Mercedes-Benz CLS saiu de linha e é o primeiro produto cortado do atual lineup

Depois de três gerações, Mercedes-Benz CLS sai de linha oficialmente e é o primeiro corte do plano de reestruturação da marca alemã para os próximos anos



A Mercedes-Benz se despediu do CLS no mundo todo com o fim de linha da terceira geração do sedã cupê. Primeiro corte do plano de reestruturação da sua linha, a marca alemã deixou de produzir o sedã em agosto de 2023, depois de três gerações. O sedã cupê nasceu em 2004 em sua primeira geração como uma alternativa mais esportiva ao Classe E. A informação sobre o fim de linha do sedã surgiu ainda no ano passado, quando os sites CarExpert e The Drive confirmaram seu fim.

“Em consideração ao potencial de crescimento global, e como parte do planejamento estratégico do nosso portfólio de produtos, decidimos encerrar o ciclo de vida do CLS em 31 de agosto de 2023, com a mudança do Classe E para a série de modelos 214.”, disse a marca alemã em comunicado no ano passado. Apresentado pela primeira vez no Salão do Automóvel de Genebra de 2004, o CLS se tornou um dos primeiros sedãs com uma pegada mais cupê em todo o mundo, uma tendência que depois se espalhou para outras marcas e modelos.

As primeiras novidades dessa geração surgiram em 2007, quando ele recebeu pequenos ajustes visuais e de equipamentos. As novidades o mantiveram firme até a segunda geração, apresentada em 2010.Essa foi a primeira vez que o CLS ainda contou com a presença de um outro membro na sua linha, a CLS Shooting Brake, lançada em 2012. O CLS recebeu as primeiras mudanças em 2014 e a geração foi mantida em linha até 2018, quando a marca apresentou sua terceira geração (o modelo das imagens), que perdeu a opção Shooting Brake. O atual ganhou mudanças em 2021.

O fim do CLS é apenas o prenúncio de uma morte de mais produtos. Focada nas linhas Top-End Luxury e Core Luxury, a Mercedes-Benz vai retirar boa parte da sua linha de carros de entrada, cerca da metade das linhas A e B – Classe A Sedan e Classe B estarão cortados. A marca também vai unir Classe C Coupé/Cabriolet, Classe E Coupé/Cabriolet e Classe S Coupé/Cabriolet em apenas um produto: o CLE. O AMG GT 4-doors deve se transformar em sedã elétrico esportivo e que pode acabar substituindo a pegada de sedã cupê que o CLS inaugurou na Mercedes.

As Touring da linha Classe C e Classe E devem viver suas últimas gerações, assim como as versões Coupé de GLC e GLE, que vão deixar de ser produzidos após as atuais gerações. A limpeza no lineup deve seguir até meados de 2030, com a atual linha de produtos completando o seu ciclo de vida. No Brasil, o CLS foi vendido entre 2004 a 2020 e entre 2005 a 2020 vendeu 1.466 unidades em nosso mercado. 



Fotos: Mercedes-Benz / divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fiat confirma que o futuro interior dos seus carros terão inspiração no clássico Lingotto

Ford traz novo lote da Ranger Raptor com mais equipamentos de série e custa R$ 466.500

Jaguar-Land Rover quer construir uma inédita fábrica de bateria para elétricos no Reino Unido

Suzuki Invicto aparece na Índia como rebadge da Toyota Innova e espaço para até oito

BMW revela as novas imagens teaser do M5 e M5 Touring, que vão ter mais de 700cv

Toyota lança o RAV4 com motor híbrido plug-in (PHEV) de 306cv no Brasil, por R$ 399.990

RAM reajusta os preços da Classic e diminui os preços da picape em até R$ 35.000

Volkswagen T-Cross com reestilização chega ainda neste primeiro semestre de 2024

Nio revela primeiro teaser da sua nova marca, a Onvo, que estreia com o SUV elétrico L60

Galaxy apresenta na China o seu sedã L6, que estreia como um PHEV com motor de 390cv