BMW aposta em reciclagem de baterias e não deseja entrar para o mundo da mineração

BMW confirma que vai apostar na reciclagem de baterias, mas não quer minerar minerais para a produção; marca ainda reduzir custos de baterias



A BMW confirmou que vai trabalhar para desenvolver baterias que possam ser recicláveis e que vai trabalhar em reciclagem de baterias, ao mesmo tempo que já foca em redução de custos para novos componentes que vão compor as baterias no futuro. A alemã ainda destaca que não vai apostar em investimentos de mineiração. O movimento da empresa vai em sentido oposto a de algumas montadoras, que vem apostando na área como uma forma de reduzir os custos.

"Não achamos que seja certo investir em minas. Consideramos mais importante recuperar matérias-primas de carros e outros produtos", disse o Diretor Financeiro, Nicolas Peter, em entrevista para a Agência Reuters. Ao que tudo indica, a marca alemã vai apostar em continuar adquirindo e produzindo baterias com parceiras, como a CATL, por exemplo. Com isso, todos esses reforços de mineiração ficam a critério da outra empresa parceira. Além disso, Peter confirmou que a reciclagem já vai trazer alguns materiais que vão poder ser recicláveis.

A BMW também confirmou que não vai erguer grandes centros de reciclagem de baterias. No lugar disso, a BMW confirmou que vai comportar de acordo com a procura de matérias-primas recicladas a partir do crescimento das vendas dos seus carros elétricos. "Com o desenvolvimento do nosso negócio, estamos a criar a motivação para investir - mas não precisamos de desenvolver nós próprios grandes instalações de reciclagem para células de bateria.", confirmou Peter. Recentemente se descobriu que a plataforma modular chamada de Neue Klasse e que vai trazer uma série de novidades frente aos elétricos atuais.

A linha de elétricos vai permitir ainda vir com novas baterias, chamadas pela marca de 4695. Desenvolvida em parceria com a EVE Energy, as novas baterias serão 46% que as baterias 4680 da Tesla. As novas baterias em desenvolvimento pela BMW vão aproximar bastante a marca alemã da BYD, que é considerada hoje uma das maiores desenvolvedoras de baterias do mundo para carros elétricos. Isso porque as novas baterias são pouco maiores que as células usadas pela BYD na sua família de baterias chamadas de Blade.



Fotos: BMW / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Ford traz novo lote da Ranger Raptor com mais equipamentos de série e custa R$ 466.500

Jaguar-Land Rover quer construir uma inédita fábrica de bateria para elétricos no Reino Unido

Suzuki Invicto aparece na Índia como rebadge da Toyota Innova e espaço para até oito

BMW revela as novas imagens teaser do M5 e M5 Touring, que vão ter mais de 700cv

Toyota lança o RAV4 com motor híbrido plug-in (PHEV) de 306cv no Brasil, por R$ 399.990

RAM reajusta os preços da Classic e diminui os preços da picape em até R$ 35.000

Volkswagen T-Cross com reestilização chega ainda neste primeiro semestre de 2024

Nio revela primeiro teaser da sua nova marca, a Onvo, que estreia com o SUV elétrico L60

Galaxy apresenta na China o seu sedã L6, que estreia como um PHEV com motor de 390cv