Bugatti revela teaser da versão de produção do Bolide, que será apresentado neste ano

Bugatti apresenta as primeiras imagens teaser do desenvolvimento da versão a produção do Bolide, que se tornará realidade ainda neste ano com moto W16



A Bugatti revelou que vai desenvolver a versão de produção do Bolide, que será apresentado ainda neste ano de 2023. Revelado como um conceito em 2020, o hiperesportivo será uma realidade. Muito do que vimos no modelo antecipado em 2020 deve ser visto nos próximos meses na versão de produção. O hiperesportivo será apresentado com um design que beberá diretamente da fonte, com faróis dianteiros em ‘X’.

Criado a partir da mesma base criada para o Chiron, o Bolide foi clicado ainda em desenvolvimento, mostrando que sua criação ainda levará algum tempo. A primeira diferença do Bolide conceitual para o modelo de produção ficará por conta das rodas, que aparentemente não vão trazer as calotas aerodinâmicas para a versão de produção. Ele ainda será produzido para vir com itens que o conceito não veio, como retrovisores instalados nas portas.

Ele manterá a grande asa traseira integrada diretamente no carro, assim como a asa traseira longitudinal e a entrada de ar no teto. Limitado em 40 unidades e com um desenvolvimento voltado para ser um carro que não será homologado para as ruas, o carro não é certo para vir com o mesmo motor do conceito. Ao ser apresentado na época, o carro contava com 8.0 W16, mas calibrado para desenvolver 1.850cv de potência e torque de brutais 188,6kgfm, sendo que o carro em si pesa apenas 1.240kg.

Esse motor tinha capacidade de acelerar de 0 a 100km/h em apenas 2,17 segundos, de 0 a 300km/h em 7,37 segundos e chega aos 500km/h em apenas 20,16 segundos! Muito graças a relação peso/potência de apenas 0,67kg/cv. A versão de produção deve ser mais mansa em termos de cavalaria. Apesar de compartilhar a mesma mecânica com o Chiron, o esportivo deve começar seus testes com o mesmo motor do esportivo, o 8.0 W16 de 1.600cv, com peso de 1.450kg, que será reduzido em máximo possível para melhorar seu desempenho.

Na época do conceito, ele tinha passado por um processo de emagrecimento com parafusos e elementos de conexão feitos em titânio, com a liga de titânio oriunda da indústria aeroespacial. Com isso, o modelo conta com discos e pastilhas de freio em carbocerâmica, pinças que pesam apenas 2,4kg cada e rodas de magnésio forjado de 7,4kg cada, na dianteira, e 8,4kg na traseira. A Bugatti ainda confirmou que o modelo foi construído de acordo com a regulamentação da FIA para modelos de competição. Por fim, a marca confirmou que o carro foi construído com 40% da carroceria pintada e 60% em fibra de carbono.



Fotos: Bugatti / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Toyota Yaris Hatch só ganha nova geração entre 2024 a 2025 na Ásia, depois do sedã e do SUV

Nova geração do Toyota Corolla surge em meados de 2025, como uma geração evolutiva

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 2003!

Oshan aparece no Brasil testando seu utilitário esportivo médio X5; marca será que vem?

Fiat Titano estreia na Argélia primeiro, vazando e antecipando alguns detalhes da nossa

Renault e Nissan passam a ter seguros com Assurant, por meio do intermédio da Mobilize

Celta voltará? Chevrolet confirma que não vai desenvolver nenhum subcompacto novamente

Yangwang revela as primeiras imagens oficiais teaser do seu inédito sedã elétrico, o U7

Scout revela novo teaser e confirma que seus produtos farão estreia no mês de julho