Fisker quer produzir 42.400 unidades no primeiro ano de produção do Ocean

Fisker tem plano ousado de produzir 42.400 unidades em 2023 com o Ocean e com a marca chegando a um total de 20 países até o final deste ano



A Fisker confirmou um ousado plano de produzir cerca de 42.400 unidades ainda neste ano de 2023, desde o início da produção do Ocean, há alguns meses. O SUV elétrico é o principal produto da marca que será encabeçado com novidades dentro de alguns anos. De acordo com a marca norte-americana, a Fisker terá a capacidade de produzir mais modelos a partir do momento que chega em novos mercados. Só em 2023, é esperado que a marca chegue a um total de 20 países.

As operações da Fisker vão iniciar com países como Estados Unidos (país sede), Canadá, Áustria, Alemanha, Noruega, Dinamarca, Suécia e França. Ainda neste ano, a marca ainda chega a mercados como Reino Unido, Suíça, Holanda, Bélgica e Índia. Em meados de 2024, a marca deve chegar na China. Com uma fila de espera de 65.000 unidades apenas pelo SUV, a marca também trabalha na chegada de novos produtos, que serão apresentados dentro dos próximos anos.

De acordo com seu plano estratégico, a Fisker planejava fazer 300 unidades no primeiro trimestre deste ano, aumentando para 8.000 unidades no segundo trimestre. As demais 34.100 unidades devem ser produzidas todas no segundo semestre deste ano, com a fábrica pegando ritmo de produção, sendo 15.000 unidades esperadas para o terceiro trimestre. É esperado que a unidade da Magna Steyr, na Áustria, da qual a Fisker é parceira, é responsável pela produção do Ocean, mas a empresa não depende apenas da Magna e sim de uma série de fornecedores.

Em seu comunicado, apesar de estimar as 42.400 unidades de 2023, a Fisker foi muito realista que essa meta só será batida se a cadeia de suprimentos cumprir a previsão e que a marca receba a homologação em tempo hábil. O Ocean já é oferecido em regime de pré-venda e será vendido com as versões Sport, Ultra e One, respectivamente, com preços de US$ 37.499, US$ 49.999 e US$ 68.999, respectivamente. A versão mais básica será equipada com bateria de íon-lítio (LFP), da CATL, que possui autonomia de 402km de acordo com o ciclo EPA.

As versões Ultra e Extreme vão usar a bateria Hyper Range, que traz uma química de células de cobalto de níquel-manganês, também da CATL. As duas versões, no ciclo EPA, para os modelos de tração integral contam com autonomia de 547km e 563km, respectivamente. Mais detalhes sobre o plano estratégico da marca devem ser revelados ao longo do ano.



Fotos: Fisker / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Chevrolet lança a nova S10 no Brasil, que traz atualizações importantes e parte de R$ 247.860

Kia confirma a vinda do EV9 ao Brasil e define estreia para o primeiro semestre de 2024

Tank registra novas imagens de patente do 700 Hi4-T no MIIT e confirma uso de motor de 517cv

Eccentrica apresenta o Lamborghini Diablo remasterizado que agora desenvolve 550cv

Mercedes-Benz lança o Classe G 63 AMG Grand Edition no Brasil, por caros R$ 2.247.900

GWM registra imagens de patente do Veyron na China, que pode ser da marca Haval ou da Sar

Fiat Titano vai virar RAM 1200 no México, antecipa teaser; picape ganhará quarto logotipo

GWM adiciona caminhões elétricos para fazer entregas de peças para concessionárias

Volkswagen lança Polo Robust, versão voltada ao agronegócio, que chega por R$ 89.290