Curiosidades: Entrevista com Anderson Luiz Dias, Engenheiro Mecânico que responde a perguntas!


Há um bom tempo queríamos fazer uma entrevista aqui no Conexão Automotiva. Essa é a primeira. O que nos levou a fazer isso foi o aumento de Etanol na Gasolina, fato muito comentado e discutido na internet e nas redes sociais nos últimos dias. Para sanar algumas dúvidas, convidamos Anderson Luiz Dias, Engenheiro Mecânico que estuda na Universidade Federal do Ceará, além de ser Técnico em Mecânica Automotiva pelo Instituto Federal e pelo Senai, para tirarmos dúvidas sobre motor se é prejudicial ou não, se gasta componentes do motor e tudo mais. Fizemos no total seis perguntas, onde 3 foram por nossa parte, do Conexão Automotiva e outras 3 foram selecionadas por nós na página do CA no Facebook. Confira abaixo como foi a "sabatina" com Anderson.

Anderson Luiz Dias
1. CA: A que ponto o aumento de porcentagem de etanol na gasolina pode diminuir a vida útil do motor?
Anderson: Nenhum. A não ser em motores de injeção antiga pré 2003 e carburados. Nesse caso alguns componentes como mangueiras, dutos de combustível e partes do carburador podem se desgastar prematuramente, sem falar nas sedes de válvulas que serão bastante afetadas.

2. CA: Em veículos mais antigos, da década de 80, 90 e início dos anos 2000, quais problemas o veículo deve apresentar se não abastecer a gasolina podium?
Anderson: A resposta anterior também responde essa mesma questão.

3. CA: Quais as vantagens para o motor se ele usar a gasolina podium?
Anderson: O motorista terá a vantagem de uma gasolina com maior octangem, apenas. Abastecendo com Podium é perceptível o aumento de potência e torque do motor, mas em alguns casos não há esse aumento. Pois gasolina de octanagem só fará realmente a diferença em motores com alta taxa de compressão, motores antigos com taxas mais brandas a gasolina Podium não fará efeito algum, renderá o mesmo que uma gasolina aditivada normal.

Marcos Becker: Nos carros mais antigos movidos á gasolina e com sistema de admissão que utiliza carburador, faz-se necessário algum tipo de tratamento da superfície do carburador para evitar a corrosão ou esses 27% de álcool não representam perigo? Obrigado.
Anderson: Marcos. Não é de hoje que a gasolina vendida aqui é aditivada com etanol, portanto todo carro lançado ou fabricado aqui tinha de ser preparado para ela. O que pode ocorrer com esse 2% a mais de etanol é um desgaste um pouco mais rápido de certos componentes em carros com carburador, mas nada absurdo. Com relação a superfície, o carburador já era preparado para lidar com uma gasolina alcoolizada, e é difícil imaginar que o aftermarketing brasileiro vá investir em melhorar um componente em bastante desuso, principalmente se não houver um perigo muito grande, o que provavelmente não terá.

Felipe Carvalho: Estão falando muito desses 2%, mas é porque os carros vem com a ECU de fábrica programadas para 25%? E que por causa desses 2%, alguns carros movido só a gasolina, principalmente os mais antigos, sofrerão mais falhas, e se reprogramar para 27%? Não "solucionaria"?
Anderson: Felipe, os carros flexíveis atuais rodam com qualquer proporção de etanol ou gasolina. 2% a mais de etanol na gasolina não irá fazer diferença alguma, eles já são preparados para isso. Com relação a sistemas de injeção antigos, neste caso deve se ter uma preocupação, pois antes o carros eram preparados receber gasolina brasileira somente, e esta com 25% de etanol, agora com 27% de etanol poderá haver falhas e é certo que o consumo subirá um pouco também. A reprogramação da ECU resolveria sem dúvidas. No entanto, a programação da ECU é feita pela fábrica...da ECU, que aliás, poucos sabem aonde são realizadas essas calibrações, ou seja, não existem mão de obre qualificada para reprogramar ECU aqui no Brasil. E quando digo isso, não é troca de chip ou instalação de fuel tech...

Guilherme Rafael: Hoje dividimos o preço do etanol pelo da gasolina pra decidir qual abastecer. A minha dúvida é: A equação muda com essa nova %? Ou podemos considerar que a teoria do E/G for maior que 0,70, abasteça com Gasolina e se for menor abasteça com Etanol?
Anderson: Boa pergunte Guilherme. Olha, com adição de 2% de etanol, os motores certamente irão consumir mais gasolina, pois tem mais etanol lá dentro. Então a autonomia do carro abastecido com gasolina vai diminuir, e pode ser que nesse cenário, colocar etanol seja mais vantajoso. Pois com o abastecíamos antes com gasolina está rendendo menos. Agora, ainda temos que levar em conta o preço da gasolina daqui para frente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

BYD lança no Brasil promoção para interessados em seus carros durante este mês de junho

Jeep Avenger pode ser produzido em Betim (MG) e participa de clínicas com potenciais clientes

RAM Rampage Laramie ganha versão Night Edition, a 'all-black', no Brasil por R$ 277.990

Toyota confirma produção do primeiro elétrico nos EUA em 2025, no estado de Kentucky

Fang Cheng Bao revela as primeiras imagens teaser do Leopard 3, que estreia em breve

Hyundai apresenta oficialmente o Ioniq 5 N, a versão esportiva com motor de 609cv

Nova geração do Peugeot 2008 e reestilização do 208 vão trazer motor T200 MHEV

Volkswagen faz promoção de Polo, Virtus, Saveiro, Nivus, T-Cross, Taos, Jetta e Amarok

Hyundai apresenta a linha 2025 de HB20, HB20S, Creta Action e Creta no Brasil com novidades