Jeep Wrangler ganha pequena reestilização, no Salão de Nova Iorque, como meia-vida

Jeep apresenta o reestilizado Wrangler no Salão do Automóvel de Nova Iorque com mudanças visuais sutis de meia-vida, que ganha mais em conectividade



A Jeep apresentou oficialmente o novo Wrangler nos Estados Unidos, que estreia com uma pequena reestilização de meia-vida. O jipe mais vendido do mercado norte-americano passa por uma pequena atualização em termos de design externo, interno e outros elementos como equipamentos de série e mecânica. Apresentado no Salão do Automóvel de Nova Iorque, o novo Wrangler promete um desempenho bastante off-road com o novo eixo traseiro sólido da Dana 44 Full Float para as versões Rubicon.

Externamente, as novidades ficam por conta de uma nova grade dianteira que traz as sete entradas de ar que estão mais finas e que estão mais baixas. O para-choque dianteiro também ganha um novo desenho, que se destaca por trazer um guincho central da Warn, que está disponível apenas na versão Rubicon, e que possui faróis de neblina que receberam um novo acabamento plástico, que tem um desenho mais retangular. De perfil, as novidades ficam por conta de novas rodas de liga leve, que variam de 17 a 20 polegadas.

Os pneus tem de 32 a 35 polegadas. Outra novidade é que o Wrangler possui uma nova antena que foi transferida para o para-brisa, que ganha um desenho mais compacta. A marca ainda adicionou novidades para a capota do Wrangler, chamada de High Altitude, que possui a elegante capota elétrica Sky One-Touch como padrão. Na traseira, nada muda em relação ao modelo apresentado em 2017. Na versão Rubicon, a Jeep adicionou o eixo traseiro totalmente flutuante Dana 44 HD. Ele ainda ganha guincho da Warn com capacidade de reboque de 3.629kg.



Outra novidade é que ele ganha uma caixa de transferência de meio período Rock-Trac com proporção 4: 1 4LO, que pode ser desconectada da barra estabilizadora dianteira, além de vir com pneus de 33 polegadas Tru-Lok para os eixos dianteiro e traseiro. Outra novidade dessa reestilização é a chegada da versão Rubicon X, que adiciona uma caixa de transferência Rock-Trac em tempo integral, ao mesmo tempo que possui uma câmera que ajuda no off-road e pneus All-Terrain da BFGoodrich de 35 polegadas para as opções de motor 2.0 Turbo Hurricane e o 3.6 V6 Pentastar.

Outra novidade é que ele ganha uma versão Willys, que traz um foco mais 4x4 e tem vários detalhes escurecidos por meio de acabamento em preto brilhante ou plástico preto. Há uma altura em relação ao solo que é maior e novo reboque elétrico. A marca ainda vende o 4xe, que passa a ser vendido também com a versão Sport S, que diminui ainda mais o preço inicial do Wrangler hibrido plug-in (PHEV). Com o retorno da Willys, ele pode ser vendido com a versão Willys 4xe, que adiciona uma caixa de transferência Selec-Trac em tempo integral com uma proporção 4LO de 2,72:1.

Internamente, as novidades ficam por conta de um painel com novidades. O maior destaque fica pela central multimídia que fica maior e passa a ter uma tela de 12,3 polegadas, que possui conectividade com Uconnect 5 que, para ser mais larga, teve que mudar as saídas de ar-condicionado centrais para a parte inferior da central, ganhando um desenho horizontal. A central passa a ter uma conectividade com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, além de poder ser equipada com novo recurso Trails Offroad é um assistente inovador para levar a sério as capacidades de trilha do Wrangler.



A central ainda pode permitir que o Wrangler seja o primeiro veículo a vir com guias de trilhas de aventuras off-road integradas, podendo planejar uma trilha off-road e com guias detalhados para 62 trilhas do Jeep Badge of Honor. A marca ainda fala que o interior ganhou em refinamento em relação ao modelo atual, com materiais de melhor qualidade. O console central ganha novas entradas USB-C e os ocupantes da segunda fileira de bancos também recebem entradas USB-A e USB-C. Por fim, a Jeep confirma que o novo Wrangler passa a ser vendido com novas opções de cores, como o Mantis Green.

As versões High Altitude, Rubicon X e Rubicon 392 ganham novidades como o vidro frontal acústico, carpete mais espesso e espuma adicional com isolamento acústico. A carroceria ainda recebe novidades como uma melhor segurança em caso de colisões e traz airbags laterais para os ocupantes dos bancos dianteiros e traseiros. Outro ponto é que o interior traz cintos de segurança com pré-tensores e limitadores de carga. Na mecânica, a Jeep mantém as três opções de motores a combustão, que já são conhecidas, e o híbrido. A primeira é o 2.0 Turbo Hurricane de 274cv e 40,8kgfm, com câmbio automático de 8 marchas.

Já o motor 3.6 V6 Pentastar desenvolve 289cv e 35,9kgfm, acoplado a um câmbio manual de 6 marchas ou automático de 8 marchas. A última opção de motor a combustão é o Rubicon 392, que traz o motor 6.4 V8 HEMI que desenvolve 481cv de potência com torque de 64,9kgfm, acoplado a um câmbio automático de 8 marchas, com tração 4x4. A Jeep ainda manteve a caixa de transferência ativa e marcha reduzida. De acordo com a Jeep, o modelo acelera de 0 a 100km/h em 4,5 segundos. Quem quer uma opção eletrificada, a Jeep oferece o Wrangler 4xe.



Este se destaca por trazer o 2.0 Turbo Hurricane (que com gasolina desenvolve 274cv de potência e torque de 40,6kgfm), acoplado a um câmbio automático de 8 marchas, dois motores elétricos e uma bateria de íon-lítio. Em conjunto, o motor desenvolve 381cv de potência com torque de 65,0kgfm, força enviada para as quatro rodas. O consumo será de 21,2km/l no modo híbrido, tendo motores elétricos um no eixo dianteiro e outro no eixo traseiro. Eles devem contar com propulsor térmico, que substitui o alternador e conectado ao virabrequim por meio de uma correia. O segundo deve ser conectado à transmissão, que substitui o conversor de torque.

O Wrangler tem uma arquitetura elétrica de 400V e bateria de íons-lítio terá capacidade de 17,3kWh, que permite uma autonomia elétrica de 40km, no padrão EPA. Ele deve contar com três modos de condução: o Hybrid, que combina propulsão elétrica e o motor a gasolina, o Electric que deve contar apenas com os motores elétricos e o eSave, que prioriza o motor térmico para recarregar a bateria. Todas as versões do Wrangler 4xe ganham um Power Box, que inclui um pacote de tomadas de 120V com 30A, que pode ser usado pra recarga das baterias em tomadas convencionais.

De série, ele será vendido com controle de tração com mitigação eletrônica de rotação e uma câmera de ré são padrão em todos os modelos, aviso de colisão dianteira e o controle de cruzeiro avançado de série nas versões a partir da Sport S. Há ainda 6 airbags no mínimo, reforços estruturais laterais e assistências avançadas em versões mais acessíveis. Os preços começam em US$ 33.690 a US$ 89.390.










Fotos: Jeep / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

BYD lança no Brasil promoção para interessados em seus carros durante este mês de junho

Jeep Avenger pode ser produzido em Betim (MG) e participa de clínicas com potenciais clientes

RAM Rampage Laramie ganha versão Night Edition, a 'all-black', no Brasil por R$ 277.990

Toyota confirma produção do primeiro elétrico nos EUA em 2025, no estado de Kentucky

Fang Cheng Bao revela as primeiras imagens teaser do Leopard 3, que estreia em breve

Hyundai apresenta oficialmente o Ioniq 5 N, a versão esportiva com motor de 609cv

Nova geração do Peugeot 2008 e reestilização do 208 vão trazer motor T200 MHEV

Volkswagen faz promoção de Polo, Virtus, Saveiro, Nivus, T-Cross, Taos, Jetta e Amarok

Hyundai apresenta a linha 2025 de HB20, HB20S, Creta Action e Creta no Brasil com novidades