KG Mobility é oficialmente definido como novo nome da marca conhecida como SsangYong

KG Mobility oficialmente mata o nome SsangYong e empresa passa a ter quinto nome diferente desde sua fundação; em nova fase, empresa promete investimentos 



Precisou de alguns meses para o nome SsangYong ser substituído oficialmente para KG Mobility, mas aconteceu. O quinto nome da empresa em menos de 70 anos prova a instabilidade que cerca a empresa desde então. Mas agora, a KG Group espera que esse seja o nome da marca por muitos anos. O novo nome também sinaliza uma nova era para a marca, que quer se afastar de vez da fase ruim e confirmou uma série de investimentos que vai fazer.

Além de desenvolver carros elétricos, a KG Mobility quer focar no desenvolvimento também de condução autônoma e inteligência artificial em seus carros. Tanto que a empresa desenvolve uma série de conceitos que devem ser apresentados nos próximos meses, que serão 16 num total. Destes, três já foram apresentados no Salão do Automóvel de Seoul (KR100 Concept, O100 Concept e F100 Concept), que sinalizam o futuro da marca de utilitários esportivos e picapes. A decisão sobre a mudança do nome foi aceita durante assembleia geral de acionistas, em Pyeongtaek, na Coreia do Sul, no dia 22 de março de 2023.

Ainda neste ano, a nova KG Mobility se comprometeu de apresentar um novo logotipo, visto que ainda continua usando as asas criadas pela SsangYong. A marca ainda já confirmou o seu novo slogan: “Go Different. KG Mobility”. Como o próprio nome sugere, a empresa vai apostar em plataformas de mobilidade, como o desenvolvimento de plataformas de veículos elétricos, que vão poder ser comercializadas para empresas interessadas, além de investir em Software Defined Vehicles (SDV), carros autônomos e inteligência artificial. Outro ponto é melhorar o pós-venda, investindo em venda de carros certificados e seminovos.

A marca ainda contará com o apoio do seu Centro de Design, o KG Mobility Design Contest, que vai criar uma nova identidade visual aos seus produtos. Desde sua estreia, a então SsangYong já tinha mudado de nome outras vezes. Ela foi fundada em 1954 como Dong-hwan Motor e em 1963 se fundiu com a Dongbang Motor. A partir disso, o nome mudou para Ha Dong-hwan Motor. Em 1977, a empresa foi renomeada para Dong-A Motor e em 1984 foi adquirida pela Keohwa, que, em 1986, fez a marca mudar o nome para SsangYong Business Group, confirmando o nome SsangYong em 1988.



Desde então, a SsangYong passou por uma série de falências, como parte de empresas como a Daewoo, SAIC e Mahindra. Em evento chamado Vision Tech Day, a KG Mobility revelou mais detalhes do seu plano. “Ao contrário de outras montadoras globais, não consideramos a exportação de carros como nosso único objetivo. Em vez disso, nos esforçaremos para produzir carros feitos com nossa própria tecnologia (automotiva).”, disse o Presidente da KG Mobility, Gwak Jae-sun, em conferência de imprensa em Kintex, Ilsan, província de Gyeonggi, na Coreia do Sul.

Além dos elétricos atuais que a marca possui, como o Korando e-Motion e o Torres EVX, a marca confirmou que prepara uma nova plataforma que dará vida ao F100 Concept. Essa plataforma ainda dará vida aos demais futuros carros da marca, com uma capacidade de 100.000 unidades ao ano. E plataforma será do tipo skate, com um chassi com um amplo espaço para bateria. Essa bateria será plana e por pilha, cilíndrica. A marca também vai apostar na tecnologia Cell-to-Pack, que é algo que a BYD possui atualmente e integra as células de baterias diretamente num pack sem construir um módulo.

Em termos de baterias, a KG Mobility confirmou que vai apostar em baterias de fosfato de ferro-lítio (LFP) e baterias híbridas de níquel, manganês e cobalto (NCM). A segunda parte do seu plano estratégico visa o desenvolvimento da tecnologia SDV. “SDVs são como smartphones com rodas. Desenvolveremos uma arquitetura eletrônica centralizada e um controlador de alto desempenho para acelerar a velocidade do sistema de rede interna do carro com gerenciamento de software rápido, porém estável.”, disse Chung. Para isso, a marca confirmou que trabalha com dois tipos de software, Android e iOS. Os carros vão contar com centrais multimídia que vai permitir personalização da interface do usuário e fazer download de aplicativos para as centrais.

Esses aplicativos permitem compras, jogos e serviços de streaming. A mesma ainda vai permitir que os carros possam usar uma chave digital que vai permitir acesso e fechar os veículos por meio do celular, assim como checar uma série de informações sobre os veículos, com atualização Over-The-Air (OTA). A terceira parte do seu plano estratégico prevê o desenvolvimento da condução autônoma até meados de 2030, que será instalada nos carros da KG com Nível 3 e Nível 4. A empresa ainda pensa no desenvolvimento de um sistema de armazenamento de dados em nuvem e com ajuda da inteligência artificial que também estará presente.



“Eu me encontrei com o presidente (do Hyundai Motor Group), Chung Euisun (hoje) no Seoul Mobility Show 2023. Ao trocar parabéns, eu disse a Chung que a KG Mobility pretende incursionar nos mercados emergentes, uma pequena parcela dos negócios internacionais dos fabricantes de automóveis globais, devido à nossa capacidade de produção limitada.”, adiciona disse Gwak. O executivo ainda confirmou que a KG Mobility deve chegar em 'mercados menores', como África e América do Sul, onde poderá vender, em cada mercado, de 1.000 a 2.000 unidades ao ano. Outro ponto é que a marca vai erguer uma fábrica no Vietnã, para mercado interno e exportação para Sudeste Asiático e no Médio Oriente.

No Vietnã, a KG confirmou que vai produzir o trio Tivoli, Korando e Torres, que serão produzidos a partir de 2024 e com uma estimativa de produzir 60.000 unidades ao ano, com capacidade de expansão para 210.000 unidades ao ano. O investimento será da ordem de US$ 2,3 bilhões e vai erguer a fábrica em joint-venture com a Kim Long Motors, que inclusive já iniciou a construção de uma fábrica dedicada à KG Mobility, a ser erguida no Complexo Industrial Hue, perto de Da Nang, no centro do Vietnã. Em 2024, a KG espera conseguir produzir 15.000 unidades, chegando às 60 mil unidades até 2029.

Os modelos Rexton, Musso e Musso Grand devem ser produzidos em meados de 2025 na unidade. “Continuaremos a aumentar as nossas vendas globais, ajudando a desenvolver os mercados emergentes, bem como os mercados existentes, como a Europa, e a expandir-nos no exterior através do lançamento de novos carros, como o Torres.”, disse um porta-voz da KG. Será que a empresa está pronta para retornar ao nosso mercado, agora que tem um futuro definido?




Fotos: KG Mobility / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RAM reajusta os preços de Rampage, 1500, 2500 e 3500 no Brasil, em até R$ 5.000

Ford desenvolve um SUV elétrico de 7 lugares que será apresentado em meados de 2025

Fiat reajusta os preços da Toro em versões com motor T270, com cortes de até R$ 10.000

Nosso novo Peugeot 2008 será igual ao modelo europeu, recém reestilizado; terá motor T200

Nio ET5 Touring é a primeira station wagon da marca; estreia na China de olho na Europa

Alfa Romeo surpreende e confirma nome Milano para SUV subcompacto que estreia em abril

Lamborghini comemora aniversário de 60 anos de Sant'Agata Bolognese e revela três séries

Chevrolet Camaro ganha séries especiais Collector's Edition e Garage 56 Edition nos EUA

Jetour apresenta o X90 Plus no Salão do Automóvel de Guangzhou, que é reestilizado

Ferrari apresenta a SF90 XX Stradale e Spider na Europa, com motor híbrido de 1.030cv