Lamborghini apresenta o Revuelto, substituto do Aventador, com motor híbrido de 1.015cv

Lamborghini apresenta o substituto do Aventador, o Revuelto, que estreia globalmente como um hiperesportivo com um motor V12 Hybrid que faz o cupê entregar 1.015cv



A Lamborghini apresentou oficialmente o substituto do Aventador, que saiu de linha no ano passado. Trata-se do Revuelto, que estreia globalmente como um esportivo de motor V12 Hybrid chamado pela marca de LB744. O nome Revuelto nasce a partir de mais uma homenagem da marca para um touro de briga espanhol. Ele ainda é o porta-voz de uma era eletrificada da marca italiana, visto que, a partir de 2024, todos os produtos da marca serão eletrificados.

Depois de 12 anos do Aventador, o Revuelto nasce como um produto praticamente todo novo, visto que a marca sequer aproveitou sua base. O motor V12 é praticamente o mesmo, mas traz melhorias também. Aliás, o V12 continua vivo, por mais que seja híbrido. Sendo um híbrido plug-in (PHEV), a Lamborghini quer diferenciá-lo ao chamá-lo de HPEV (Veículo Eletrificado de Alto Desempenho). “O novo Revuelto é um marco na história da Lamborghini e um pilar importante na nossa estratégia de eletrificação da Direzione Cor Tauri”, disse Stephan Winkelmann, presidente e CEO da Lamborghini.

“É um carro único e inovador, mas ao mesmo tempo fiel ao nosso ADN: o V12 é um símbolo icónico da nossa herança e história superdesportiva. Revuelto nasceu para quebrar os padrões, combinando um novo motor de 12 cilindros com tecnologia híbrida, criando o equilíbrio perfeito entre entregar a emoção que nossos clientes desejam com a necessidade de reduzir emissões.”, adiciona. Visualmente, a Lamborghini traz uma nova identidade visual a partir do Revuelto, inspirada na letra ‘Y’, que pode ser visto em boa parte do design do carro, como em faróis e lanternas que, para a marca, reforça a ligação com elementos aeroespaciais.

Querendo trazer um design de caça para o Revuelto, o cupê se destaca na dianteira por trazer faróis com iluminação diurna (DRL) em LED em ‘Y’ deitado, lembrando o Sián. O modelo ainda dois projetores na parte superior de uma das pontas desse ‘Y’. Os faróis estão dentro de um acabamento em plástico preto, se conectando com uma entrada de ar abaixo dos faróis. Esse acabamento em preto brilhante se conecta com a entrada de ar trapezoidal ao centro do carro, onde está o espaço para a placa. Abaixo desse espaço, ele possui um pequeno splitter em preto brilhante, que também se destaca.



Partindo para o capô, o Revuelto mostra o porquê do nome com linhas que reforçam essa sensação de revolta. Ele possui vinco central e é onde está o logotipo da marca, próximo ao para-choque. Há outras linhas que formam dois triângulos, um de cada lado do capô, deixando a parte central levemente mais alta. De perfil, o Revuelto possui uma proximidade com o Aventador, trazendo um para-lama dianteiro que tem um desenho mais alto e uma iluminação no para-choque, com repetidores de seta. As portas continuam com uma abertura estilo em tesoura e possui um vinco que nasce na iluminação lateral do para-choque e definem quase toda lateral do esportivo.

Na porta dianteira, ele possui uma saída de ar. Na parte mais inferior da carroceria ele possui um friso na parte inferior da carroceria, que também é ascendente. As laterais ainda tem um desenho ascendente das janelas e possui uma pequena janela vigia, enquanto os retrovisores tem base nas portas. A Lambo ainda desenhou o esportivo com um friso em preto brilhante que parte da janela vigia e chega até a entrada de ar no para-lama traseiro. Esse acabamento vai descendo em ziguezague até chegar a entrada de ar, invadindo as portas. É ali que as maçanetas se camuflam. Por fim, a coluna C possui uma pequena abertura que auxilia o fluxo de ar.

Ele ainda possui saias laterais em preto brilhante que próximo da roda traseira traz o nome Revuelto. O caimento de teto é bem suave e também aproxima o Revuelto ao Aventador. Por fim, ele possui rodas de 20 polegadas na dianteira (265/35 R20) e 21 polegadas na traseira (345/30 R21), calçado com pneus Bridgestone Potenza Sport feitos sob medida. Opcionalmente, ele pode ser equipado com pneus de 21 polegadas na dianteira (265/30 R21) e 22 polegadas na traseira (355/25 R22). As rodas tem um desenho de cinco raios duplos. No teto, ele possui dois vincos marcantes que deixam a parte central mais baixa e que ajuda a definir as linhas seguinte. De traseira, ele possui um acabamento em preto brilhante com três guelras horizontais que são interrompidas para deixar o motor à mostra, assim como ele tem um acabamento prateado aparece.

Ainda na traseira, a marca colocou o brake-light na borda do teto, onde ele tem um prolongamento vertical e vai acompanhando as linhas do compartimento do motor. Ele possui também lanternas em ‘Y’ deitado e que são interrompidas pela dupla saídas de escape hexagonal que aparece ao centro, criando pequenos ressaltos acima. Aliás, acima ele possui um aerofólio que se abre eletronicamente e se ajusta automaticamente conforme necessário para a situação, assim como também pode ser controlada manualmente entre três modos. O aerofólio possui 66% a mais de downforce que o Aventador e esse aerofólio ajuda bastante no fluxo de ar (33% a mais).



O para-choque traseiro ainda possui um acabamento em preto brilhante num grande difusor de ar que traz o logotipo-nome Lamborghini. Abaixo, ele possui o espaço para a placa em uma área com saída de ar com uma grelha perfurada. Mais nas extremidades, ele possui duas aletas verticais de cada lado que ajuda no fluxo de ar na parte inferior da carroceria. O para-choque traseiro ainda deixa a roda traseira mais aparente por conta do para-choque ser mais alto. Por dentro, a Lamborghini traz novamente o ‘Y’ no painel, com o acabamento em couro preto. No cockpit, ele possui um quadro de instrumentos com tela de 12,3 polegadas, que é configurável.

Ele ainda possui um volante de base achatada que tem três raios e é multifuncional. Ele ainda possui saídas de ar-condicionado horizontais nas extremidades, enquanto a saída de ar central tem um desenho em ‘V’, assim como um friso em ‘V’ na parte superior. Abaixo dessa saída de ar ele possui uma central multimídia vertical de 8,4 polegadas que traz conectividade com Android Auto e Apple CarPlay. Por fim, ele traz uma terceira tela na frente do passageiro, de 9,1 polegadas. Ele traz um novo sistema que permite que todas as telas funcionem de maneira eficiente e independentemente. O console central traz uma alavanca de câmbio em ‘U’ invertido, quase como uma alavanca de avião.

Ele ainda possui o botão Start/Stop com uma capa vermelha, enquanto o freio de estacionamento eletrônico aparece atrás do botão de liga/desliga. O console é um pouco alto e tem um acabamento em couro laranja, assim como no painel, que deve ser personalizável também, assim como costura do volante, painel, painéis das portas e bancos – em 70 cores diferentes. A italiana também trouxe sustentabilidade ao interior do Revuelto, que possui materiais dos bancos que combinam peles com microfibras feitas de poliéster reciclado, como o tecido Corsa-Tex de microfibra Dinamica. A marca confirma que ele tem um sistema de navegação GPS nativo e tem conectividade com Amazon Alexa com comando por voz.

Ele também pode ser vendido com app Lamborghini Unica que vai traz acessibilidade aos motoristas, permitindo travar/destravar as portas pelo celular e ajustar certos parâmetros do carro, além de vir com um sistema de rastreamento integrado. O consumidor poderá escolher um total de 400 cores para o Revuelto, no programa de personalização da marca. O motor em questão é o 6.5 V12 a gasolina que desenvolve 825cv e 73,9kgfm, que é o V12 mais potente na história da Lamborghini. Junto a ele, estão três motores elétricos, sendo dois no eixo dianteiro, um para cada roda.



Cada um deles desenvolve 150cv e um terceiro motor elétrico é adicionado na nova transmissão automatizada de dupla embreagem DCT de 8 marchas que ajuda a lidar com a transferência de força para o eixo traseiro. O V12 está conectando apenas no eixo traseiro, enquanto os motores elétricos dianteiros permitem que o modelo seja um cupê de tração nas quatro rodas. O esportivo também é equipado com uma vetorização de torque chamada de Lamborghini Dinamica Veicolo 2.0, que permitem que ele rode apenas com os motores elétricos que se limitam a entregar 180cv e com tração dianteira.

Isso acontece quando o motorista seleciona o modo Città. Com todos os motores funcionando, o Revuelto entrega 1.015cv que, com o controle de larga, ele acelera de 0 a 100km/h em 2,5 segundos. Aos 200km/h, ele alcança em 7 segundos e atinge a velocidade máxima de 350km/h. Ele vem com uma bateria compacta de 3,8kWh que permite que ele seja carregado por estações de 7kW em 30 minutos, ou seja, estamos diante de um híbrido plug-in (PHEV). Ele recupera a autonomia em 6 minutos usando o motor V12 como gerador, trazendo uma autonomia puramente elétrica de apenas 9,6km.

A bateria fica localizada sob o túnel da transmissão e forçou a marca italiana a mudar o layout do chassi. No Revuelto, a Lamborghini confirmou que o esportivo possui transmissão alojada sob o túnel e conectada ao diferencial do outro lado do V12 através de um pequeno eixo de transmissão. O Revuelto ainda possui uma transmissão girada em 90º para manter o trem de força compacto, ficando transversalmente no cofre do motor. O esportivo ainda possui 13 ajustes dinâmicos diferentes, sendo que ele traz novas configurações desenvolvidas pela Squadra Corse, como os modos de condução Città, Strada, Sport e Corsa, que alteram o caráter da máquina V12.



O Città faz os dois motores de 150cv cada entregarem uma força combinada de 180cv, o Strada faz o V12 funcionar e com modos voltados para o conforto. O Sport oferece três modos dentro dele: Recharge, Hybrid e Performance. O Corsa faz todos os motores cooperarem juntos, mas é o Performance que entrega os 1.015cv. A marca ainda adicionou um sistema chamado Foremost, que permite que o eixo traseiro seja direcionável, que ajuda no comportamento de curvas e estabilidade. A resposta do Revuelto permite que ele ganhe um meiom da estrutura rígida.

O cupê também tem freios de discos de freio de carbono-cerâmica com 410 milímetros na dianteira, com seis pistões e; na traseira ele possui discos de 390 milímetros, com quatro pistões. Ele será baseado sobre uma estrutura inspirada na aeronáutica, chamado de 'monofuselage'. Além de monocoque inteiramente em fibra de carbono multitecnologia, possui estrutura frontal em Forged Composites. Este se destaca por ter um material especial feito de fibras curtas de carbono embebidas em resina. Chamado de monofuselagem se destaca em termos de rigidez torcional da carroceria, além de ser mais leve e dinâmico em termos de direção.

Ele ainda será construído a partir de uma estrutura 100% fibra de carbono, sendo a fibra de carbono também usada em estruturas dianteiras da estrutura, oferecendo um maior nível de absorção de impactos. O conceito do design da estrutura é baseado ainda na máxima integração entre os componentes. Isso é otimizado graças à introdução da extensa tecnologia Forged Composites, bem como ao desenvolvimento do anel oscilante monolítico. O uso de fibra de carbono faz a estrutura do carro ganhar um componente em forma de um anel e feito em CFRP (plástico reforçado com fibra de carbono) e forma a estrutura de suporte do carro.



Já o chassi traseiro se destaca por vir com ligas de alumínio de alta resistência e conta com duas importantes fundições ocas na área da cúpula traseira. Elas integram as torres de choque da suspensão traseira e a suspensão do trem de força em um único componente com perfil de inércia fechado, garantindo uma redução significativa no peso, um aumento da rigidez e redução substancial das linhas de soldagem. Este processo utiliza polímeros pré-aquecidos para permitir a produção de componentes com uma ampla gama de comprimentos, espessuras e complexidades, garantindo uma ótima integração entre os componentes para garantir alta rigidez torcional.

Finalmente, 'Modularidade' refere-se a tornar as tecnologias aplicadas modulares e, portanto, mais flexíveis e eficientes para responder a todos os requisitos e características do produto. O carro possui uma base em chassi que consegue ser 10% mais leve e 25% mais rígido. O motor conseguiu ser mais leve (218kg), assim como a transmissão, fazendo ele ter 1.772kg. Porta-malas? A Lamborghini confirmou que na dianteira ele leva duas maletas. De série, ele pode ser vendido com conectividade com Amazon Alexa, rádio via satélite SiriusXM 360L (específico dos EUA), What3Words e atualizações Over-the-Air para o sistema multimídia.

Ele ainda pode vir com faróis de matriz LED e um pacote de segurança completo pela primeira vez em um supercarro Lamborghini que inclui aviso de saída de faixa, cego - monitoramento pontual, controle de cruzeiro adaptativo e alerta de tráfego cruzado traseiro. Preços ainda não foram definidos e ele será produzido em Sant’Agata Bolognese, na Itália.




Fotos: Lamborghini / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Lynk & Co revela um novo teaser do Zero, que será o primeiro veículo 100% BEV da marca

GWM vai produzir primeiro o Haval H6 na fábrica de Iracemápolis (SP) por alguns motivos

Jeep Compass ganha nova geração em algum momento do pós-2025, com base STLA Medium

Stellantis investe em Rennes, inaugura fábrica de baterias e fecha parceria com a Vulcan

BYD lança a linha 2025 do Song Plus no Brasil com bateria maior e estreia por R$ 239.800

Maserati usará motores FPT Industrial para o GranTurismo Folgore, que desenvolve 761cv

GM confirma que carros compactos elétricos e lucrativos vão demorar um pouco mais

XPeng confirma mais um teaser da sua nova marca Mona e do sedã de estreia, o M03

Ford registra imagens de patente de plataforma modular nova para SUVs e picapes elétricos