Great Wall Motors confirma que vai gerar 2 mil empregos na fábrica de Iracemápolis (SP)


A Great Wall confirmou que deve investir bastante na recém adquirida fábrica de Iracemápolis (SP), que era da Mercedes-Benz. Em entrevista ao jornal O Globo, a marca chinesa confirmou que vai investir R$4 bilhões na unidade nos próximos cinco anos, de acordo com informações reveladas pelo Responsável da Área Comercial da Great Wall, Jose Duan. Operando até dezembro do ano passado, a fábrica contava com 370 funcionários que podem ser recontratados pela Great Wall Motors (GWM). Ao todo, a fábrica deve contar com cerca de 2.000 funcionários em dois anos e com capacidade que pode ser aumentada para até 100.000 unidades ao ano. Apesar da fábrica ter sido adquirida com os maquinários da Mercedes-Benz, a Great Wall confirmou que a fábrica deve ser atualizada, inclusive nos equipamentos. É esperada melhorias de processos de soldagem, pintura e oficinas de montagem, trazendo novos conceitos de segurança, inteligência e proteção ambiental. Isso porque a fábrica deve se adaptar para uma produção flexível, atendendo a produção de uma série de modelos que são diferentes. A atualização da fábrica deve ser o primeiro passo a ser realizado pela GWM, dentro de um prazo de quatro a seis meses e é com essas atualizações que ela terá sua capacidade aumentada para 100 mil unidades ao ano. 



Além de Iracemápolis (SP), a Great Wall já confirmou que deve investir em sistemas de assistência técnica locais e estabelecer as marcas de acordo com a demanda, podendo até mesmo ter elétricos. Em cinco anos, a Great Wall confirmou o investimento de 5 bilhões de renminbis, cerca de R$4,13 bilhões, com produção de picapes e utilitários esportivos. No sentido governamental, a cidade de Iracemápolis já deu o sinal verde para os chineses terem direitos aos mesmos benefícios fiscais que eram oferecidos aos alemães. Isso significa que a GWM terá isenção de IPTU por 20 anos, isenção de Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e 50% de Imposto Sobre Serviço (ISS). Com uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados, o prédio fica numa área bem ampla, mas que antes da venda foi desmembrado pela Daimler. Isso porque a marca alemã manteve o seu Campo de Provas e Campo de Testes, que está em fase final de construção em parceria com a Bosch. “Cada empresa não consegue fazer sozinha todos os investimentos que serão necessários nos próximos anos, precisamos de parceiros para diluir os custos. Ao mesmo tempo, temos de testar muitas novas tecnologias aqui e o campo vai aumentar nossa velocidade de desenvolvimento local”, destacava o então presidente da Mercedes-Benz, Philipp Schiemer, ao anunciar o investimento dos campos. Juntos, eles formam 16 pistas, com 12 quilômetros e mais de 14 tipos de pavimentação diferentes. Na época, a Mercedes-Benz e a Bosch investiu R$70 milhões para a construção do espaço.


Fonte: O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Chevrolet lança a nova S10 no Brasil, que traz atualizações importantes e parte de R$ 247.860

Kia confirma a vinda do EV9 ao Brasil e define estreia para o primeiro semestre de 2024

Tank registra novas imagens de patente do 700 Hi4-T no MIIT e confirma uso de motor de 517cv

Eccentrica apresenta o Lamborghini Diablo remasterizado que agora desenvolve 550cv

Mercedes-Benz lança o Classe G 63 AMG Grand Edition no Brasil, por caros R$ 2.247.900

GWM registra imagens de patente do Veyron na China, que pode ser da marca Haval ou da Sar

Fiat Titano vai virar RAM 1200 no México, antecipa teaser; picape ganhará quarto logotipo

GWM adiciona caminhões elétricos para fazer entregas de peças para concessionárias

Volkswagen lança Polo Robust, versão voltada ao agronegócio, que chega por R$ 89.290