Robust, versão voltada ao agronegócio, que chega por R$ 89.290