Lordstown interrompe a produção da Endurance e procura novo parceiro que não seja a Foxconn

Casamento entre a Lordstown e a Foxconn já tem primeiras rusgas e marca quer encontrar novo parceiro para a produção da sua picape Endurance nos EUA



A Lordstown demorou tanto tempo para iniciar a produção da sua picape Endurance que depois que começou a produzir, surgiram novos problemas. O azar da startup norte-americana começou depois que a empresa recolheu 19 unidades da Endurance de consumidores e interrompeu a produção até encontrar problemas nas unidades. A mudança ocorreu depois que foram relatados problemas relacionados com desempenho e qualidade de alguns componentes. Vale lembrar que, a Endurance é produzida pela Foxconn.

A unidade de Lordstown, em Ohio, Estados Unidos, era da Lordstown Motors, mas precisou ser vendida para a Foxconn para levantar investimentos para a finalização do projeto da picape. Em troca, a Foxconn produziria a picape para a marca norte-americana. O chamado de recall envolvido com unidades da picape tinham “um problema específico de conexão elétrica que pode resultar em perda de propulsão durante a condução”.

Em comunicado, a marca confirmou que está trabalhando “na análise da causa raiz de cada problema e possíveis soluções, que em alguns casos podem incluir modificações de design de peças, retrofits e atualizações de software”. De acordo com informações, a Lordstown alega que a Foxconn produziu a picape com componentes de baixa qualidade e que espera mais qualidade de uma ‘fabricante experiente’, o que compromete também outras parcerias que a própria Foxconn já tinha feito com IndiEV, Fisker e a própria marca de automóveis da Foxconn, a Foxtron.

“Embora nossa equipe experiente tenha feito progressos significativos ao abordar os problemas subjacentes de componentes e subsistemas de veículos que afetam o cronograma de construção do Endurance, continuamos comprometidos em fazer a coisa certa por nossos clientes e resolver possíveis problemas antes de retomar a produção e as remessas aos clientes”, Edward Hightower, CEO e Presidente da Lordstown Motors.

Enquanto isso, a Lordstown pode entrar com um processo contra a empresa ao mesmo ponto que pode iniciar a procura de um novo fabricante. Entre as opções está a Magna Steyr, que tem uma fábrica na Europa, na cidade de Graz, na Áustria. A fabricante também deve erguer uma fábrica nos Estados Unidos, o que pode beneficiar a empresa. Outra solução é erguer uma fábrica própria ou se associar a uma marca, como a Rivian, por exemplo (o que seria improvável visto a concorrência). Se não achar uma solução para seu problema, a Lordstown pode deixar de existir.



Fonte: CarScoops e Jalopnik

Fotos: Lordstown / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Jetour apresenta o X90 Plus no Salão do Automóvel de Guangzhou, que é reestilizado

Ferrari apresenta a SF90 XX Stradale e Spider na Europa, com motor híbrido de 1.030cv